Privação do Sono: A experiência



Antes do mundo ter seus conceitos de ética, cientistas usavam e abusavam do seus poderes para fazer experiências com humanos vivos, que iam além de qualquer senso de humanidade. Haviam testes desde o transplante até a reanimação de cadáveres. Uma dessas bizarrices cientificas foi a privação de sono.

Pesquisadores Russos, no final dos anos 40. A pesquisa foi feita com cinco homens que eram prisioneiros políticos declarados inimigos do Estado durante a Segunda Guerra Mundial. Esses foram mantidos acordados por quinze dias, usando um gás experimental como estimulantes. Foram mantidos em um ambiente selado, e monitorando o oxigênio deles, para que o gás não os matasse, já que possuía altos níveis de toxina concentrada. Para observá-los, havia um circuito interno de câmeras com microfones e janelas pequenas para que a experiência fosse vigiada a "olhos nus". O "quarto" estava cheia de livros e berços para dormir, mas sem lençóis, água corrente ou banheiro; também havia comida seca para todos os cinco, que estava destinada à duraria um mês.

Tudo estava tranquilo nos primeiros 5 dias. As cobaias pouco reclamavam, já que haviam sido avisados (falsamente) de que seriam libertados se participassem do teste e não dormissem por 30 dias. Suas conversas e atividades eram todas monitoradas, e foi notado que elas conversavam constantemente sobre incidentes traumáticos no passado, e o tom geral da conversa tomou um tom um tanto sombrio a partir do quarto dia.

Crianças de Olhos Negros

As Crianças de Olhos Negros (Também conhecidas como BEC's, sigla do seu nome em inglês, Black Eyed Children), são crianças entre 8 e 16 anos, descritas como tendo a pele muito pálida (Algumas testemunhas chegaram a dizem que a pele parecia artificial, como de plástico), e usando roupas que vão desde jeans e agasalho com capuz até roupas antigas, do estilo "Amish". Parecem ser em tudo crianças normais, exceto pelos olhos; seus olhos são totalmente negros, sem pupila ou íris.

As BEC costumam aparecem em estradas, nas janelas de carros parados em postos de gasolina no meio da estrada, ou até mesmo nas janelas das casas das pessoas. Podem aparecer em grupos, duplas, ou apenas uma só, sempre pedindo por uma carona ou para usar o telefone, pois estão perdidas ou longe de suas casas.

Pode parecer apenas mais uma lenda urbana, mas o número de relatos referentes às BEC aumentam a cada ano. Um dos primeiros relatos aconteceu em 1988, quando o jornalista Brian Bethel contou ter sido abordado por duas crianças que lhe pediam uma carona. Bethel disse que chegou a abrir a porta de seu carro para deixar as duas crianças entrarem, quando reparou nos olhos delas; totalmente negros.
Ao perceberem que o jornalista notara algo de diferente nas crianças, ambas começaram a se tornarem irritadas e insistentes, mas Bethel fugiu antes que pudessem lhe fazer alguma coisa.

Uma Falta de Empatia

Eu não era como as outras crianças no jardim de infância, cresci diferente. Nunca participei das babaquices daqueles fedorentos nem dos seus jogos estúpidos. Mas eu tinha minhas próprias brincadeiras. Uma vez uma menina pediu minha caixa de giz-de-cera, e eu disse que emprestaria se ela mandasse a professora se foder. Ela foi mandada pra casa por ter feito isso, e eu pude ouvir sua mãe gritar sobre a surra que ela ia levar quando chegasse em casa. Brincadeiras divertidas né?

Não levou muito tempo até os professores notarem que as outras crianças me evitavam e que eu nunca mostrava nenhuma emoção. Eles só sussurravam pelos corredores e julgavam que eu não ouvia, mas eu sempre tive uma audição excepcional. "Monstrinho" dizia a Sra. Guthrie. "Sociopata" dizia o Sr. DePascal. Mesmo em minha tenra idade, eu tinha um vocabulário bem extenso. Nunca havia escutado o termo Sociopata antes e fiquei intrigado. Ao chegar em casa procurei a enciclopédia da minha mãe e li. Sociopata; "um desvio de personalidade caracterizado por uma falta de empatia por outros." Tive que concordar com o Sr. DePascal.

O primário e o ensino fundamental passaram rápido. Aprendi a fingir emoções e enganava todos a minha volta, meus pais, meus professores, as pessoas em geral, exceto meus pares. Acabavam percebendo que eu tinha algo de "errado" e decidiam me deixar. Alguns decidiam se tornarem meus amigos, ai eu podia me divertir um pouco. Independente de como eu tratava esses ao meu redor, eu não os odiava. Só não me importava. E foi assim até o colegial, até quando alguém conseguiu me irritar de verdade. Esse alguém foi Travis Murphy.

Palhaço

Há muito tempo atrás, lá pelos anos 40 ou 50, havia um grande circo em um pequena cidade no estado de Ilinois, nos Estados Unidos. Mark Donald, era o palhaço do circo. Mark, sempre foi um homem introspectivo, amargurado e sombrio, mas que no fundo gostava de trabalhar como um palhaço, embora nunca tivesse sentido realmente o que é a felicidade. Mas por outro lado, colocar sua maquiagem e vestir sua fantasia, era como se ele assumisse outra identidade. Vestido de palhaço, Mark se sentia melhor, mais confortável e alegre, era a única coisa que o fazia se sentir realmente bem, animar as pessoas, produzir risadas.

 Ele foi criado no circo, por seu pai, um domador de animais selvagens e dono do tal circo já mencionado. Sua mãe, uma trapezista que segundo os relatos era muito talentosa, morreu durante o seu parto. Seu pai acabou por falecer mais tarde, em decorrência de uma grave doença que o levou a loucura e mais tarde a morte. Sobrou para o infeliz Mark comandar o circo, mas ele não levava jeito para comandar e aos poucos, um por um dos artistas que ali trabalhavam foram o abandonando. Por fim, o palhaço ficou sozinho. Era a decadência do grande circo. A solidão acabou o enlouquecendo também, gradativamente, até o ponto em que Mark chegou à extrema insanidade.

 Em uma atitude desesperada para levantar seu circo, prometeu a cidade um grande espetáculo, jurando que ali seu circo iria retomar o vigor de antigamente, em um show totalmente gratuito. E na data e horário combinado, ali estava toda a cidade, lotando o picadeiro, prontos para assistir o tal espetáculo. Logo Mark entrou, vestindo sua habitual fantasia de palhaço, um pouco mais suja e maltrapilha que o de costume.

Projeto Montauk

Esse Hiper texto sobre a conspiração Montauk foi elaborado - MUITO BEM ELABORADO - pelo nosso parceiro Leitura Creepy. Boa Leitura.

"O Projeto Montauk é um evento suspeito de ser uma série de projetos secretos do governo dos Estados Unidos realizado em Camp Hero ou Air Force Station em Montauk, Long Island com a finalidade de desenvolver técnicas de guerra psicológica e investigações exóticas, incluindo a viagem no tempo, viagem no hiperespaço, invisibilidade a luz visível, infravermelha e radar. Devido à falta de evidências para apoiar grupo de hipóteses, os críticos argumentam que o Projeto Montauk é uma teoria da conspiração ou apenas uma lenda urbana ou um absurdo. Jacques Vallée descreve as alegações do Projeto Montauk como uma conseqüência de histórias sobre o Experimento Filadélfia."

Mas primeiro vamos tentar entender um pouco sobre o Experimento Filadélfia, cujo muitos afirmam que foi da consequência dele que, o Projeto Montauk surgiu.

Experimento Filadélfia


USS Eldridge DE-173
Experimento Filadélfia foi um suposto projeto naval militar realizado no Estaleiro Naval da Filadélfia em Filadélfia, Estado da Pensilvânia-EUA, por volta de 28 de Outubro de 1943, na qual o destróier de escolta USS Eldridge tornou-se invisível aos observadores por um breve período. É também referido como Projeto Rainbow.

O ano era 1943. A expansão de tecnologia bélica estava a toda. O objetivo era mudar o rumo da Segunda Guerra Mundial. Em um estaleiro da Marinha, na Filadélfia, um conselho de cientistas estava pronto para colocar em pratica um dos projetos mais audaciosos já concretizados: o Projeto Rainbow (que futuramente se transformaria no projeto “Monstro” Montauk), tinha como objetivo criar um navio invisível aos olhos humanos.

Segundo os conspiracionistas, a marinha Americana conduziu o experimento no dia 28 de outubro de 1943, usando o destroier U.S.S. Eldridge, sob o comando de Dr. Franklin Reno, em uma ousada aplicação militar da Teoria do Campo Unificado. Eram tempos sombrios, onde a ética e a sensatez eram esquecida em prol da rapidez nos resultados que poderiam determinar a vitória na guerra. Por esse motivo, a tecnologia foi utilizada sem haver um conhecimento profundo da mesma.

Após algum tempo foi então iniciada a segunda tentativa.

Jeffrey Dahmer

Jeffrey Lionel Dahmer (21 de Maio 1960 – 28 de Novembro de 1994) foi um serial killer americano. Dahmer assassinou 17 homens e garotos entre 1978 e 1991, sendo a maioria dos assassinatos ocorridos entre 1989 e 1991. Seus crimes eram particularmente hediondos, envolvendo estupro, necrofilia e canibalismo. 


Dahmer nasceu em Milwaukee, Wisconsin, no dia 21 de maio de 1960, às 15h34m. Filho de Lionel e Joyce Dahmer. Sua família em breve se mudou para Bath, Ohio, onde estudou na Revere High School. Lá Dahmer jogava tenis e tocava clarinet. Dahmer dissecava animais mortos e em sua adolescência e tinha até um cemitério particular nos fundos de sua casa. Era alcoólatra e solitário. Muitos de seus colegas o descreviam como "estranho" e "bizarro" por causa das constantes brincadeiras que cometia. Tudo parte de uma tentativa de Dahmer de se entrosar entre os colegas, algo em vão.

Após formar-se no ensino médio, foi abandonado por sua mãe em Bath, Ohio. Foi deixado, então, sem comida, sem dinheiro e com uma geladeira quebrada com apenas 18 anos. Estudou durante três meses na Universidade do Estado de Ohio, mas largou a universidade após 3 meses de bebedeiras. Foi então numa noite de Junho de 1978 que Dahmer cometeu seu primeiro assassinato.

Nascido em uma família americana normal, Jeffrey teve uma infância comum até seus dez anos de idade, quando começou a se atrair por animais mortos, os quais dissecava e usava ácidos em seus ossos. Dizem que ele torturava e matava os animais, porém seu pai revelou que Dahmer pegava-os mortos na estrada. Mas apesar dessa mania estranha, Jeffrey Dahmer viveu sua adolescência normalmente, até que com 18 anos ele começou a mudar:

Radio Fantasma UVB-76 Russia

No ano de 1982, uma misteriosa rádio foi descoberta, mas não transmitia música, nem nada que seja compreensível. Ela somente enviava sinais em ondas curtas, que só podem ser captados por rádios que recebem esse tipo de sinal.

UVB-76 é uma estação de rádio de ondas curtas, que geralmente transmite na frequência de 4625 kHz. Ela possui um pequeno e monótono: sinal, repetindo-se a uma taxa aproximada de 25 tons por minuto, durante 24 horas por dia. A estação tem sido observada desde cerca de 1982. Em raras ocasiões, o sinal de alarme é interrompido e uma transmissão de voz em russo ocorre. Apenas três ou quatro eventos desse tipo foram notados desde 1982.

A estação transmite um som vibrante, que dura 0,8 segundo, pausando por 1-1,3 segundos, e repetindo-se 21-34 vezes por minuto. Um minuto antes de cada hora, o tom de repetição é substituído por um tom contínuo, que continua por um minuto até que o tom de repetição volte a tocar. Entre as 07:00 e 07:50 GMT, a estação transmite com baixo consumo de energia, quando a manutenção do transmissor aparentemente ocorre. O som gerado pela estação, lembra um chiado igual ao de rádio acompanhado de um rápido barulho de um navio.

A UVB-76 era transmitida pelo menos desde 1982 como repetitivo "pip" de dois segundos, mudando para uma campainha no início de 1990. Ela foi alterada brevemente para um tom mais alto e de maior duração (cerca de 20 tons por minuto) em 16 de janeiro de 2003, embora o este som tenha sido revertido para o padrão de tom anterior.

O Projeto

Você já parou para pensar se este mundo que está à nossa volta simplesmente não existisse? Fosse um fruto da imaginação de alguém? E você apenas resultado da mente criativa de outra pessoa?

Permita-me explicar melhor…

Antes de mais nada, voltemos um pouco no tempo, mais precisamente, 1943…

Um porta-aviões americano desapareceu diante dos olhos humanos que ali estavam, pasmos. Porém não apenas isto, mas ele pulou anos à frente no futuro, em outro ponto do mapa, por um curto periodo de tempo. Quando retornou, tudo estava totalmente fora do normal. Parte da tripulação estava fundida com as partes do navio, outra parte havia desaparecido completamente e, os poucos sobreviventes do evento, não tocam no assunto. Alguns até perderam completamente a sanidade e o juízo, tamanho fora o trauma causado. Todos se recusam a comentar e, oficialmente, tal evento nunca existiu, mas todos já ouviram falar do famigerado Experimento Filadélfia.

Agora avancemos para 1971. Um projeto, inicialmente criado para estudar e analisar os efeitos do Experimento Filadéfia acabaria tomando um rumo mais sinistro ainda: O controle mental. Todos sabemos que nossos pensamentos geram pulsos magneticos em forma de energia. Estes pulsos são responsáveis por transformar nossos pensamentos em ações, reações, etc. Inicialmente, pesquisadores começaram a decodificar estes pulsos através de sensitivos. Uma vez decodificados, os pulsos poderiam ser reenviados para qualquer mente humana como uma espécie de ‘controle remoto’. Qualquer pensamento poderia ser implantado à qualquer pessoa, independente da distância, controlando assim suas vontades, suas ações e suas reações, sem que a mesma se desse conta disso. Mas ainda tem mais…

Retornando Para a Terra

Eu acho que esse é o fim. Para nós, enfim. Do ser humano e tudo que conquistamos. Eu tive muito tempo para pensar sobre isso desde a última vez que pude ver a luz do dia. A última vez que a veria. Não é o fim do mundo, mas é o nosso fim.

Eu acho que começou por volta de um mês atrás, se bem que pode fazer mais tempo, só há os relógio dispersos pela casa para me dizer o tempo que passou e a maioria não funciona mais. De qualquer forma, estou me distanciando do ponto principal. Estava em todos os jornais: um cruzeiro havia naufragado sem nenhum motivo aparente. Não estava estragado, apenas tinha sido puxado para o fundo do mar. O resto das histórias estavam apenas começando. Tudo que estava na água afundava. As plataformas de petróleo desapareceram. As pessoas nas praias eram puxadas para o profundidades imensuráveis. Nada flutuava mais. Era bizarro. Essas notícias encheram os jornais por alguns dias até que a coisa ficou mais assustadora.

Foi durante uma transmissão de um jornal que tudo mudou para o pior. Era uma reportagem sobre uma praia, em um canal local falando sobre o estranho fenomeno. Eles estavam reciclando a mesma pergunta que tinha sido feita nos últimos dias. De repente pânico tomou conta do rosto da repórter, ela gritou enquanto a camera se inclinou para baixo. Seus pés estavam presos na areia abaixo de seu tornozelo. Eu lembro de rir, achando que a repórter era só super-sensivel e estava de brincadeira, mas então a câmera caiu. Nos próximos 10 segundos mais ou menos o que apareceram na tela não foi apenas a reporter afundando na areia, mas todos eles. Todo o circo que tinha sido montado por causa da reportagem na praia para cobrir a história. A reporter que tinha afundado pelas canelas momentos atrás estava agora com areia na altura do peito. Todos se contorcendo, gritando e afundando. Acabou então quando a câmera foi engolida pela areia.

O Dono do Fim


Em qualquer cidade, de qualquer país, vá a qualquer hospício ou casa de reabilitação que você possa ir sozinho. Quando você chegar ao balcão de entrada, peça para visitar aquele que se auto-intitula "O Dono do Fim". Uma expressão amedrontada quase infantil deverá aparecer no rosto do empregado, então você vai ser levado para uma cela. Esta cela será em um lugar muito bem escondida dentro da estrutura do local. Tudo que você vai ouvir é o som de alguém falando com suas vozes no eco das paredes. É em uma língua que você não conseguíra entender, mas no fundo da sua alma você sentirá um medo inexplicável.

O que fala deverá parar em qualquer instante, e quando parar RAPIDAMENTE fale "Eu estou só passando, eu gostaria de falar." Se você ouvir o silêncio, sem eco, fuja. Saia, e não pare por nada, não vá para sua casa, não fique em uma pousada, apenas continue se movendo até que seu corpo sonolento caia aonde for. Você vai saber na manhã se você escapou com sucesso.

Obra Prima


Estou deitado a um bom tempo agora. São 5:35 da madrugada e não há muito que eu possa fazer. Sabe qual é a pior parte da minha situação? Estou no mesmo quarto que os meus pais. Eles não param de olhar pra mim e tudo que eu posso fazer é olhar de volta e tentar não gritar. É inevitável. Seus olhos estão focados em mim e suas bocas abertas. Também tem o cheiro forte de sangue e eu me sinto paralisado de medo.

Ali está a coisa. No segundo em que eu fizer qualquer sinal de não estar dormindo mais, estou totalmente fodido. Vou morrer e não há ninguém que por perto que possa me ajudar. Estive pensando em um jeito de sair daqui mas a única idéia que tive foi sair correndo pela porta e correr para fora pela porta da frente gritando por ajuda, esperando que meus vizinhos me escutassem. É arriscado, mas se eu ficar aqui, certamente morrerei. A coisa está esperando que eu acorde para que eu veja sua obra-prima.

Você deve estar se perguntando o que está acontecendo. Eu me antecipo as vezes.

Aneis de Ouro


Ultimamente eu tenho tido um sonho recorrente, onde estou agarrado por uma pálida, mão gorda, coberta de brilhantes anéis de ouro agarrando meu pescoço por trás de mim e cortando-a. Eu tive o sonho todas as noites desta semana, cada vez que eu tinha, ela ficava mais nítida. Eu fiquei muito nervoso, então entrei em contato com um médico local para ver se ele tinha algum tipo de significado interior.

Eu me encontrei com ele em seu escritório. Eu disse a ele sobre os sonhos que eu tinha tido, e ele veio com uma conclusão que eu estava muito longe da família, e eu só precisava me reconectar com eles. Então eu disse obrigado e apertei sua mão.

Mas quando eu apertei sua mão eu senti uma fria sensação perfurando o meu corpo, a sensação de metal frio.

Olhei para baixo e vi que ele estava usando três anéis de ouro.

Eu simplesmente congelei, mas ele apenas sorriu.

Não Olhe Atrás de Você


Na cidade que eu Morava havia um prédio abandonado de 2 andares. Ele tinha janelas quebradas e sujeira, paredes quebrando, então os moradores não chegavam muito perto.

Um dia eu e meu amigo decidimos explorar o lugar. Ainda era começo da tarde e havia muita luz, então nos arriscamos a ir ao segundo andar.Em uma das portas havia uma pichação.

Nós chegamos perto pra ler as palavras que diziam: “Estou no quarto adiante.”

Decidimos atravessar aquela porta.

Nós andamos até chegar num corredor divisório, onde na parede havia escrito: “Estou à esquerda.”
Estávamos ficando assustados, mas fomos a esquerda.

Então chegamos num lugar com dois quartos, na parede tinha escrito “Minha cabeça está no da esquerda e meu corpo no da direita.”

Meu amigo logo que leu isso, perdeu o controle e saiu correndo. Mas eu decidi ficar e reunindo toda minha coragem, entrei na porta da direita. Eu fui até a parede mais distante da porta e li nela “Meu corpo está abaixo”. Olhei para baixo e não chão havia escrito “Minha cabeça está chegando aqui, do quarto da esquerda. Não olhe atrás de você.”

No mesmo momento rapidamente me joguei pela janela e corri Desde então, eu nunca mais cheguei perto de lá.

Snatcher


Esta é a história sobre uma criatura curiosa que queria criar o ser humano perfeito. A história foi contada de geração em geração, de um jeito diferente em cada lugar do mundo, foi assim que chegou em mim:

Bem, vou explicar desde o começo. Por volta de 1830, perto do atual Arizona, uma criatura, tranquila em seu lar subterrâneo acidentalmente faz uma rachadura no "teto", abrindo uma brecha, por onde saía um fecho de luz. A criatura ficou intrigada, e procurava entender o que era aquela coisa quente, porém intocável. A criatura era alta, tinha 2m e 45cm de altura, tinha um peso proporcional a seu tamanho, e tinha pele escura e seca. Sua face, um focinho parecido com de cachorro, dentes similares aos dentes humanos, ossos fracos, olhos pequenos, com cavidades profundas, e seus ouvidos eram apenas dois buracos na testa.
A criatura começa a bater na brecha por onde a luz entrava, e também arranhar, puxar pedaços, todos os dias, até o dia em que a brecha virou um buraco. A criatura estava cega pela luz, mas mesmo assim, subiu pelo buraco. Estava muito quente do lado de fora, mas a criatura era curiosa demais.

Depois de andar um pouco, se deparou com uma pequena cidadela. As criaturinhas menores que a viam gritavam e corriam dela, por algum motivo. O som de seus gritos eram extremamente irritantes e agudos para os ouvidos da criatura, que voltou para seu abrigo subterrâneo.

O Lado Negro de Goosebumps


Goosebumps foi um dos destaques de minha infância. Devo ter lido praticamente todos os livros e assistido a uma grande parte dos episódios. A melhor coisa era a razão de todo o terror das histórias. A maioria das histórias tinham monstros, fantasmas e demônios. Mas eu amava aquelas que realmente fodiam com o seu cérebro, como “Um Choque na Rua Shock”. Goosebumps era minha série favorita de livros, mesmo que me mantivessem acordados durante toda a noite.

Na semana passada, eu estava limpando meu quarto reserva. Estava cheio de caixas, livros e roupas velhas, o que era estranho, visto que eu só estava morando em minha casa a três meses. Encontrei uma velha caixa marrom com a palavra "GOOSEBUMPS" escrito nela. Todos os meus antigos livros Goosebumps estivessem dentro dela. Uma onda de nostalgia tomou conta de mim, e eu chorava enquanto olhava para as capas que me deixavam cagando de medo em minha infância. Muitas das páginas estavam com as pontas dobradas, e eu também encontrei dois marcadores e seis cartões de visita.

Na parte inferior da caixa estava uma fita VHS. O titulo "Goosebumps: Esconde-Esconde" estava escrito nela com marcador permanente azul. Eu sinceramente não me lembrava de possuir qualquer episódio da série de TV, então achei muito estranho aquela fita estar lá. Cego pelas memórias de minha infância, não cheguei a pensar muito nisso, e somente pensava nas memórias que o episódio iria me trazer quando o assistisse.

O Jogo da Meia Noite


“O Jogo da Meia-Noite” é um antigo ritual pagão usado principalmente como punição para aqueles que quebraram as regras d uma religião pagã. Enquanto é usada principalmente para amedrontar, afim de não ocorrer desobediência aos deuses, ainda assim há uma grande chance de morte para aqueles que jogam. Há ainda uma chance maior de danos mentais permanentes.

NÃO É RECOMENDADO JOGAR O Jogo da Meia-Noite!!!

Entretanto, para aqueles que gostam de se arriscar ou que tem interesse em rituais obscuros e ocultos, estas são as instruções de como jogar. Se fizer é a seu próprio risco.

INSTRUÇÕES e PRÉ-REQUISITOS:

É necessário que seja exatamente 12:00AM quando você começar o ritual, do contrário, este não irá funcionar. Os materias necessários incluem uma vela, uma porta de madeira, pelo menos uma gota de seu sangue, um pedaço de papel, fósforos ou um isqueiro, e sal. Se você jogar com mais pessoas, todos precisarão de seus próprios items e terão que fazer os passos à seguir separadamente.

Óculos de Raio X

Por um breve período, em 1971, uma empresa com base em Nova Jersey venderam como novidade óculos de "raio-x" através do correio via anúncios na linha dos quadrinhos Marvel. Pessoas que viram seus televisores, enquanto usavam esses óculos relataram ter visto imagens que foram "infernais" ou "como o inferno". Deve notar-se que este fenômeno ocorria mesmo se as televisões em questão estivessem desligadas. A empresa rapidamente saiu do negócio e as investigações revelam que o endereço da empresa levavam a um cemitério fundado muitas décadas antes de 1971.

Poltergeist

Poltergeist (do alemão polter, que significa ruído, e geist, que significa espírito) é um tipo de evento sobrenatural que se manifesta deslocando objetos e fazendo ruídos. Esta designação e popular e originou-se da crença de que os fenômenos observados seriam provocados por espíritos de desencarnados, por duendes, demônios ou outros seres incorpóreos.

Há uma apreciável parcela de parapsicólogos que atribui a determinadas pessoas vivas a origem dos fenômenos de poltergeist. Tais indivíduos, denominados epicentro, seriam dotados de excepcional faculdade psicogenética. Em certas ocasiões, essa faculdade se exaltaria em virtude de algum trauma emocional e extravasaria suas energias em forma de ação física sobre os objetos de suas adjacências.

No fenômeno poltergeist um espírito perturbado usa o indivíduo para se manifestar, às vezes de forma agressiva, fazendo objetos como pedras, por exemplo, voarem pelos ares atingindo objetos e outras pessoas. Para a manifestação desse espírito, segundo a literatura espírita, é necessária a presença de um médium de efeitos físicos, ainda que seja completamente alheio à sua faculdade, para que os fenômenos ocorram. Acredita-se que o foco dessa perturbação é muitas vezes uma criança na fase da puberdade, em geral do sexo feminino. O evento caracteriza-se por estar relacionado a um indivíduo e por ter curta duração. Difere da chamada assombração, que pode-se estender por anos, sempre associada a uma área, geralmente uma casa.

Votos

Eu te amo.
Você me ama também, não é? Claro que sim. O anel no meu dedo prova. Idiota Vou para sempre pensar o contrário.

Meu bem? Por que você parece assustado? Sou só eu. Amy. A mulher que você prometeu seu amor a doze anos atrás. "Nem mesmo a morte vai nos separar." Lembra disso? Foi o seu voto para mim. Você me disse, e outra vez, que você me amaria para sempre. Que você iria ficar ao meu lado e nunca ia me deixar.

Você está pálido. Eu sei que eu o deixei por um tempo, mas você não precisa me tratar como se eu fosse um monstro. Eu tinha uma boa razão. Eu tinha que recuperar dos destroços que eu tinha por dentro. Eu passei muito tempo no hospital, então um período longo foi necessário. O lugar que eu fui foi tão pacífico, mas eu perdi você. Eu quero voltar, mas não sem você.

Pare de me olhar assim! Eu sei que pareço um pouco diferente. Ninguém seria o mesmo depois de um acidente como aquele. Mas não foi você que disse que minha beleza interior é tudo o que importa? Que meu rosto poderia ser derretido pelo ácido, e você ainda beijá-lo todas as noites? Bem, me beije. Vamos lá! Você prometeu. Eu vou chorar se você o não fizer.

Beth Thomas - O Anjo Malígno


Olhos azuis, cabelos castanhos e voz doce. Essa é Elizabeth Thomas, uma menina de apenas 6 anos, que esconde por trás dessa “casca” inocente, uma personalidade cruel e sádica, resultado de abusos e violência quando era apenas um bebê.

A mãe de Beth faleceu ao dar a luz a seu irmão, quando ela tinha apenas 1 ano de idade. As crianças ficaram sob a guarda do pai, um homem sádico e alcoólatra que passou os 7 meses seguintes abusando sexualmente de Beth e negligenciando seu irmão, tanto que a parte de trás do crânio do bebê ficou plana, em função de ficar o tempo todo deitado no berço. Após os 7 meses de abusos incessantes, a guarda das crianças foi tomada por assistentes sociais.

Beth e o irmão foram entregues à uma família adotiva, porém o histórico de abusos e negligências nunca foi relatado aos novos pais, mas não demorou para que estes notassem o comportamento estranho da menina.

Fato da Madrugada

Quando você acorda entre 2 e 3 da madrugada sem razão alguma, existe 80% de chances de alguém estar observando você.


Fonte: http://macacosatanico.blogspot.com.br/

Mal Pressentimento

Era uma quarta-feira de setembro, já era noite quando fui sair passear com o cachorro como sempre faço, fui até o hall, chamei o elevador e desci para a garagem e me direcionei para o portão da garagem.

Porém no meio do caminho, senti um calafrio percorrer minha espinha. "Que sensação estranha", pensei, com o pressentimento de estar sendo observado a cada passo que eu dava em direção ao portão de saída. Ignorei esse pressentimento e segui para fora do prédio, caminhei normalmente até chegar próximo a um poste de luz, onde um rapido clarão se mostrou em meio a noite escura, olhei para cima e identifiquei sua fonte, o poste começara a soltar fagulhas azuis de eletricidade. Novamente, um calafrio percorre minha espinha e tenho um leve pressentimento de estar sendo seguido, então paro e olho para a rua que estava um pouco escura naquela noite, parecia que faltava energia nessa rua, pois mais afrente, enxergava uma subida que se mostrava iluminada pelos postes de luz nela presentes e vi de relance um vulto num local coberto de sombras, achei que era coisa da minha imaginação, porque quando olhei mais atentamente, não vi nada, só sombra.

Continuei a andar até que meu cachorro parou e se virou para mim rosnando, algo que nunca havia ocorrido afinal, ele nunca rosnara para ninguém. Depois de alguns segundos, ele se virou e seguiu com a cabeça, olhando aparentemente para o nada, até um local escuro próximo a uma árvore e olhou para lá fixamente por algum tempo. Já estava com maus pressentimentos a esse ponto, então puxei o meu cachorro pela coleira e fui andando depressa de volta ao prédio.

Pichação

Eu não vivi na parte mais amigável do Reino Unido. Aquela cidade continha um dos maiores índices de crimes no país; não só crimes pequenos, como também assassinatos e assaltos. Nenhuma lugar era realmente seguro, e eu odiava viver lá. Mas eu aceitei porque era um bom garoto, realmente.

Com as gangues do crime, vem as pichações, pulverizadas e manchadas em todas as paredes de determinadas áreas - um dos quais é o meu parque local.

Decidi ir para lá, ontem, sozinho, conversando com alguns amigos por mensagens de texto e fazendo coisas de costume, como ficar sentado nas estruturas das escadas e escorregadores. Debaixo de uma estrutura de escada, porém, notei algumas pichações estranhas que eram fora do comum. As pichações mais comuns eram de assinaturas de pessoas, às vezes até mesmo um insulto à outra, mas essa era diferente.

Era uma pichação contendo varias linhas, como se fosse uma simples contagem, escritas em Tippex - uma espécie de branquinho, ferramenta muito comum e barata para vândalos. Eu contei todos as linhas, uma por uma, e a ultima chegava ao 49º. Passei meu dedo sobre a última contagem - que ainda estava molhada, o que era estranho, já que eu estava por lá por cerca de meia hora,  e não havia visto ninguém ao redor. Tendo visto o suficiente daquele parque, me virei para ir para casa, mas eu não conseguia me mover.

Cabeça de Cavalo

Se você alguma vez encontrar nas primeiras horas da manhã, talvez a caminho de casa de uma noite, ou andando de volta do trem sozinho, ou for infeliz o suficiente para perceber o homem da máscara de cavalo observando você, por favor, preste atenção , se você quiser sobreviver ...

É fundamental que você não reconheça a sua presença de forma alguma, ou faça qualquer mudança brusca em seu comportamento com base em sua presença, esta é a única chance que você terá de sobreviver. Ele só quer observá-lo, e não gosta de ser notado.

Andar mais rápido por medo ou simplesmente mudar de direção para evitar ele vai ter consequências graves. Por favor, continue fazendo exatamente como você estava, agindo como se ele não estivesse mesmo lá, nem sequer olhe duas vezes, e se você tiver sorte, ele vai simplesmente observá-lo à distância, sem qualquer dano. Qualquer movimento feito que seja considerada uma reação a sua presença será o último que você vai fazer.

The Bunnyman

Após a guerra civil em Fairfax County, Virginia se tornavam mais populosa e, eventualmente, um manicômio foi construído lá. Ninguém queria viver perto do asilo e por causa da indignação pública a instituição foi fechada.

O governo transferiu os pacientes e em 1904 o processo foi finalmente concluído. Durante a transferência, alguns dos pacientes escaparam e se esconderam na mata fechada da floresta. Estes indivíduos eram maníacos, delirantes e perigosos. A maioria deles foram encontrados, exceto Marcus Lawster Griffen e Douglas. As autoridades locais encontraram uma trilha, eles acreditavam que pertencia aos dois, cheio de coelhos meio comidos e mutilados.

A trilha levava floresta a dentro, para uma um túnel em uma ponte atravessando um largo riacho. Lá eles encontraram Marcus pendurado na entrada do túnel. Havia um bilhete preso ao seu pé, que dizia: "Você nunca vai me encontrar, não importa quanto você tente! Assinado, The Man Bunny (O Homem Coelho). "Esse túnel tem sido chamado de a Ponte do Homem Coelho desde então".

Tom's Basement


Os trinta curtas de Tom e Jerry feitos pelo diretor Gene Deitch são pouco famosos pela qualidade pobre e natureza um tanto quanto perturbadora, exibindo sons mal acabados bem como animação e um sentimento mais realista quanto à violência. (....) Pediram a Deitch que fizesse mais episódios além dos trinta conhecidos pelo público, desesperado pra não perder o contrato, ele fez mais um curta que poucos assistiram.

O curta era chamado "Tom's Basement" (Porão do Tom). Começava como sempre, na casa do Tom e Jerry. O dono do Tom era um cara gordo e brabo de outros curtas de Deitch. Seu dono parecia mais irritado que nas outras aparições que tivera. Sua primeira cena é ele pisando no rabo de Tom e ficando extremamente bravo por Tom estar dormindo na porta do porão.

O dono grita com Tom e manda que nunca vá lá embaixo, no porão. Tom fica extremamente assustado e corre pra outra sala. A câmera se mantém focada na sala perto do porão e vemos Jerry saindo de sua casinha. Parece meio grotesco, saindo um pouco do modelo de sempre.

San Zhi

Uma cidade que jamais foi habitada... Não por seres viventes... 
As únicas pessoas VIVAS que estiveram por lá foram os trabalhadores que à construiam, ainda assim por pouco tempo...


San Zhi foi projetada para ser um resort turístico de luxo no norte de Taiwan. A cidade futurista foi abandonada antes de ser acabada. Muitos acreditam que diversas mortes sem explicação recaíram sobre as pessoas que estavam trabalhando no local, chegou um ponto que a coisa ficou tão séria que a empresa encarregada do projeto, simplesmente desistiu e foi embora, deixando tudo do jeito que estava para trás. Dizem que os trabalhadores morreram dentro das casas-cápsulas e as autópsias feitas nos corpos não revelavam nada, não havia motivo "concreto" para a morte dos mesmos.

Com certeza é um dos lugares abandonados mais estranhos do mundo. O local provavelmente foi construído no inicio dos anos 80, onde as pessoas poderiam sair da movimentada Taiwan e relaxar em um local de paz, próximo a natureza.

Train and Tunnel for Tots™


Na Wisconsin rural, existe um velho parque de diversões abandonado. Construído em meados de 1920, ele serviu de ponto de encontro principal para todos.

Isto é, até um recém-desenvolvido trem de passeio (Train and Tunnel for Tots™) ser instalado em 1932. Era um trem de aparência inocente e infantil, com um carro-chefe principal (mecanizado) e três pequenos carrinhos sendo puxados por ele. Isso dava algumas voltas antes de entrar no pequeno túnel.

Mas é aí que a história se torna estranha. Houve inúmeros casos de mortes infantis naquele ano, todos eles acontecendo depois que a criança andava no trem de passeio. Algumas crianças desapareciam naquele túnel curto (cerca de 3 a 4 metros) e outras ficaram em coma depois de sair. Uma delas, após sair, foi encontrada morto. Seu vestido estava coberto com o que parecia ser pequenas marcas de dedos sangrentas. Algumas crianças mataram-se arranhando as próprias gargantas até que sangrassem, e uma delas até matou outra criança antes de se enforcar com arame farpado na fazenda da família.

O parque foi fechado, e a popularidade da cidade como atração turística despencou.

Recentemente, uma equipe de cientistas foi enviada ao parque. Eles prenderam uma câmera de vídeo no trem e colocaram um novo estagiário com ela antes de mandá-lo para os trilhos.

Quando o trenzinho deixou o túnel, ele estava vazio, exceto pela câmera.

Os últimos dez segundos não tinham nada além de estática, exceto pelo som de crianças rindo.

Fonte: http://survivalhorrorbr.com/

LOL Man

Eu e minha namorada tínhamos um hábito de conversarmos por chats, num desses nossos encontros no chat roullete, num desses nossos encontros um novo membro havia surgido, nós não sabíamos seu verdadeiro nome, porém seu apelido era LOL man.

Ele sempre entrava no chat, nós conversávamos  sobre vídeo games desastres naturais teorias conspiratórias entre outros temas, porém isso tudo mudou no dia seguinte, Lindsey (minha namorada) e eu estavamos conversando a respeito de novos jogos que surgiam no mercado, de repente LOL man ficou online no chat, eu e Lindsay o cumprimentamos, perguntamos para ele porque  não havia entrado no chat ontem como de costume, LOL man disse apenas que estava numa viagem de negócios. Depois disso ele não falou por cerca de dez minutos, até que finalmente ele digitou ‘’Lindsay...’’

-sim LOL man? Lindsay o perguntou, ele respondeu apenas ‘’-olhe atrás de você :o’’ depois disso a conexão de Lindsay havia caído, em menos de 5 minutos ela havia me convidado para uma videoconferência via Skype, estranhei pois ela odiava o skype, enfim, resolvi aceitar, e a visão que tive foi extremamente perturbadora...

Faceless

Trecho de um Jornal local 1983:

As Autoridades locais encontraram uma gravação de vídeo na casa de um homem desaparecido hoje. Eles foram chamados no final da noite, quando os vizinhos ouviram gritos e objetos sendo jogados.  Quando a polícia chegou eles estranhanharam com o que parecia ser um som como um tiro, mas quando chegou ao apartamento do homem, não havia ninguém lá. O homem está em seu final dos anos 20 e tem uma tatuagem de anjo em seu pescoço.

"Ei Jim, você assiste a fita ainda?"
"Não, senhor, eu vou ter direito sobre isso."

Ele empurrou a fita e não havia estranhos sons zumbindo. Eu quase pensei que não daria certo, mas ai a tela azul ficou preta de uma hora para outra.

O Interior do Espelho

Meus pais tinham comprado varios espelhos, pois eu era da turma de balé da escola e tinha que treinar usando uns espelhos grandes.

Apesar de sempre ter que encarar os espelhos durante as aulas, eu me sentia desconfortavel por esses espelhos, mas mesmo assim, tinha que encara-los. Num dia desses eu estava treinando quando vi um movimento no espelho.

Não era exatamente no espelho, mas sim algo atrás dele. Eu analizei o espelho e tirei a conclusão de que tudo era minha imaginação. Mas ai começei a notar que estavam aparecendo digitais no espelho, peguei um pano e tentei apagar, mas as digitais estavam na parte de dentro do espelho.

Eu olhei fixamente para o espelho. Como me arrempendo de ter feito isso. Eu começei a me mexer de forma desordenada para ver se o espelho quando vi que quando eu mexi minha cabeça o reflexo não fez nada, ficou imovel.

The Fame

Eles queriam fama. Alias, todos querem isso, mas eles escolheram o pior caminho. Eles eram de uma pequena banda de "garagem" que tocava em pequenos locais como mercados e bares e recebiam um cachê muito pequeno.

- Não aguento mais isso! - Exclama Blood, o vocalista

- Não aguenta mais o que? - Pergunta Lory, a baterista e namorada o vocalista

- Essa nossa vida mediocre, cansei de tocar nessas drogas de bares! - Grita Blood

- Mas isso é o maximo que conseguimos! - Exclama Lory

- Lory, será que você não tem ambição? Nunca pensou em ter uma vida melhor? - Pergunta Blood

- Blood, eu sempre quis, mas se o destino quer que tenhamos essa vida, o que podemos fazer? Ein?

Você Tem Medo de Que?

O medo pode estar nos pequenos detalhes. Neste caso, alguma coisa estranha acontece enquanto você olha para o rosto da menina à sua frente.


Enigma do Edíficio Joelma


"Há quase trinta anos um incêndio parou São Paulo. Era sexta-feira, 1º de fevereiro de 1974, e aproximadamente 756 pessoas distribuíam-se pelos 25 andares do Edifício Joelma (hoje nomeado Edifício Praça da Bandeira), localizado no nº 225 da Avenida Nove de Julho, Praça da Bandeira, região Central de São Paulo - Brasil."

Por volta das 08:50 horas um funcionário ouviu um ruído de vidro rompendo, proveniente de um dos escritórios do 12º andar. Foi até lá para verificar e constatou que um aparelho de ar condicionado estava queimando. Foi correndo até o quadro de luz daquele piso para desligar a energia; mas ao voltar encontrou fogo seguindo pela fiação exposta ao longo da parede. As cortinas se incendiaram e o incêndio começou a se propagar pelas placas combustíveis do forro. Correu para apanhar o extintor portátil, mas ao chegar não conseguiu mais adentrar à sala, devido à intensa fumaça. Subiu as escadas até o 13º andar, alertou os ocupantes e ao tentar voltar ao 12º pavimento, encontrou densa fumaça e muito calor. A partir daí o incêndio, sem controle algum, tomou todo o prédio. Foram feitas várias corridas de elevadores até que a atmosfera permitisse, salvando muitas pessoas; porém uma ascensorista na tentativa de salvar mais vidas, após as condições ficarem muito ruins, morreu no 20º andar.

GenPets


Os Genpets são bonecos que foram exibidos numa exposição de arte contemporânea do autor Adam Brandejs que projetou os referentes números, a via de exposição assim como o website. Este projeto tem sido demonstrado em várias galerias de arte no Canadá e na Europa, sendo que tem vindo a existir um progressivo aumento na atenção e curiosidade deste evento atravéz da internet.

Trata-se de bonecos automatizados feitos de látex e de plástico, com um circuito eletrónico que simula uma respiração ronceira. Um “ser vivo feito em laboratório, com uma combinação não divulgada de DNA tendo sido criado para ser tratado de uma forma simples e prática”. Com uma aparência semelhante a pequenos humanóides sem pelagem, os Genpets foram projetados para se parecerem com criaturas vivas, que, apesar de hibernarem, foram desenvolvidas com o propósito de representarem o papel de animais de estimação. A elaborada embalagem indica ao comprador uma variedade de cores a escolher de acordo com as diferentes preferências de personalidade e níveis de atividade, em que as respetivas criaturas apresentam uma limitada capaciade vocal.

Filmes


Eu sempre a achei bonita. Ela tinha lindos olhos azuis e cabelos extremamente ruivos e repicados, e um corpo de dar inveja. Ela sempre deu uma de difícil para mim. Bom, pelo menos até ontem de manhã.

Estávamos eu, ela e uns amigos conversando no intervalo entre a aula de química e a aula de história quando decidimos sair para ver um filme. Ela disse que não poderia ir pois não tinha como voltar para casa e não queria ficar sozinha tarde da noite andando pelas ruas, então eu rapidamente me ofereci para acompanhá-la de volta a sua casa.

Assim que o filme acabou, nós dois nos despedimos dos nossos amigos e fomos caminhando.

20 Coisas que Talvez Você não Saiba sobre Autópsias



1- Até o Renascimento, a compreensão da anatomia humana foi baseada na dissecação de animais, com autópsias humanas consideradas uma afronta em praticamente todas as culturas.

2 - Universidade italiana de Bolonha tornou-se a primeira instituição a utilizar autópsias forenses, aprovadas no século 14 para resolver questões legais sobre a causa da morte.

3 - A Igreja Católica ordenou uma autópsia nos bebês gêmeos siameses Joana e Ballestero Melchiora em Hispaniola em 1533 para determinar se eles compartilhavam uma alma. Havia dois corações distintos e, portanto, duas almas, com base na filosofia grega antiga de Empédocles, que acreditava que a alma residia no coração. O pai das gêmeas, que tinha pagado de má vontade por dois batismos, pode ter desejado por um resultado diferente.

4 - No século XVIII o médico legista Giovanni Battista Morgagni introduziu a idéia de combinar observações de autópsia a morte de pré-sintomas clínicos, de modo que as autópsias poderia informar não apenas a anatomia,mas também diagnóstico e tratamento.

Ubume


Ubume (産女) é um youkai japonês ou bakemono, é o espirito de uma mulher que morreu no parto, as vezes é contada como uma mulher morreu para ter certeza que o filho sobreviveria. Muitas vezes aparecem como geralmente os espiritos japoneses aparecem, usando robes brancas, e tendo um cabelo longo e escuro.

Em algumas histórias, ubume compra doces e outras comidas para as crianças que ainda estão vivas com moedas que depois se transformam em folhas secas. Em outras histórias, ubume atrai a atenção de um humano vivo, e o leva até o local onde seu filho está escondido.

Normalmente, o Ubume pede as pessoas para segurar seu filho por um momento e desaparece enquando a vítima leva o bebê enfaixado. O bebê, então torna-se cada vez mais pesado até que seja impossível de carregá-lo. É então revelado que não se trata de uma criança humana, mas sim de uma pedra ou uma imagem de pedra de Jizo.

Onryo


É um fantasma japonês que é capaz de retornar ao mundo físico, a fim de buscar vingança.

Mesmo que Onryo masculinos sejam encontrados, principalmente no Kabuki, a maioria são mulheres. Impotentes no mundo físico, muitas vezes elas sofrem no capricho arbitrário de seus amantes masculinos. Na morte, elas se tornam fortes e retornam para resolver essa pendência.

LENDA

O mundo espíritual tradicional japonês é dividido em três, Yomi de um lado e o mundo físico no outro. No meio é uma espécie de purgatório, uma área incerta e ambígua de espera onde os espíritos permanecem antes de prosseguir. Espíritos neste estado intermediário são muito cheios de amor, ciúme, ódio ou tristeza. Eles podem fazer a ponte de volta para o plano físico onde assombram e causam estragos em seus algozes terrenos.

Como Ir Para Outro Mundo Usando o Elevador

O que você precisa: um prédio com 10 andares ou mais com um elevador.

1. Entre no elevador sozinho (o elevador deve estar vazio também).

2. Quando entrar no elevador, siga a ordem: 4ª andar > 2º andar > 10º andar (se alguém entrar no elevador em algum desses andares, o ritual será desfeito).

3. Quando você chegar ao 10ª, pressione o botão do 5º andar sem sair.

4. Quando você chegar no 5º andar, uma mulher jovem vai entrar e irá acompanhá-lo no elevador. (Não fale com ela).

5. Depois que a mulher entrar, pressione o botão 1 º andar.

6. Depois de pressionar o botão do 1 º andar, o elevador vai levá-lo até o 10 º andar, em vez de levá-lo para o chão. (Você poderá apertar os botões dos outros andares, assim você não completará o ritual, mas também essa será a sua última chance de desistir do mesmo).

Há apenas uma maneira de verificar se você foi bem sucedido no ritual ou não;

O mundo que você chegou deve ter apenas uma pessoa – ou seja, você.

Eu não sei o que acontece depois que você chega lá.

Mas posso dizer uma coisa, a mulher que entra no elevador no 5 º andar não é humana...

Fonte: http://survivalhorrorbr.com/

Korn - Evolution

Normal Porn for Normal People

Todo o mundo sabe que se você navegar pela internet tempo suficiente, você verá alguma porcaria doentia. E é mais provável de acontecer quando você navega pela “borda negra”
da internet. Eu vi poucas coisas assim, e não ligo de admitir, mas uma coisa que eu sempre me lembrarei é um site chamado “normalpornfornormalpeople.com” (pornô normal para pessoas normais, em tradução livre).

A primeira coisa estranha sobre esse site é a que eu não consegui achá-lo procurando pro ele. Foi enviado para mim por alguém que eu não conheço.No Email estava escrito o seguinte:

“Fala aí cara
Achei esse site muito bom e achei que você iria gostar
normalpornfornormalpeople.com
passe adiante, pelo bem da humanidade”

Belo contexto para começar um email em corrente, porém o link no final realmente atiçou minha curiosidade. Eu estava tento um dia tedioso quando eu recebi o email, então eu me certifiquei se meu anti vírus estava ligado e cliquei.

Era um site muito genérico. Dava a impressão de que o criador não deu a MINIMA importância em fazê-lo parecer profissional.O autor parecia não dominar o inglês, e na pagina principal havia um longo e entediante texto que eu não me lembro muito bem como era.

O site tinha um slogan estranho (que ninguém atualmente parece ter descoberto o significado dele), o qual era:

Medo do Escuro

Sabe quando você apaga a última lâmpada... Está no escuro, e sente aquele frio na espinha?
Não importa se é criança, adulto ou velho...
Você sempre pode sentir o ambiente esfriar de repente, como se seu sangue gelasse só por causa do escuro...
A maioria das pessoas deixa a lâmpada do quarto acesa... E se foca na claridade do caminho de volta pro quarto, outros vão correndo... Mas poucos olham pra trás...
Você sabe que não tem nada lá no escuro... Ou pelo menos sua mente quer pensar assim...
Mesmo quando está deitado, e ouve barulhos estranhos, você ignora, você sabe que pode ser o vento, ou algum objeto em falso que caiu...
Mas lá no fundo... Você tem medo de olhar e perceber alguma coisa te olhando de volta...
As crianças tem este medo... Mas vão crescendo sendo treinadas para acreditar que não há nada lá...

Eu acreditava...

Naquela vez que fui ao banheiro, tinha esquecido de ligar a luz do corredor...
Era desnecessário, eu sabia o caminho...
Fui olhando pro chão, com medo de tropeçar em algo no escuro...
Estava frio... Achei normal, afinal era noite...
Enquanto fazia o que tinha ido fazer no banheiro, senti um pequeno calafrio...
Ri sozinho... Estava realmente apertado, era um alívio!
No caminho de volta, ouvi um estalo atrás de mim, e me arrepiei...
Nessa hora nosso cérebro começa a procurar uma explicação pro que está havendo...
Comecei a vasculhar minha mente, tentando lembrar se eu tinha trancado a porta... Tinha. Tinha certeza que sim.
E essa é a hora em que você pensa o quanto seu medo é ridículo, e olha pra trás pra provar a si mesmo que está errado... Eu olhei...

Caso Alice (Vocaloid - Alice Human Sacrifice)

O Caso Alice permanece, até hoje, como sendo um dos crime mais estranhos e misteriosos do Japão. De 1999-2005, aconteceu uma série de cinco assassinatos, que não teriam relação nenhuma entre si se não fosse por uma carta à polícia que o assassino deixava na cena do crime. Ele deixava uma carta de baralho (O tipo de carta variava com o crime) em cada local, com o nome “Alice” escrito com o sangue da vítima. Poucas pistas foram encontradas, e eventualmente o caso foi trancado.

Abaixo, estão os detalhes de cada crime:

Sasaki Megumi:

A primeira vítima foi Sasaki Megumi, uma moça de 29 anos, dona de um restaurante.
Aqueles que a conheciam, descreviam Megumi como uma moça de temperamento curto e
uma língua afiada quando lidava com os empregados. Ela era bem conhecida pelos seus clientes graças à sua dedicação ao trabalho e excelente comida. Fora do ambiente de trabalho, Megumi era muito sociável e ia à muitas festas.

E foi depois de uma destas festas que ela desapareceu. Megumi decidiu voltar para casa à pé, sendo que estava na casa de um amigo que ficava há apenas uma quadra de distância, e ela estava um tanto quanto bêbada para dirigir. Algumas pessoas lhe ofereceram carona, mas ela negou. Megumi foi vista saíndo da festa à uma da manhã, e foi a última vez que ela foi vista com vida.

Avenida Ocean, 112, Amityville

A casa número 112 da Avenida Ocean era um moradia como outra qualquer, até que um dos crimes mais hediondos da história ocorreu nesse local, transformando-o em um sinônimo de mistérios e assombrações.


Em 1965 a família Defoe comprou uma bela e grande casa na Avenida Ocean, onde tinham a esperança de viverem bem e confortavelmente por muito tempo. Era uma casa linda, com uma arquitectura ao estilo Holandês, bastante espaçosa e com uma casa de barcos, um anexo com ligação ao rio. Infelizmente a alegria dessa família não durou, pois mal sabiam que um assassino morava junto com eles...

Parecia o Sonho Americano: uma casa de sonho, família feliz e muito dinheiro para gastar. Os DeFeo até colocaram uma tableta em frente á sua casa onde se podia ler ”Grandes Esperanças”, como que um símbolo da fortuna da família. Mas havia um lado negro escondido na família, o filho mais velho do casal, Ronald "Butch" Júnior, consumia drogas e praticava pequenos roubos, o que levava a frequentes e violentas discussões com o seu pai.

Mr. Widemouth


Durante minha infância minha família era como uma gota d'água em um vasto rio, nunca permanecia no mesmo local por muito tempo. Nós nos estabelecemos em Rhode Island quando eu tinha oito anos, e lá ficamos até eu ir para uma faculdade em Colorado Springs. Maioria das minhas memórias estão enraizadas em Rhode Island, mas há fragmentos no fundo do meu cérebro que pertence a varias casas que vivemos quando eu era muito mais novo.

Maioria destas memórias são sem sentido e não são claras - perseguindo um outro garoto em um quintal em uma casa na Carolina do Norte, tentando construir uma jangada para flutuar no lago atrás do apartamento que alugamos na Pensilvânia, e por aí vai.  Mas tem esse set de memórias que eu lembro claro como a água, como se tivesse acontecido ontem. Eu constantemente ficou divagando se essas memórias não foram apenas sonhos lúcidos produzidos por uma um longa gripe que eu tive naquela primavera, mas no fundo do meu peito, eu sei que elas são reais.

Nós estávamos vivendo em um casa nos arredores da metrópole de New Vineyard, Maine, população 643. Era uma estrutura larga, especialmente para uma família de três pessoas. Havia alguns quartos que eu nem sequer tinha entrado ainda nos cinco meses que morávamos lá. De certa forma era desperdício de espaço, mas era a única casa disponível no mercado naquela época, pelo menos era a uma hora de distancia do trabalho de meu pai.

O Incrivel Mundo De Gumball


Já vou logo avisando: quem veio à essa página esperando ver episódios perdidos que envolva "cenas assustadoras" com "hiper-realísticas tomadas do cadáver de um garoto", um episódio perdido que nem mesmo o criador do programa sabe que existe... esse não é o texto que procura. Antes, porém, de escrever o episódio, seria interessante vocês saberem um pouco da história deste episódio. Bem, acho que vocês já devem conhecer o desenho chamado de "O Incrível Mundo de Gumball" (The Amazing World of Gumball, no original), um desenho bem recente do Cartoon Network. Sendo do Cartoon Network, você não espera um desenho com temas muito adultos, como são South Park, Family Guy, e os Simpsons. Bem, esse é o novo Gumball. Acontece que antes de o programa ficar assim, o criador do desenho (Ben Bocquelet) imaginava roteiros bem próximos ao dos desenhos citados acima. Antes de lançarem o piloto, Bocquelet e a equipe reunida por ele para produzir os primeiros episódios, já haviam escrito diversos Storyboards. São esses os tais "episódios perdidos". Nada mais do que exemplares de um "Incrível Mundo de Gumball" que, por razões que desconheço, nunca chegaram à TV, dando espaço à uma versão mais familiar do desenho. Mas o que tenho a ver com isso? Um amigo meu (o qual chamarei de Paul) integrava essa equipe de edição. Na verdade, o nome dele era Paulo, mas na hora de pronunciar esse termo, todos da equipe, por não estarem acostumados ao Português, o chamavam de Paul, que ele acabou adotando como "nome artístico". Como éramos amigos bem próximos, ele me confiou exemplares dos storyboards que ele e a equipe produzira. Ele me disse que era só o que tinham sido feitos sobre os episódios, agora se um vídeo de verdade chegou a ser produzido isso eu não sei. Ele disse que não, mas ele não é conhecido como o "Paul, O Honesto". De qualquer forma, tudo que eu tenho são os storyboards, mas eu garanti a ele que não botaria nenhuma foto deles na internet. Mas como não garanti nada sobre transcrever suas histórias...

Richard Ramirez – The Night Stalker


Era noite do dia 28 de junho de 84, quando Jennie Wincow andava calmamente pela rua de sua casa, como sempre ela chegou e abriu a porta, mas antes que a fechasse alguém empurrou com força, derrubando a velhinha no chão. Quando ela pensou em abrir a boca para gritar, um homem entrou e deu um soco nela ainda no chão. O atacante rapidamente fechou a porta e sorriu.

Primeiro ele levou a mulher até o sofá e bateu na velhinha até quase desmaiar. Mas isso não era o bastante, assim ele arrancou a roupa da velha e a estuprou ali mesmo, mais de uma vez. A mulher estava totalmente apagada quando ele levantou-se e foi até a cozinha, onde pegou maior faca que encontrou. De volta ao sofá ele subiu em cima dela e lentamente enfiou a faça no pescoço, cortando profundamente enquanto o sangue jorrava para todos os lados. Após quase arrancar a cabeça de Jennie, o matador saiu da casa, no meio da noite, como uma sombra.

John Wayne Gacy Jr


Toda vez que a noite caia sobre a cidade, John vestia sua roupa de palhaço, maquiava-se com todo cuidado do mundo e sorria para o espelho antes de sair, pois na sua volta ele já não seria o mesmo.

Depois de pronto, John pegava seu velho furgão colorido e saia pelas ruas despreocupado, indo atrás de algum menino que estivesse procurando carona ou andando sozinho por uma rua escura. Era nessas horas que ele parava seu carro e perguntava com um sorriso no rosto se o garoto queria carona para casa ou mesmo para um bar.

John gostava de trata-los muito bem, mas gostava mais ainda quando forçava os garotos a tirarem sua roupa e ver seus corpos nus. Afinal todo seu esforço era para isso, para aquele momento de prazer com os meninos que choravam para serem liberados, porém os coitados não sabiam que uma vez dentro daquela casa dele seu destino estava traçado. E sua morte seria sofrida e lenta, pois depois do sexo vinha à tortura que durava muitas horas, às vezes uma noite inteira…

Homem Quântico


Jonathan Felix sentou em sua cadeira após fixar os últimos eletrodos na sua cabeça. Ele estava agora reclinado em cima do projeto científico privado mais caro do mundo, e hoje a intenção era ultrapassar uma das barreiras finais, concluir o seu sonho e de muitos outros. O objetivo desse projeto era abrir a mente do homem para que ele possa perceber as outras dimensões do espaço, além das meras 3.

O resultado final ainda é um ponto de contestação, mas se suspeita que o indivíduo que for induzido e incumbido de tal poder seja capaz de estudar todos os universos possíveis criados a a partir de suas ações, e que pudesse escolher qual seguir. Um homem que escolhesse cada passo seu por já saber seu resultado.

Felix agarrou aquela oportunidade, porque era jovem e cabeça dura. Nos seus vinte e poucos anos e com uma mente brilhante para física quântica, ele estava confiando nessa oportunidade para aplicar seus conhecimentos teóricos de médium em aspecto físico. Ele deu o aval final para os técnicos do outro lado do vidro de segurança ativarem os primeiros estágios da máquina. O microfone da sua sala passava cada palavra que ele dizia para os técnicos.

"Se eu vi além do que os outros, é porque estive nos ombros de gigantes." Uma piada como essa para seus colegas seria um pouco inapropriada agora, ele pensou com um leve sorriso.

Demônio da Caixa

Em 2001 um marceneiro comprou uma caixa com inscrições em hebreu numa venda de garagem, de uma sobrevivente do Holocausto. Sua neta afirmava que na caixa tinha um Dibbuk, um Demônio da mitologia hebraica.

O marceneiro deixou a caixa no porão onde lâmpadas explodiram sem explicação, vozes falavam palavrões e um cheiro de xixi de gato apareceu.

Ele deu a caixa a sua mãe, que sofreu um derrame 5 minutos depois. Depois ele começou a ter pesadelos em que era perseguido por uma mulher horrorosa.

Em 2003, desesperado, ele vendeu a caixa no ebay pra um estudante. Esse logo começou a ter os mesmos pesadelos, começou a perder o cabelo e ter manchas na visão periférica!

ICarly: O episódio perdido


iCarly é um programa semanal muito popular na TV e na internet. Eu costumava gostar muito dele, e assisti-lo toda a semana. Isto é, até “isto” acontecer...

Em um sábado a noite, decidi entrar na página da iCarly para assistir alguns episódios. Procurando no site, eu achei um episódio que parecia muito estranho. O episódio se chamava "lastshow (ultimoprograma)". Curioso para assisti-lo, apertei play.

O episódio começa normalmente, nada fora do normal.

Então, a cena vai para o estúdio iCarly. Freddy diz a frase de sempre "EM 5, 4, 3, 2 ..." e de repente, a cena muda para o teto do estúdio, onde eu consigo ver um grande buraco que se expande constantemente.

PÚCA

Púca, também chamado pelos nomes Phooka, Phuca, Pwca, Puka, Pouque, Glashtyn e Gruagach, é uma criatura travessa da mitologia e do folclore irlandês e galês, é uma das várias espécies de elfos e fadas que se divertem em atrapalhar e até causar a morte de viajantes.

A criatura é uma fada mitológica, muito boa em mudar de formas, podendo se transformar em cavalos, coelhos, cabras, goblins e cachorros. Porém, independente da forma que a púca assuma, sua pelagem é sempre escura, e são muitas vezes representados como cavalos pretos com olhos alaranjados. Eles têm o poder da fala humana e são conhecidos por dar bons conselhos, mas também gostam de confundir os humanos. Púcas gostam de charadas e são muito sociáveis, e também gostam de pregar peças em pessoas distraídas e crianças.

O púca pode ser considerado bom ou mau. Se voce respeitá-lo eles são bem neutros. As pessoas mais velhas costumam dizer que os Púcas eram muito numerosos ... há muito tempo. .., eram maus... aparência negra e só atraiam coisas ruins ... as vezes apareciam na forma de potros selvagens, com correntes penduradas sobre eles. E faziam de tudo para prejudicar os viajantes desatentos. Além disso, as crianças sempre eram alertadas para não comer amoras sobreamadurecidas, porque este era um sinal de que o púca estavaria por perto.

Procissão das Almas


Uma velha, que vivia sozinha na sua casa, e por não ter muito que fazer, nem com quem conversar, passava a maior parte do dia olhando a rua através da sua janela, coisa muito comum no interior. Até que numa tarde quando estava quase anoitecendo ela viu passar uma procissão, todos estavam vestidos com roupas largas brancas (como fantasmas) com velas nas mãos e ela não conseguia identificar ninguém, logo estranhou, pois sabia que não haveria procissão naquele dia, pois ela sempre ia à igreja, e mesmo assim quando havia alguma procissão era comum a igreja tocar os sinos no inicio, mas nada disso foi feito.

E a procissão foi passando, até que uma das pessoas que estava participando parou na janela da velha e lhe entregou uma vela, disse a velha guardasse aquela vela e que no outro dia ela voltaria para pegá-la .Com a procissão chegando ao fim a velha resolveu dormir, e apagou a vela e guardou-a. No outro dia, quando acordou, a velha foi ver se a vela estava no local onde ela guardou, porém para sua surpresa no local em que deveria estar a vela estava um osso de uma pessoa já adulto e de uma criança.

Diário de Um Psicopata


Era dia, uma bela manhã por sinal. Os raios de sol entravam por minha janela e batiam em meus olhos. Ainda deitado, pensava em tudo, me imaginava como em um sonho, eu sabia que precisava fazer aquilo.

Foram duas semanas planejando tudo. Ela se chamava Isabele. Era linda, tinha apenas 23 anos mas já era uma mulher completa. Sua pele branca parecia de cera, seus cabelos morenos faziam um contraste perfeito e seu sorriso... Aaah seu sorriso... Ele me alucinava, me chamava, ele me atraia como um beija-flor a procura de néctar, era como se seu sorriso me convida-se para tudo aquilo. Eu tinha certeza, esse era meu destino. Era esse o destino dela.

Ao cair da noite, não tarde ainda, esperei-a sair do trabalho. Como de rotina ela segurava seu jaleco, tão branco quanto sua pele. Estava inquieto, sentia a adrenalina tomar conta do meu ser, há aquela altura não podia mais voltar atrás, já estava tudo acertado. Ao passar perto do meu carro, num ato rápido e inesperado, imobilizei-a e com uma adaga a obriguei a entrar no banco de carona. Amarrei então seus pulsos e pés para evitar uma possível fuga. Na rua não havia ninguém, não era possível que escapasse.

Caminhos da Mente


Em 1983, um grupo de cientistas profundamente religiosos conduziu um experimento radical num local desconhecido. Os cientistas haviam teorizado que um ser humano sem acesso a qualquer sentido ou forma de receber estímulos seria capaz de perceber a presença de Deus. Eles acreditavam que os cinco sentidos obscureciam nossa percepção da eternidade, e sem eles um humano poderia de fato estabelecer contato com Deus através dos pensamentos.

Um homem idoso, que havia declarado não ter “nada mais pelo que viver”, foi o único voluntário para o teste. Para privá-lo de todos os sentidos, os cientistas realizaram uma complexa operação, na qual todas as conexões dos nervos sensoriais com o cérebro foram cirurgicamente interrompidas. Apesar do voluntário ainda possuir pleno controle muscular, não possuía mais visão, audição, paladar, olfato ou tato. Sem qualquer maneira de se comunicar com ou até mesmo notar o mundo ao seu redor, ele estava sozinho com seus pensamentos.

Lá Fora...


Mamãe, mamãe! Tem alguma coisa lá fora… - Dizia a garotinha, olhando pela janela, vendo o vento balançar os galhos das árvores e algo se mover entre elas. - Sim, filha. As árvores, o vento, a lua… - Respondera a mãe, céticamente, enquanto arrumava as almofadas no sofá e ligava a tv, logo em seguida sentando-se.   - Não, mamãe! Tem alguma coisa lá fora! - Insistiu a garotinha, olhando para a mãe e então retornando o olhar para a janela, enquanto começava a chover. - Deve ser algum animalzinho, querida. Agora sente-se aqui com a mamãe. - Disse, dando leves tapinhas no lugar vago no sofá. A menina correu em direção do mesmo e então sentou-se, deitando a cabeça no ombro da mãe. Distraíram-se com a tv, enquanto a mãe acariciava as mechas loiras da garotinha, que já dormia. De repente, ouvira um barulho vindo do exterior da casa, e automaticamente recordando-se do que a menininha disse. Virou o rosto e então fixando o olhar na janela, vira marcas de mãos surgirem no vidro. Seu corpo estremeceu de cima à baixo, sua espinha congelou e seu coração quase pulara fora do peito. Respirou fundo e então fechando os olhos, repetiu para si mesma que ela estava apenas imaginando, que estava impressionada por causa do barulho. E evitou olhar para a janela outra vez.

Fonte: http://www.tumblr.com/

Luzes à Distância

Um jovem, sofrendo de insônia, tentava dormir uma noite. Depois de vários minutos tentando, ele ainda estava acordado e ia ficando cada vez mais tarde. Ele se virou na cama e olhou pela janela. Do lado de fora, havia dois postes de luz ao longe, o rapaz focou seus olhos nas luzes e logo dormiu.

Na noite seguinte, o jovem teve outra crise de insônia e mais uma vez estava tentando pegar no sono. Lembrou-se da solução que encontrara na noite anterior e se virou para a janela, encontrando os dois pontos de luz. Logo, ele estava dormindo tranquilamente mais uma vez.

Na outra noite seus problemas de sono estavam de volta, mas ele simplesmente olhou pela janela, fitando os postes de luz e descansou seus olhos neles. Nesta noite, eles estavam piscando a cada alguns segundos. O rapaz pensou que as lâmpadas iam se queimar e quando ele finalmente dormiu, as luzes finalmente se apagaram.

Love Story


Essa é uma história de amor. Por favor, tentem se lembrar disso enquanto lêem. Amor. É tudo sobre Julie. Soube do momento em que pus meus olhos nela que faria qualquer coisa para tê-la. Felizmente, não tive de trabalhar tão duro. Podia ver em seus olhos na primeira vez que nos falamos e chamei-a para sair. Ela também me queria e disse sim antes mesmo de eu terminar de falar. Os olhos dela brilhavam como diamantes. É uma das coisas que eu mais gosto nela.

Nos apressamos em dizer “Eu te amo”, logo após só alguns encontros, mas nós sabíamos.

Minha casa estava sempre cheia dos meus amigos idiotas e então começamos a falar sobre arrumar um lugar para nós sozinhos. Meu melhor amigo, Greg, não ia muito com o a cara dela nem com o fato de estarmos nos mudando, mas ele entendia. De qualquer modo, sempre saíamos todos juntos para ver filmes, jogar boliche, coisas normais desse tipo.

Bem, recebi uma ligação dos pais da Julie umas noites atrás. Eles me disseram que receberam uma ligação da Polícia dizendo que ela estava havia sido atingida por um bêbado que atravessou a faixa de pedestres, e agora se encontrava no hospital. De qualquer modo, corri desesperadamente ao hospital e no meio do caminho Julie me ligou, para me desesperar mais ainda, mas quando atendi e ela me disse que estava tudo bem, haviam sido só umas escoriações e cortes, relaxei e me acalmei um pouco. Não me importo em admitir que ainda assim havia chorado um pouco de preocupação. Ela me contou que também já estava recebendo alta e assinando uns papéis, e logo poderia ir buscá-la.

Jeff Voltou

A história a seguir foi escrita por um detetive, depois de analisar vídeos de evidencias, relatos de testemunhas, e o vídeo que alegou ter assistido desenvolveu uma história.

Esta é a história.

Era tarde da noite numa típica terça-feira. Eu estava navegando na internet. Mais cedo nesse dia eu tinha tomado dois cafés grandes de uma loja local, e eu não conseguia dormir. Depois de assistir vários e vários vídeos inúteis no Youtube, eu me deparei com um título estranho na barra de vídeos relacionados. Nenhum dos caractéres era da língua inglesa, entanto, as formas dos caracteres se pareciam com outras palavras, embora eu não conseguia decifrá-las. Estava curioso, então cliquei no vídeo. De repente comecei a ouvir vários rangidos e gemidos vindo da minha casa. Eu me virei e peguei um taco de beisebol próximo a mim, estava pronto para uma batalha fatal. Para minha surpresa, não havia intrusos na casa, nem qualquer sinal de arrombamento. Todas as portas também estavam trancadas. Imaginando que estava apenas ficando louco, encolhi os ombros e preguiçosamente andei de volta pro meu quarto.

Eu gastei muito dinheiro em uma banda-larga boa, então estava perplexo de que o vídeo que eu tinha clicado ainda não havia carregado. Eu impaciente, cliquei no vídeo mais quatro vezes na tentativa de o fazer carregar logo. Depois do que pareceu uma eternidade de espera, a página estava finalmente carregada. O fundo era preto e isso escondia completamente todo o texto, menos o nome de usuário de quem fez upload do vídeo e a descrição, os dois eram em vermelho. O nome de usuário era "NightmareSLUMBER" e a descrição era:

Minecraft - Herobrine

Recentemente criei um novo mundo single-player no Minecraft. Tudo estava normal no começo, comecei a cortar árvores para criar uma Mesa de Trabalhos. Notei algo se mover na densa neblina (eu tenho um computador muito lento, por isso tenho que jogar com a área de renderização no mínimo). Eu pensei que era uma vaca, então fui atrás dela, esperando pegar couro para fazer uma armadura.

Não era uma vaca. Mas quando olhei pra atrás, tinha um outro personagem com a skin padrão, mas seus olhos estavam vazios. Eu não vi nenhum nome em cima dele, e chequei duas vezes pra me certificar de que não estava no modo multiplayer. Ele não ficou lá muito tempo, ele olhou pra mim e rapidamente correu para dentro da neblina. Eu estava bastante curioso, mas ele tinha ido embora.

Eu continuei no jogo, sem ter certeza do que pensar sobre isso. Conforme fui explorando o mundo, vi coisas que pareciam estar fora do lugar, não parecia que foi simplesmente o gerador de mapas que fez; tinha túneis 2x2 nas montanhas, pequenas pirâmides perfeitas feitas de areia no oceano, e nos pântanos as árvores estavam com todas as folhas cortadas. Eu sempre achava que tinha visto o outro "jogador" na densa neblina, mas eu nunca consegui dar uma melhor olhada nele. Eu tentava aumentar a área de renderização sempre que achava que tinha o visto, mas não adiantou.

Eu salvei o mapa e fui em fóruns para ver se mais alguém tinha encontrado esse pseudo-jogador. Não havia ninguém. Criei meu próprio tópico, dizendo do homem e perguntando se alguém teve uma experiência semelhante. O post foi excluído em cinco minutos. Tentei de novo, e o tópico foi deletado mais rápido ainda. Recebi uma PM (mensagem pessoal) do ursername "Herobrine" contendo uma palavra: "Pare." Quando fui olhar o perfil do Herobrine, a página deu erro e não podia ser encontrada.

Evaporação

Água,

A água é a essência da vida. Ela nos alimenta, irriga as nossas culturas e é bebida pelo gado. A água é vital para todas as formas de vida conhecidas. Contamos com ela para lavar os nossos carros, limpar a nossa comida e produzir o nosso poder. Ela tem um efeito sobre quase todas as atividades da vida cotidiana. Sem ela, a civilização vai cessar funções. Governos entrariam em colapso, aleijados por um inimigo invencível - a seca. Seria uma questão de dias - não mais de uma semana - antes que todos os seres vivos na Terra perecessem. Em suma, não podemos viver sem água.

Dois dias atrás, nós fomos forçados a começar a fazer exatamente isso.

Eu não sei como começou. Ninguém que sobrou sabe. Durante as horas iniciais de que, as teorias iam desde a pouco plausíveis, como uma nova forma de gases de efeito estufa, ao ridículo, como um novo tipo de luz, que somente evapora a água . Lembro-me dessas horas com carinho - a verdadeira enormidade do que havia acontecido ainda não havia se transformado em histeria e ainda não tinha agarrado a raça humana.

O que aconteceu?

GLinux


Eu tenho que admitir, eu sou um idiota total. Eu gosto de brincar com diversos aplicativos e sistemas operacionais, então, naturalmente, eu aprendi a amar o Linux. Eu não posso te dizer quantas distros diferentes, boas e ruins que eu tentei mas, houve uma distribuição de Linux que eu não vou esquecer, no entanto, e até hoje, estou chocado, perturbado e confuso quanto à forma como ele existe, e por que alguém iria querer isso. Conheça GLinux.

A primeira vez que deparei com ele quando tentar encontrar uma distro nova em sites de torrent diferentes. Me deparei com um arquivo com o nome "GLinux10.iso" (Presumivelmente edição mais recente, 2010). Notei que a ISO foi de 6 GB. A maioria das distribuições são menos de 1GB.  Eu pensei que esta era uma distro que eu ouvi falar que conta com emuladores de videogames e ROMs nele, daí o nome "GLinux". G para jogos. Eu gravei no CD e dei o boot. Fui recebido com um logotipo vermelho de baixa resolução, e várias questões diferentes como a data, a minha localização, etc cheguei a uma questão chamada "Guerra favorita", o que me assustou. Eu não tinha idéia do que fazer, então eu cliquei o mais recente no Iraque. O PC reiniciou, e fui recebido com o que pode ser a coisa mais nojenta, perturbando que eu já vi.

O Demônio do Quarto

Era uma pequena cidade que agora brilhava com suas luzes noturnas, na escura noite aveludada e negra. Na mais alta, nobre e bela arte da cidade, havia uma rua demasiado bonita, com suas grandes e elegantes casas. No fim da rua, erguia-se bonita e até imponente a maior das casas da rua, cercada por uma bela cerca preta de ferro.

Na frente do portão, estava um homem, admirando a casa. Por toda a sua infância, Charles admirara a casa, e prometera a si mesmo que um dia a compraria. E esse dia havia, finalmente, chegado! Charles havia adquirido a casa neste mesmo dia, durante a tarde.

Deslizou a chave para dentro da fechadura do portão e o abriu. Ele estalou depois se abriu suavemente, sem ranger. Charles caminhou lentamente pelo caminho de pedras no jardim. Ele sentia frio, porém a beleza do jardim o prendia ali fora. Vislumbrou a lua através dos galhos secos de uma árvore, e isso o fez sentir-se feliz. Havia acabado de realizar seu sonho, ficaria feliz pelo menor arrulhar de um pombo.

Chegou à pesada porta de carvalho da casa e começou a apreciar a maçaneta redonda e detalhada. Era bonita. Havia entalhes nela que a faziam parecer o sol, e ela brilhava tanto num bonito tom de dourado que parecia ter sido recentemente polida. Charles abriu a porta e ela girou nas dobradiças sem o menor sinal de ruído. "Essa casa é perfeita", pensou o homem, e adentrou a sala alegremente, tão feliz que parecia flutuar.