Maria Renata Saenger- A Freira Satânica

Maria Renata Saenger von Mossau (1680 - junho de 1749) foi uma freira da Baviera executada por heresia, bruxaria, apostasia e satanismo, uma das muitas pessoas executadas por esta categoria de crime na Alemanha e na Europa. Maria Renata Saenger von Mossau (1680 - junho de 1749) foi uma freira da Baviera executada por heresia, bruxaria, apostasia e satanismo, uma das muitas pessoas executadas por esta categoria de crime na Alemanha e na Europa.

Renata foi admitida no convento de Unter-Zell, na Baviera, em 1699, onde ficou conhecida pela sua devoção religiosa e foi nomeada sub-prioresa em 1740. Em 1746, uma das freiras, Cecília, começou a sofrer de convulsões e afirmou ter sido possuída por demônios e “poltergeists”. Os ataques espalharam-se por todo o convento e pouco depois várias freiras passaram a ter ataques histéricos. Uma delas morreu e, no seu leito de morte, acusou Renata de ser satanista e maga.

A igreja levou depois a cabo um exorcismo no convento, durante o qual as freiras se rebolaram no chão e "uivaram e se contorceram como gatos raivosos." Durante uma busca efetuada no quarto de Renata, foram encontrados venenos, pomadas e roupas estranhas.

Renata confessou a um padre Benedito que era satanista e bruxa, que aos sete anos se tinha entregue a Satanás, aos doze se tornara prostituta e aprendera magia e a fazer venenos. Em 1694, Maria foi baptizada numa missa negra e, em 1699, entrara no convento apenas com o intuito de eliminar as "noivas de Cristo". Afirmava ser uma alquimista talentosa e utilizou o veneno Aqua Tofana, criado por Giulia Tofana em Nápoles. Disse que se sentia arrependida, mas mesmo assim a igreja julgou-a e condenou-a por feitiçaria, heresia, bruxaria, apostasia e satanismo, depois entregou-a às autoridades seculares para que fosse executada. Foi decapitada e depois queimada em junho de 1749.

Mistérios de Halloween

Halloween é a única noite do ano em que ter medo se supõe ser uma boa diversão. No entanto, em meio a todas as atividades inofensivas como doces ou travessuras, às vezes as coisas realmente assustadoras e perturbadoras podem acontecer.

31 de outubro foi a data de alguns terríveis assassinatos e desaparecimentos inexplicáveis ocorreram, ​​que são muito mais aterrorizante do que qualquer fantasma, monstro, ou bruxa.

Porque eles aconteceram no Dia das Bruxas? Os mistérios dessa série têm uma aura extra de bizarrice para eles, e permanecem sem solução até hoje.

O desaparecimento de Hyun Jong

Em 2001, Hyun Jong era uma estudante sul-coreana de 21 anos vestida com um traje de coelho numa festa de Halloween em uma boate em State College. Depois de deixar o clube, Hyun passou as próximas horas com seus amigos antes de ser deixada em seu apartamento às 4h00. 

Esta foi a última vez que alguém a viu com vida. Depois que foi dada como desaparecida, foi realizado uma busca em seu apartamento. Não havia nenhum sinal de qualquer luta, mas muitos de seus pertences, incluindo os cílios postiços de seu traje, estavam lá, o que indica que ela tinha ido para dentro de casa depois de ser deixada. Mas o que aconteceu com ela depois?

Pouco tempo depois, uma testemunha relatou ter visto uma mulher parecida com Hyun no bairro Chinatown da Filadélfia. Esta mulher estava dentro de um veículo com um homem não identificado e gritando por ajuda. A história ficou bizarra em 2003, quando um homem chamado Hugo Marcus Selenski foi preso depois que os restos mortais de cinco pessoas foram encontrados enterrados em seu quintal.

Mesmo que nenhum destes restos pertenciam a Hyun, um informante disse à polícia que Selenski e um cúmplice chamado Michael Jason Kerkowski Jr. a tinham raptado. Depois que Hyun foi estuprada e assassinada, os dois homens supostamente enterraram seu corpo em outro local.

 Os restos mortais de Kerkowski foram encontrados no quintal da Selenski, e o informante afirmou que Kerkowski foi assassinado por manter as orelhas de traje de coelho de Hyun como uma lembrança. Até o momento, não foram encontradas evidências que indicam que Selenski teve relação ao desaparecimento de Hyun, mas em janeiro de 2014, os restos queimados de mais uma dúzia de pessoas foram encontrados enterrados na sua propriedade. Os restos mortais foram para análise e ainda não se sabe se o caso foi resolvido.

O assassinato do Nima Louise Carter

Na noite de Halloween de 1997, os pais de Nima Louise Carter, de 19 meses de idade, colocaram o bebê  dentro de seu berço em sua casa em Lawton, Oklahoma. Na manhã seguinte, os pais de Nima ficaram chocados ao descobrir que ela estava desaparecida. As janelas do quarto de Nima estavam trancadas, eles acreditavam que seu sequestrador estava escondido no armário e levou a criança para fora da casa enquanto seus pais estavam dormindo na sala de estar. 

Um mês depois, um grupo de crianças estavam brincando em uma casa abandonada quatro quarteirões de distância da casa da família Carter. Quando eles abriram a geladeira, entraram em um choque horrível quando o corpo em decomposição de uma criança caiu para fora. A criança foi identificada como Nima Louise Carter, que morreu de asfixia.

Um crime semelhante havia ocorrido em abril de 1976, em Lawton, quando o par de gêmeas de três anos de idade, Maria e Tina Carpitcher, foram atraídas para fora de sua casa por uma mulher jovem e forçosamente confinadas dentro de uma geladeira em uma outra casa abandonada. Quando as irmãs foram encontradas dois dias depois, Maria tinha sufocado, mas Tina conseguiu sobreviver. Tina identificou sua sequestradora como uma babá adolescente local chamada Jacqueline Roubideaux. 

No entanto, pela idade da criança fez o seu testemunho não confiável e não havia evidências suficientes para prestar queixa na época. Jacqueline Roubideaux era babá de Nima Louise Carter. Ela era uma suspeita óbvia após o assassinato de Nima, mas, mais uma vez, não havia nenhuma evidência para implicá-la. Anos mais tarde, Roubideaux foi finalmente acusada de assassinato de Maria Carpitcher e condenada à prisão perpétua. Ela morreu na prisão de câncer de fígado em 2005, mas nunca admitiu o assassinato ainda não solucionado de Nima Louise Carter.

O assassinato de Ronald Sisman e Elizabeth Platzman

Em algum momento durante as horas iniciais da manhã do Dia das Bruxas de 1981, um casal de Manhattan chamados Ronald Sisman e Elizabeth Platzman foram assassinados no seu apartamento, que foi localizado perto de Greenwich Village. O casal foi severamente espancado antes de ser baleado na cabeça e o apartamento foi completamente saqueado. 

Teve rumores de que Sisman era envolvido com drogas, por esse motivo as autoridades acreditavam que ocorreram os assassinatos. No entanto, o caso teve um giro singular quando um informante da prisão afirmou que um de seus companheiros de prisão, de alguma forma previu semanas antes o crime. Esse detento acabou por ser outro senão o notório assassino “Filho de Sam”, David Berkowitz.

Em 1977, Berkowitz foi condenado por uma série de tiroteios que tirou a vida de seis vítimas e deixou outros sete feridos. Sempre houve especulações de que Berkowitz estava envolvido com uma seita satânica e não cometeu todos os assassinatos que foram chamados de “Filho de Sam” por conta própria. De acordo com o informante, Berkowitz havia dito que as pessoas do culto planejavam entrar numa residência perto de Greenwich Village no Dia das Bruxas. 

Eles iriam realizar um assassinato para um ritual, atirando na cabeça de um casal e saqueando o local para remover provas incriminatórias. Quando questionado sobre isso, Berkowitz afirmou que Sisman possuía provas de um dos tiroteios denominados “Filho de Sam” planejava entregá-las às autoridades para evitar algumas acusações de drogas. Enquanto não encontraram evidências para apoiar as alegações de Berkowitz, ele forneceu uma descrição assustadoramente precisa do apartamento de Sisman.

Ninguém sabe se os assassinatos de Sisman e Platzman tinha a ver com o caso de “Filho de Sam”, mas eles ainda estão sem solução.

O assassinato de Chaim Weiss

Chaim Weiss era um menino judeu ortodoxo de 15 anos que freqüentava Mesivta em Long Beach, uma escola de ensino médio de Nova York. A manhã após o Dia das Bruxas, em 1986, toda a escola ficou horrorizada quando Chaim foi encontrado morto no chão de seu quarto, no dormitório.

 Ele havia sido espancado até a morte depois de um forte golpe no crânio e foi repetidamente esfaqueado na cabeça, mas nenhuma arma do crime foi encontrada. Como não havia nenhuma evidência de uma luta, parecia provável que Chaim foi morto em sua cama enquanto ele dormia antes de seu corpo ser arrastado para o chão.

Chaim era um menino muito querido, de modo que ninguém conseguia descobrir um possível motivo para o crime.

Havia sinais de que o assassino estava familiarizado com os costumes religiosos do judaísmo ortodoxo. Mesmo que tivesse sido uma noite fria, a janela do quarto de Chaim estava aberta, um costume que muitas vezes é feito para permitir que o espírito da pessoa falecida seja libertado.

Após o assassinato, um dos rabinos da escola deixou uma vela memorial acessa no quarto de Chaim. Dois dias depois, uma segunda vela apareceu, mas ninguém nunca admitiu ter colocado lá. Não havia sinais de entrada forçada em qualquer lugar, o que indica que o assassino pode ter sido familiarizado com o dormitório. 

Durante a noite, um outro estudante no assoalho de Chaim se lembrou que foi momentaneamente acordado com a porta de seu quarto abrindo antes de ser fechada imediatamente. Poderia o assassino ter inicialmente entrado no quarto errado por engano?


Depois de 28 anos, as autoridades nunca encontraram um suspeito ou quaisquer respostas sobre o porquê de Chaim Weiss ter sido assassinado de uma forma tão brutal.

O assassinato da menina de meias laranja

No Dia das Bruxas de 1979, o corpo não identificado de uma jovem foi encontrado em um bueiro de concreto perto da interestadual 35, nos arredores de Georgetown, Texas.

A vítima parecia estar em seus vinte anos e tinha sido abusada sexualmente antes de ser estrangulada até a morte. Parecia provável que ela foi assassinada nesse mesmo dia e a única pista de sua identidade era um anel de prata em sua mão. A vítima estava nua e a única peça de vestuário de roupa que ela tinha era um par de meias de laranja. Uma vez que o jovem nunca foi identificado, “Meias laranja” tornou-se seu apelido.

Anos mais tarde, o serial killer Henry Lee Lucas confessou o assassinato da jovem apelidade de “meias laranja.” Ele afirmou que teve relações sexuais com ela depois que estava morta. No entanto, Lucas não sabia a identidade da mulher. Ele alegou que a pegou, enquanto viajava e só lembrou que seu nome era “Joanie” ou “Judy”.

Depois de ser condenado à morte por assassinato da mulher em 1984, Lucas desmentiu sua confissão, a fim de ter a sua sentença comutada. De fato, uma investigação mais aprofundada revelou que Lucas estava provavelmente trabalhando na Flórida no dia do assassinato. Lucas era famoso por frequentemente confessar assassinatos que nunca cometeu, e ninguém tem certeza de quantas pessoas ele realmente matou.

Henry Lee Lucas morreu na prisão em 2001, mas “meias laranja” não é a única vítima de assassinato não identificada ligada a ele.

Jane do Condado

Na manhã de 01 de novembro de 1980, um caminhoneiro descobriu um corpo nu de uma adolescente junto a Interestadual 45. A vítima tinha sido abusada sexualmente antes de ser espancada e estrangulada até a morte. Uma vez que a jovem nunca foi identificada, ela se tornou conhecida como  “a Jane do condado”. 

Estima-se que ela foi assassinada várias horas antes de descobrirem o seu corpo e uma história potencialmente interessante foi se formando quando surgiram várias testemunhas relatando suas interações com a jovem na noite de Halloween.


Depois de ser deixada de um veículo por um homem não identificado em uma estação nas aproximidades de South End Gulf, Jane tinha supostamente pedido a inúmeras pessoas instruções sobre como chegar a Prisão Ellis, alegando que tinha planos de visitar um amigo lá. No entanto, quando a sua fotografia foi distribuída entre os presos da Prisão Ellis, ninguém admitiu conhecê-la. Mais tarde naquela noite, uma garçonete teve uma conversa semelhante com Jane. 

A menina disse que tinha 19 anos, que veio da área de Aransas Pass, e demonstrava que os pais não se preocupavam com ela. Uma vez que esta menina foi morta exatamente um ano após o assassinato da pessoa com apelido de “meias laranja” (veja nas edições anteriores da série), existem inúmeras semelhanças entre os dois crimes. Henry Lee Lucas foi considerado um possível suspeito, no entanto, nunca houve qualquer evidência para ligar Lucas ao assassinato, e a Jane do condado permanece não identificada.

O assassinato de Brandland

Em 1982, com 69 anos, Marvin Brandland vivia com sua esposa, Ethel, em Fort Dodge, Iowa. No Dia das Bruxas daquele ano, após distribuir doces os Brandland foram para casa. Em um momento ouviram a porta bater e foram atender, sendo surpreendidos ao ver um homem usando uma máscara. O homem mascarado disse: “Doces ou travessuras. Dê-me seu dinheiro ou eu atiro “. 

Os Brandlands pensaram que alguém estava fazendo uma brincadeira por causa da data de Halloween e tentaram remover a máscara do homem, mas ele não permitiu. Em vez disso, o homem mascarado entrou na casa e pegou uma arma. Ele exigiu que o casal o levá-se para o porão e que lhe dessem todo o dinheiro que tinha guardado em seu cofre.

Os Brandlands ficaram desconfiados pois poucas pessoas sabiam que tinha um cofre em seu porão. Por esta razão, Marvin ainda estava convencido de que um amigo ou membro da família foi simplesmente fazer uma brincadeira de Halloween com eles. 

Quando o homem mascarado levou os Brandlands através da cozinha em direção ao porão, Marvin tentou agarrar a arma. O intruso acabou atirando na garganta de Marvin, e antes de fugir da casa deixou sua máscara cair. Ethel ficou tão traumatizada pela morte de seu marido que morreu poucos meses depois.

Ao longo dos anos, um conhecido da família Brandland alegadamente se gabava de cometer o assassinato, por isso o teste de DNA foi realizado na máscara. No entanto, não havia material utilizável suficiente para um teste adequado, por isso ainda não há nenhuma evidência para indiciar este suspeito e o assassinato de Marvin Brandland permanece oficialmente sem solução.

A morte do recém nascido de Key West

Na manhã de 31 de outubro de 2004, uma dona de casa em Key West, na Florida, encontrou algo assustador na lata de lixo do banheiro feminino no saguão.

Ela pode ter pensado inicialmente que era uma brincadeira de Halloween, mas a situação tornou-se horrível quando ela percebeu que tinha encontrado o corpo de uma menina recém nascida. 

A criança ainda tinha o cordão umbilical e placenta ligado ao seu corpo, o que indica que alguém recentemente deu à luz esta menina e decidiu simplesmente jogá-la no lixo. Não demorou para as autoridades descobrir quem foi o responsável.

Horas antes, uma jovem grávida e três companheiros do sexo masculino foram vistos andando pelo saguão do hotel. Ela entrou para o banheiro das mulheres, enquanto os homens esperavam do lado de fora. Em um ponto, uma testemunha do sexo feminino foi para o banheiro e ouviu a mulher grávida gemendo dentro de uma tenda. Quando a testemunha perguntou aos três homens se sabiam quem era a mulher, um deles alegou ser seu namorado. Ele mesmo chamou o nome dela em um ponto, o que soava como “Samantha” ou “Sonia”.


A mulher grávida estava no banheiro por aproximadamente 40 minutos e um segurança a viu apertando seu estômago quando ela saiu. Quando o guarda perguntou se ela estava bem, ele foi informado que ela havia ficado doente por festejar muito. 

Os quatro indivíduos foram escoltados para fora do hotel, mas a criança não foi descoberta até de manhã. As impressões digitais, amostras de sangue, e as provas de DNA foram recolhidas do banheiro e comparadas com vários suspeitos, incluindo Casey Anthony. No entanto, a mãe e os três homens ainda não foram identificados, e ninguém foi processado pela morte do recém nascido.orte do recém nascido.

Copiado do: Minilua

Jack O' Lantern

Uma lenda irlandesa conta que em um 31 de outubro, Jack – homem alcoólatra e grosseiro – bebeu mais do que de costume e o Diabo veio para levar sua alma. Desesperado para viver, Jack implora por mais um copo de bebida. O Diabo, compadecido, concorda.

Sem dinheiro para o último trago, Jack pede ao Diabo que se transforme em uma moeda. O Diabo concorda. Mal vê a moeda sobre a mesa, Jack guarda-a na carteira, que tem um fecho em forma de cruz. Desesperado, o Diabo implora para sair e Jack propõe um trato: poderá libertá-lo se ficar na Terra por mais um ano inteiro. Sem opção, o Diabo concorda. Feliz com a oportunidade, Jack resolve mudar seu modo de agir e começa a tratar bem a esposa e os filhos, vai à igreja e até faz caridade. Mas a mudança não dura muito.

No ano seguinte, na noite de 31 de outubro, Jack está indo para casa quando o Diabo aparece reclamando por sua alma. Jack, esperto como sempre, convence o Diabo a pegar uma maçã de uma árvore. O Diabo aceita e quando sobe no primeiro galho, Jack pega um canivete em seu bolso e desenha uma cruz no tronco. O Diabo promete partir por mais dez anos. Sem aceitar a proposta, Jack ordena que o Diabo nunca mais o aborreça. O Diabo aceita e Jack o liberta da árvore.

Para seu azar, um ano mais tarde, Jack morre. Tenta entrar no céu, mas sua entrada é negada. Sem alternativa, vai para o inferno. O Diabo, ainda desconfiado e se sentindo humilhado, também não permite sua entrada. Mas, com pena da alma perdida, joga um pedaço de carvão para que Jack possa iluminar seu caminho pelo limbo. Jack põe o carvão dentro de um nabo e sai perambulando.

Sua alma penada passa a ser conhecida como Jack O'Lantern ('Jack da Lanterna'). Quem presta atenção vê uma luzinha fraca na noite de 31 de outubro. É Jack, procurando um lugar.


Amanhã eu faço uma postagem tripla como "presente"de Halloween para vcs. <3

Preço dos órgãos humanos no mercado negro.

Uma das atitudes mais bonitas de um ser humano é quando o mesmo se torna doador de órgãos, seja durante a vida ou então após a morte. O número de pacientes à espera de um novo coração ou então de rim, por exemplo, é gigantesco, por isso é importante que todos tenham consciência.

O problema é que enquanto milhares de pessoas se declaram doadores de órgãos, na intenção de ajudar quem está precisando, uma minoria faz dessa prática um comércio ilegal e absurdo, onde córneas, estômago, fígado, etc. são vendidos como peças de um açougue.



Ciente dessa lamentável situação, a Medical Transcription, que é uma das instituições mais respeitadas na área de pesquisas de ciências e saúde, resolveu realizar um levantamento sobre o preço de diversos órgãos no que é chamado de “Mercado Negro”.

Prepare-se para ficar horrorizado com o que alguns seres humanos são capazes de fazer. Lembrando que a venda de órgãos é uma prática ilegal, por isso denuncie sempre que souber de alguma informação importante.

Confira abaixo os preços dos órgãos humanos no mercado negro.

Par de olhos: R$ 2.877,00

Escalpo: R$ 1.145,00

Fígado: R$ 296.277,00

Rim: R$ 494.341,60

Artéria coronária: R$ 2.877,37

Pele (polegada): R$ 18,86

Mão e antebraço: R$ 726,418

Coração: R$ 224.529,20

Litro de sangue: R$ 635,85

Vesícula biliar: R$ 2.300,00

Caveira com dentes: R$ 2.264,16

Intestino delgado: R$ 4.752,84

Baço: R$ 958,49

Ombros: R$ 943,40

Estômago: R$ 958,49

Analisando os preços, vemos que o coração, o fígado e o rim são os mais caros da lista, visto que a dificuldade em encontrar esses três órgãos em bom estado é muito maior em relação aos demais.

Caso alguém esteja precisando eu tenho um rim em estado ótimo, aceito cartão e dinheiro! (Nada de cheques).

Fonte: http://minilua.com/

Seres Japoneses #1

Mito de Criação

Antes de tudo, o mundo era um ovo. Não existia nem céu nem terra, nem claro nem escuro. Aos poucos, do conteúdo desse ovo, o que era claro e puro foi subindo para cima, tornando-se o céu. E o que era escuro, turvo e pesado foi afundando e tornou-se  a terra.

A Trindade Primordial

O primeiro deus que surgiu foi o Ame no Minakanushi no Kami, Deus Mestre do Centro Celestial. Em segundo lugar, surgiram os deuses da geração de vida, Takami Musuhi no Mikoto (deus com qualidade yang) e Kami Musuhi no Mikoto (deus com qualidade yin). Estes deuses e outros que vieram depois habitam a terra dos deuses, Takamagahara (Campo Celestial). Ambas as expressões “no Kami” e “no Mikoto” significam “deus (ou deusa) de”. Em geral, “no Kami” denomina os deuses que estão fora da esfera da existência humana e “no Mikoto”, por sua vez, é o título dado aos deuses que de alguma forma interagem com o povo e com os quais o povo se sente mais próximo.

A mitologia japonesa divide os deuses em três tamanhos, os deuses gigantes, os deuses semi-gigantes e os deuses de tamanho natural, isto é, do tamanho dos humanos. Esses deuses de tamanho natural são, por exemplo o deus de uma montanha específica, o deus daquele rio, o deus daquele grão que é consumido ali pelo povo daquela terra, deuses esses que governam elementos da natureza e que tenham uma ligação direta com a vida cotidiana do povo.

A Criação do Japão


densyo-pic-big002

Os irmãos Izanagi no Mikoto (Deus que Convida) e Izanami no Mikoto(Deusa que Convida), deuses gigantes, recebem a ordem dos deuses superiores para criarem o Japão. Nesse momento, a terra era uma massa oceânica viscosa. Os dois deuses vão até a ponte que une o céu e a terra, a Ponte Sagrada Flutuante e dali, Izanagi mergulha a lança sagrada cravejada de pedras preciosas e mistura com ela a massa oceânica viscosa. Quando a lança é retirada do mar, o respingo de água salgada se coagula e forma a Ilha Onokoro.


densyo-pic-big003


Izanagi e Izanami olham para aquela ilha e decidem descer sobre ela. Eles se tornam os primeiros deuses a descerem na terra. Nesse momento eles decidem criar um país e primeiramente constroem uma coluna muito alta no meio da ilha, que serviria para os deuses descerem do céu para a terra. Em torno dessa coluna sagrada (Ame no Mihashira) eles constroem um palácio para eles. Izanagi e Izanami circundam a coluna sagrada, cada um na direção oposta e quando eles se encontram, Izanami, a deusa, fala primeiro, “que lindo homem você é” e depois Izanagi, o deus, responde, “que linda mulher você é”, assim se tornam marido e mulher. Da primeira união deles nasce um filho indesejado, Hiruko. O casal pergunta aos deuses superiores o que tinham feito de errado e os deuses respondem que nunca deve ser a mulher a convidar primeiro o homem. O homem precisa tomar a iniciativa. Depois disso, o casal obedece e da união deles nascem vários deuses que criam o restante do Japão e controlam e protegem o povo que habita essa terra.

densyo-pic-big005

Além dos deuses das terras, de Izanagi e Izanami também nasceram os deuses da montanha, do rio, do mar, da árvore, da grama, do vento, do grão, etc., criando assim um mundo rico e fértil. Quando Izanami deu à luz o deus do fogo Kagutsuchi, foi morta queimada pelo filho durante o parto. Izanagi, furioso, mata o filho cortando-o inteiro. Nesse momento, nascem muitos outros deuses de dentro do corpo morto de Kagutsuchi.


Amanojaku

Amanojaku (天 の 邪 悪, Literalmente. "Mal Celestial"), ou Ama no Sakugami (ア マ ノ サ ク ガ ミ, Ou 天 逆 神)

Este pequeno oni é mais bem conhecido no Japão pelo conto de fadas Urikohime  (Princesa Melão), em que uma menina deixa-o em sua casa, e ele a devora e se passa por ela usando sua carne.

Amaterasu

Amaterasu é a deusa japonesa do sol que governa sobre a Alta Planície do Céu. Seu nome significa "aquela que ilumina os céus". Ela nasceu do olho esquerdo de Izanagi. O mito mais famoso envolvendo ela ocorreu quando seu irmão Susano-o atacou o seu templo em uma fúria de bêbado e matou várias de suas sacerdotisas. Afligida por isso, Amaterasu fugiu para uma caverna e a escuridão caiu sobre o mundo. Os outros deuses atraíram-a para fora de seu esconderijo, colocando um espelho ao lado da entrada da caverna e começaram a aplaudir e gritar devido às palhaçadas de Ame no Uzume. Quando Amaterasu foi ver o que a comoção se tratava, ela foi informada que havia um novo deus e foi direcionada  a olhar para o espelho. Sem nunca ter visto seu próprio reflexo antes, ela fica fascinada com o que viu e foi atraída para fora da caverna, retornando luz para o mundo. Amaterasu é também conhecida como a ancestral da linhagem imperial.

Amatsu Mikaboshi

(アマツミカボシ, Amatsumikaboshi)

Amatsu-Mikaboshi ("Estrela agosto do Céu") é o deus do mal e das estrelas na mitologia japonesa. O Amatsu-Mikaboshi não é um deus físico, mas uma força escura que existia antes do universo. É uma força que se alimenta das emoções humanas e pode levá-los para o lado negro, degradando amor em obsessão e ciúme, a ambição ou a ganância e sede por poder. Seu objetivo final é dissolver tudo de volta no caos.

Ameno Torifune

Um kami celeste na mitologia japonesa, mais conhecido como Torinoiwakusufune. Aparentemente, ele foi construído para o filho abandonado de Izanagi e Izanami, Ebisu.

É geralmente visto como mensageiro dos deuses e foi usado como meio de transporte por Take-Mikazuchi para descer à Terra.

Ame-no-sagiri

Ameno-Sagiri (天 之 狭 霧 神) é o espírito japonês de nevoeiro, que representa os céus, foi mencionado no Kojiki. Ele junto com Kunino-Sagiri são filhos de Ohoyamatsumi e Kaya-no-hime (próprios filhos de Izanagi e Izanami).

Ao Manto

Ao Manto (青マント, capa azul em tradução livre)

Sua origem é o mesma da capa vermelha. A lenda consiste em alguém sentado em um vaso sanitário quando uma voz misteriosa pergunta "papel vermelho ou azul". Se alguém disser azul será estrangulado até a morte até o rosto fica azul. Outra versão afirma que escolher o papel azul terá todo seu sangue drenado

Aramisaki

Uma deusa impulsiva da mitologia japonesa, Amaterasu mandou-a para defender o recipiente que transportava a Imperatriz Jingu a Shinra. Como o Ara Mitama do Sumiyoshi, ela está consagrada no Santuário Sumiyoshi na cidade de Shimonoseki.

Asinaga


Ashinaga-jin (あしなが) é metade de um par de youkai dito ser encontrado na ilha de Kyushu, a Ashinaga-tenaga ("pés longos braços longos"). Ashinaga tem pernas extremamente longas e colabora com Tenaga-jin para pescar através da realização de seu parceiro nas costas e vadear no mar raso, com suas longas pernas.

O Ashinaga é mais provável ser baseado na Zhangtuimin (長腿 民), literalmente, "as pessoas com pernas longas", uma tribo registrada pela primeira vez na Shanhaijing, uma antiga compilação da geografia mitológica e bestiário da China pré-Qin. Seu país beirava o Changbimin (長臂 民) e os dois povos mutuamente ajudavam uns aos outros, aqueles com os braços longos eram capazes de tirar o marisco das águas rasas, enquanto aqueles com as longas pernas pegavam o peixe das localidades mais profundas; Assim, os dois conseguiam alimentos inalcançáveis para pessoas comuns.

Azumi

Azumi são uma tribo do Japão que se sobressaia na pesca. Diz-se que eles são os descendentes de Amaterasu, Tsukuyomi, e Susano-o, os três filhos de Izanagi depois que voltou de Yomi, a terra dos mortos. A divindade Azumi é dito ser um guardião do povo que recebem o mesmo nome, e pode controlar o elemento da água semelhante à sua divindade irmão, Isora.

Baku

Baku ( バク, Baku e Mo (貘) na china) são seres sobrenaturais japoneses que devoram sonhos e pesadelos. Eles têm uma longa história no folclore japonês e da arte.

A criatura tem suas origens na antiga China, onde é descrito como tímida quimera com o tronco de um elefante, as patas de um tigre, olhos de um rinoceronte, cauda de um boi. Foi dito que poderia proteger contra os males e pestilências, embora não houvesse nenhuma menção de que devorava sonhos até depois dele ser "importado" para o Japão no século 17. Hoje, a palavra Mo também pode referir-se aos Tapir.

Binbou-gami

Um deus japonês da pobreza. Famílias no Japão realizam cerimônias na esperança de livrar suas casas dele, levando seus problemas financeiros com ele.

Bishamonten

Bishamonten (毘 沙門 天) é uma das quatro figuras colocadas nos cantos do altar principal de um templo budista. Estas correspondem aos quatro pontos cardeais, com Bishamonten representando o norte. Bishamonten originou-se como uma divindade da mitologia indiana e veio ao Japão com muitos atributos: guardião do reino do Norte, guardião da lei budista, deus da vitória na guerra, e deus da riqueza e boa sorte. Bishamonten é também um dos Sete deuses afortunados na mitologia japonesa.

Fora do Japão, seu nome é Vaisravana, e no Tibete, ele é um dharmapala e um dos oito dharmapalas principais, ao lado de Mahakala, Yama Yamantaka, Hayagriva, Palden Lhamo, Tshangspa Dkaro, e Begste.

Bunbuku Chagama 

Bunbuku Chagama (分福茶釜) foi tanuki que se transformou em uma chaleira falante , a fim de retribuir a bondade de um senhor pobre que ajudou-o.

Chou-keshin

Chou-Keshin é um tipo de Youkai do folclore japonês. É uma borboleta que pode controlar um corpo e devora-lo.

Outra fonte diz que são fantasmas que morreram de doenças. Choukeshin são borboletas brancas que voam pela noite. Se elas ficam voando em torna de uma pessoa , esta estará condenada a morrer por doença.

Daidarabotchi 

Daidarabotchi (ダ イ ダ ラ ボ ッ チ, Daidarabotchi) é um yokai gigantesco da mitologia japonesa. Seu tamanho era tão grande que suas pegadas foram ditas terem criado inumeráveis lagos e lagoas. Ele é o responsável pela geografia japonesa, já que ele é capaz de mover montanhas e deixá-los onde quer que ele queira. Em uma lenda, DaidaraBocchi queria ver qual era mais pesado: o Monte Fuji ou Monte Tsukuba - e ele pesou-os em uma grande escala. No entanto, quando acabou, ele derrubou o Monte Tsukuba, dividindo o seu pico.

Datsue-Ba

Datsue-babaa ou Datsue-ba (奪 衣 婆, lit. "velha que despe roupas") é uma yōkai velha e enrugada que transporta os mortos através do rio Sanzu junto com sua contraparte masculina Keneō. Ela e Keneō vivem sob uma árvore grande no lado oposto do rio. Datsue-babaa juntamente com Keneō, amarram a cabeça do pecador no pé dele. Datsue-babaa em seguida, despe o pecador e Keneō pendura as roupas em uma filial de sua árvore; em seguida, em seguida enviam o pecador para o julgamento.

Ebisu

O deus dos pescadores e boa fortuna, o sorridente e barbudo Ebisu é mais frequentemente representado como um camponês japonês com uma vara de pescar na mão direita, e com um grande pargo que está pendurado na linha de pesca ou embaixo de seu braço esquerdo. No Japão, este peixe é um símbolo de boa fortuna. Às vezes Ebisu também é representado carregando um leque, e usando um chapéu pontudo. Não é certo, mas esse tipo de leque era usado pelo imperador para determinar aceitação ou rejeição de algum pedido durante as audiências do imperador com os nobres e comuns. Também pode representar como realização dos desejos . O chapéu pontudo é conhecido como "Kazaori Eboshi" (風 折 烏 帽子)

Fudou Myouou 

Fudou Myouou é o nome japonês para Acala, um dos Cinco Reis da Sabedoria do Reino do Ventre
Acala significa "Imóvel", ou seja, Acala não é movido pelas tentações de desejos mundanos. Ele é a emanação colérica do Buda Cósmico, Dainichi Nyorai..

No Japão, Fudou Myouou também era um protetor de espíritos e eremitas da montanha e também é reverenciado como um deus do fogo. Ele empunha a Kurikara (a espada subjugadora do mal) em sua mão direita, e uma corda, que ele usa para capturar os malfeitores, em sua esquerda. As chamas no fundo representam a purificação da mente.

Fukurokuju

Fukurokuju é o deus da longevidade e da sabedoria. Seu nome é composto pelos ideogramas fuku (felicidade, sorte), roku (riqueza) e ju (vida longa).

É mostrado com uma testa muito elevada. Ele é representado com uma longa barba branca, trazendo na mão um cetro (saku) sagrado ou um bastão onde esta pendurado um pergaminho (makimono) contendo as escritas da sabedoria mundial. É também considerado um deus da ecologia, porque geralmente é retratado junto de uma garça tipo grou (tsuru), uma tartaruga ou um veado. Esses animais são na verdade símbolos de longa vida.

Futotama ou  Ame no Futotama no Mikoto

Deus celeste, que acompanhou Ninigi-no-Mikoto, quando este desceu na Terra. Ele é considerado o antepassado da família sacerdotal que serviu como ritualistas xintoístas na corte Yamato.

Futsunushi

Futsunushi-no-kami (経 津 主 神) é um kami xintoísta das espadas. Ele é considerado a personificação da espada Futsu-no-mitama.

Fuyurei

A fuyurei é um fantasma que não entende que morreu e, portanto, continua a vagar pela terra.

Gashadokuro

No folclore japonês, gashadokuro, (が し ゃ ど ろ く) também conhecido como Odokuro, são esqueletos gigantes, quinze vezes maiores do que uma pessoa normal. Se um Gashadokuro vê um ser humano, ele vai agarrá-lo e tentar arrancar a cabeça com a boca. Gashadokuro são criados a partir do agrupamento de ossos de pessoas que morreram de fome. A única maneira de um Gashadokuro ser detectado antes de aparecer é ouvindo um zumbido..

Gohou Douji

Goho Douji são espíritos guardiões que se apegam a eremitas e sacerdotes.

Fonte: http://japonesdake.blogspot.com.br/

Aparição de cidade flutuante assusta chineses

Moradores da cidade de Foshan, na província chinesa de Guangddong, ficaram intrigados com uma situação nada comum ocorrida na última semana. Aparentemente, uma cidade fantasma apareceu sobre as nuvens da região, surpreendendo a comunidade local.


O registro foi exibido em uma rede de televisão chinesa e, segundo informações do site Gizmodo, aparentemente várias pessoas testemunharam o fato que durou apenas alguns minutos. O que está se especulando é que o possível motivo que originou o fato é uma já conhecida ilusão de ótica que produz esse tipo de efeito.

Ainda segundo o Gizmodo, houve um caso parecido com o de Guangdong alguns dias depois, na província de Jiangxi. No entanto, esse tipo de acontecimento não é novidade na China. Em 2011, uma imagem semelhante apareceu também.

A miragem

Segundo informações divulgadas pelo site britânico Independent, especialistas afirmaram que o fenômeno ocorrido na última semana é uma ilusão de ótica denominada Fata Morgana, que ocorre sob condições especiais de luz combinada com camadas de ar frio e quente.


Como ocorre a ilusão Fata Morgana: abaixo a camada de ar frio, no centro o fluxo de ar que causa a mudança na visão e acima o ar quente.

Quando ocorre uma inversão térmica, ou seja, a camada de ar quente reside sobre o frio, os raios de luz podem atravessar essas diferentes faixas de temperatura e se dobrar, gerando miragens como a da imagem a seguir.

Registro mostra formas e manchas estranhas no horizonte, ao pé da montanha: exemplo de ilusão Fata Morgana
Apesar de não serem muito comuns, as miragens Fata Morgana já foram flagradas por muitas pessoas. Castelos, barcos invertidos e flutuantes no ar, montanhas viradas e formações atmosféricas diversas são alguns dos já registrados exemplos de ilusão citados pelo site Gizmodo.


Outras teorias sobre o fato da última semana

Por desinformação ou por acreditar muito em conspiração, algumas pessoas insistem que o ocorrido em Guangdong, na China, se trata de outra situação. Conforme o vídeo abaixo descreve, alguns creem que o fenômeno pode ser resultado de um projeto da NASA chamado Blue Beam, o qual segundo o Gizmodo explica, seria uma “tentativa de implementar uma nova religião de culto ao Anticristo”.




Outras duas possibilidades são levantadas pelo vídeo publicado no canal Paranormal Crucible, do YouTube. Uma delas é que a aparição pode se tratar de um vórtice temporal materializando um universo paralelo sobre a cidade chinesa. Na outra, a cidade sobre as nuvens seria fruto de um teste com avançada tecnologia holográfica altamente secreta, cujo objetivo foi realizar a aparição sobre a densa população para levantar como seria a reação pública ao fato.

Imaginem um holograma de Yu-Gi-Oh! Desta escala... 

Fonte: Megacurioso

Horror Game: SOMA

Soma (estilizado como SOMA) é um jogo survival horror de ficção científica desenvolvido pela Frictional Games (mesma empresa de Amnesia: The Dark Descent). Foi lançado em 22 de setembro, 2015

Descrição

O rádio ficou em silêncio na PATHOS-2. Enquanto o isolamento cai sobre a tripulação do centro de pesquisa, coisas estranhas começam a acontecer.

Máquinas estão assumindo traços humanos e construções alienígenas começaram a interferir com a rotina. O mundo ao redor está se transformando em um pesadelo.

A única saída é fazer algo inimaginável.

História

Em maio de 2015, o protagonista Simon Jarrett se envolve em um acidente de carro fatal em Toronto que mata sua amiga Ashley e deixa Simon com graves danos cerebrais e sangramento craniano. Por causa dos efeitos do acidente, Simon concorda com um escaneamento cerebral experimental em um laboratório médico Durante a verificação, Simon fica inconsciente, e recupera a consciência quase um século mais tarde no complexo PATHOS-2 na estação Upilson, um centro de pesquisa subaquática aparentemente abandonado e sem nenhum conhecimento de como ele chegou lá. Pouco depois de acordar, Simon começa a se comunicar com alguém chamado Catherine, que o instrui a vir a sua localização na estação Lambda. Enquanto explora PATHOS-2, Simon descobre que ele acordou no ano de 2104. Em 2103, um cometa enorme havia devastado a superfície da Terra, deixando PATHOS-2 como o último posto avançado da humanidade. Ao longo do caminho pela história, Simon encontra robôs e criaturas hostis que acreditam serem humanos.

Personagens

Simon Jarrett foi um jovem que viveu e trabalhou em Toronto, Canadá. Ele trabalhava em uma loja de quadrinhos chamado "The Grimoire" com vários amigos e parecia estar em uma posição gerencial.

Catherine
Catherine
SimonProfile
Simon
Anterior aos eventos do jogo, Simon e uma colega de trabalho, Ashley Hall, envolveram-se em um terrível acidente de carro causado por uma mãe de três filhos que colidiu com o carro em que eles viajavam. Ashley morreu no local, sufocada pelo sangue nos pulmões e Simon ficou gravemente ferido; sofrendo danos cerebrais e, ocasionalmente, sangramento na cabeça causado por um edema cerebral que pressionava contra sua calota craniana, o excesso de sangue escapava através de vários orifícios, mas principalmente de algum lugar na cabeça


Catherine Chun viveu e trabalhou como Engenheira de Sistemas Intel. em PATHOS-II. Antes dos eventos do jogo, ela estava trabalhando em um projeto pessoal chamado ARCA, que abrigava os escaneamentos do cérebro de vários membros da tripulação, em um paraíso simulado. Durante todo jogo, ela atua como guia de Simon Jarrett e única companheira.

Gameplay

Soma é um jogo de survival horror de ficção científica reproduzido em perspectiva de primeira pessoa. Thomas Grip da Frictional Games afirmou que o jogador irá "encontrar uma série de estranhas criaturas, cada uma personificando um aspecto dos nossos temas". o jogo utiliza principalmente elementos de horror psicológico em vez dos sustos convencionais encontrados na maioria dos jogos dentro do gênero. Durante todo o jogo, o jogador vai encontrar uma grande variedade de pistas, tais como notas e fitas de áudio, que constroem a atmosfera e promovem o enredo. Tal como acontece com a maioria dos títulos pela Frictional Games, há pouco ou nenhum combate, e em vez disso o jogador progride através de quebra-cabeças, exploração e utilização de stealth.

=====Daqui em diante terá possíveis Spoilers do jogo=====

Complexo PATHOS-2

PathosIILogo

PATHOS-II é uma instalação de pesquisa subaquática situada no Oceano Atlântico. É o cenário principal de "SOMA" e do filme live-action "Depth".

Foi inicialmente construída para conduzir mineração térmica durante os anos de 2060 e, depois, desenvolveu a Arma Espacial Ômega. Possui uma equipe diversificada de cientistas e engenheiros envolvidos em vários projetos de investigação como ciências marinhas, hidrocultura e construção submarina. Uma inteligência artificial conhecida como "WAU " foi usada para supervisionar as operações primárias do estabelecimento.

Quando um impacto de um cometa em janeiro 2103 destruiu a vida na superfície da Terra, a equipe de PATHOS-II tornou-se os últimos seres humanos viventes  no planeta. Sabendo que eles não seriam capazes de sobreviver indefinidamente, eles começaram a procurar formas alternativas de estenderem suas vidas e, em última instância, salvar o restante da raça humana - o programa ARCA estava entre elas. Não se sabe muito sobre os acontecimentos que se seguiram, mas, eventualmente, máquinas anteriormente operadas remotamente por humanos começaram a se tornarem auto-conscientes e passaram a exibir características humanas. A instalação, eventualmente,  tornou-se o pesadelo visto durante os eventos do jogo.

Estações

PATHOS-II é um amplo complexo que consiste em oito estações submarinas e uma estação na superfície. As Estações Upsilon, Delta, Theta, Lambda e Omicron estão localizadas em uma seção relativamente rasa do fundo do oceano referido como platô. Tau, Phi, e Alpha estão localizadas em uma pequena seção da planície abissal que se encontra abaixo deste platô. Estação Ômega está localizada na superfície. PATHOS-II também mantém contato com várias cidades internacionais, incluindo Lisboa, Cadiz, Londres e Nova York.

Upsilon - 99m

Upsilon contém a planta de geração de energia primária da instalação. Buracos geotérmicos são usados para gerar eletricidade. Upsilon também contém extensas instalações utilizadas para atender e manter a coleção de robôs e UH da PATHOS-II.

Lambda - 96m

Pouco se viu de Lambda no jogo, mas sabe-se que Lambda contém um centro de transporte que conecta à todas as outras instalações.

Delta - 64m

Delta é uma pequena estação situada no topo de um afloramento de corais que se estende a partir do Abismo. Composta de vários prédios desconectados, uma antena de comunicação e um pequeno centro de controle, Delta é responsável pela fabricação dos cartuchos de projéteis aerodinâmicos para serem lançadas pela Arma Espacial Ômega.

Theta - 153m

Theta é um dos maiores complexos, e parece conter laboratórios de pesquisa, dormitórios, e escritórios administrativos.

Omicron - 115m

Omicron está localizado na borda do platô, com vista para o abismo. Omicron é dedicado quase inteiramente com a investigação, principalmente sobre biologia marinha, hidroponia, e os efeitos do gel estrutural. Omicron também opera o "Climber", um elevador usado para transportar a tripulação para o Abismo.

Tau - 4114m

Tau está localizado no Abismo, aproximadamente meio quilômetro do ponto de extremidade inferior do "Climber". Luzes iluminam um caminho entre o "Climber" e Tau, usadas para atravessar com segurança o abismo sem provocar a vida selvagem. Tau contém várias áreas de manutenção e dormitórios para a tripulação, assim como um sistema de transporte de carga que se conecta a Phi, originalmente usado para transportes de cargas para a Arma Espacial Ômega..

Phi - 3802m

Phi também está localizada no Abismo, e abriga principalmente a Arma Espacial Ômega. Phi possui um depósito de recepção ligado ao sistema de transporte de Tau, usado para carregar cargas aerodinâmicas em "balas", que são então carregadas para a Arma Espacial para o lançamento.

Omega - 0m

Omega é uma instalação na superfície, situada no ponto onde cano da arma espacial atinge a superfície do oceano. Omega era primeiramente um posto meteorológico.

Alpha - Profundidade Desconhecida

Alpha é uma instalação secreta, cuja existência não é conhecida por todos, apenas um grupo restrito de funcionários da PATHOS-II sabem de sua existência. Alpha é onde o núcleo central de WAU está localizado, e o ponto de origem da sua influência em toda a estação.

WAU


O WAU (Unit Warden (Unidade Guardião)) é um sistema de IA, originalmente responsável pela manutenção das instalações de Pathos-II e suporte de vida de seus trabalhadores, é o principal antagonista do jogo.

Depois de uma colisão catastrófica de um cometa em 12 de janeiro de 2103 que destruiu a vida na superfície, o protocolo primário do WAU tornou-se o de preservar a humanidade. Para atingir seu objetivo, WAU usou o Gel Estrutural para crescer fisicamente, inicialmente ocupando uma grande parte da sua câmara do núcleo na estação Alpha, e, em seguida, alcançando as máquinas e formas de vida em torno das instalações da Pathos-II.

Devido à falta de uma definição adequada da condição humana ou o que seria uma forma aceitável de existência humana, os esforços do WAU resultaram em um upload dos escaneamentos cerebrais dos trabalhadores da Pathos-II nos robôs em torno da estação e a maioria dos seres humanos infectados com o Gel Estrutural foram biomecanicamente projetados e colocados em uma espécie de transe/coma, ficando inconscientes de seus arredores e que está acontecendo com eles.

Inimigos

Proxies

File:Screenshot 2015-10-06-15-50-14~01~01.png
Upilson Proxy
Com uma exceção, proxies baseiam-se em seres humanos que tenham sido alterados, ou reanimados, pelo gel estrutural. Por esta razão, eles também estão sob a influência direta do WAU. A alteração pelo WAU parece ter destruído completamente a personalidade e inteligência superior; no entanto, eles retem alguma inteligência básica, tal como evidenciado pela sua capacidade para abrir as portas.

Upilson Proxy

O Proxy Upsilon é, como o próprio nome indica, encontrado na estação Upsilon. É baseado em uma unidade Universal Helper (UH) fundido com Gel Estrutural para formar uma grande, monstruosidade robótica bípede. Este é o primeiro proxy que Simon realmente encontra no jogo. Pode ser encontrado duas vezes, mas apenas uma vez é obrigatória.

Jiangshi

O Jiangshi é encontrado na estação Lambda e no CURIE. Ele toma a forma de um ser humano nu pálido com uma massa redonda , e incandescente no lugar da cabeça. Esta besta parece ser capaz de teletransporte limitado, ou, pelo menos, alguma forma de movimento parecida. O Jiangshi é cego e surdo, e fica agitado por proximidade e contato visual direto.

Server Room Proxy
File:2015-10-06 00024.jpg
Terry Akers (Server Room Proxy)

É encontrado na estação Theta. Como o próprio nome indica, é encontrado na sala de servidores. Há também três deles na área de manutenção. Ele toma a forma de uma criatura bípede humanoide com crescimentos tumorais em todo o seu corpo e sem braços. Estes proxies são cegos, mas possuem audição aguçada.

Terry Akers

Terry Akers foi o ex-chefe da Delta , que ficou louco e se transformou devido à ingestão de gel estrutural. Ele irá perseguir Simon nos laboratórios e áreas de manutenção da estação Theta. Sua aparência é humanoide, mas terrivelmente desfigurada, sem traços e magro. Akers é cego, mas, como os outros proxies de Theta, possui uma grande audição.
File:O proxy.png
Omicron Proxy

Omicron Proxy

O proxy Omicron é, como o próprio nome indica, encontrado na estação Omicron. Parece ser um cadáver do sexo feminino re-animado pelo WAU e equipado com implantes cibernéticos improvisados. Simon encontra ela duas vezes, na Sala de Força e no caminho para a sala de mergulho. Este proxy é agitado pela proximidade, e, geralmente, vai ficar em um lugar a menos que seja provocado, isso pode ser usado para atraí-lo para longe de objetivos importantes.

Tau Proxy

O Tau Proxy é o último proxy encontrado no jogo, e corre pelos corredores da estação Tau quando Simon abre uma determinada porta. Parece ser um ex-funcionário da PATHOS-II que foi transformado enquanto vestia um traje. Ele toma a forma de um traje de alta pressão com tentáculos saindo de sua viseira, que ele usa como seu ataque primário. Este proxy possui a visão aguçada e audição, e é atraídos pelos sons de portas se abrindo e fechando.

Criaturas Abissais

Tamboril

File:Model.png
Tamboril
O tamboril foi fortemente desfigurado pelos vazamentos do gel estrutural, faltando seus olhos quase cegos, enquanto passa por algumas outras mutações.

A fim de alcançar a estação Alpha, Simon tem que seguir as luzes que levam para uma caverna. Se o jogador conseguir seguir as fontes de luz e fazer seu caminho até a caverna, ele deve seguir o caminho das luzes bio florescente para o lado oposto do túnel dentro da caverna. Lá, o jogador deve seguir as luzes novamente enquanto esse filho da puta está na espera do jogador, atraindo ele para seguir sua fonte de luz. Se o jogador encontrar este peixe e manter uma distância entre ele, a criatura irá nadar lentamente até o jogador.

Os Critters

São criaturas encontradas no abismo. São primeiramente mencionados por alguém de Tau. Eles atacam em grupos, mas não irão se aproximar do jogador se estiverem perto da luz,  apesar deles estarem infectados pelo WAU, é provável que eles já fossem predadores antes da IA os tornarem mais perigosos.


Leviathan
Leviathan

Uma lula gigante foi submetida a mutação de WAU pelo vazamento do gel estrutural, sua camada e os tentáculos são cobertos com tumores chapeados e tem muitos receptores brilhantes azuis de WAU em seu corpo. Além disso na frente da criatura mandíbulas se desenvolveram de forma anormal..

Ele perseguirá o jogar no caminho da Arma Espacial Ômega, assim como outras criaturas abissais ele não irá se aproximar de fontes luminosas e tentará arrastar Simon causando pouco dano. Quando Simon se aproximar da arma a criatura irá atacar independente da luz

Algumas dúvidas com respostas sobre o WAU

Por que WAU matou alguns dos poucos humanos que permaneceram na PATHOS-2?

Ele não tinha escolha, no entanto, porque parecido com a ação de WAU na prevenção das pessoas de cometerem suicídio em Theta, ele teve que tomar medidas para evitar que os seres humanos destruíssem todas as consciências armazenadas dentro dele e, finalmente, condenando a humanidade por destruí-lo.

Por que WAU recusa-se a desligar os seres humanos que se tornam monstros?

WAU nunca irá desligar qualquer desses seres ativados, a menos que não tenha escolha. Não importa o quão demente, ou insano, ou aleijado possa ser, WAU considera tão humano quanto qualquer outro humano normal e só irá matar alguém caso seja absolutamente necessário.


Irei traduzir os itens de documentação de SOMA, são parecidos com dos SCPs, mas são bem menos em quantidade e possuem vídeos com atores (clique, aqui)

Gostaria muito de discutir com aqueles que jogaram e conversar sobre a escolha que fizeram.


BENKI

Não são poucos que, diante do fascínio à luz da ciência, desconhecem a verdadeira face dos experimentos realizados em prol do conhecimento. Talvez consiga elucidar melhor os meus dizeres, uma vez que contar-lhes o que aconteceu a um de meus subordinados. Devo, com antecipação, contextualizar a situação a que nos encontrávamos. Meu nome é Dr. Richard Andon, e há duas semanas fui designado como pesquisador-chefe no setor de biomedicina e genética. Meu novo assistente, David Thompson, introduziu-me ao laboratório.

David era um rapaz modesto, de carreira promissora no campo da ciência biológica. Sua aparência dispensava quaisquer apresentações, uma vez que era dotado do característico semblante “rato de laboratório”. Sei que não deveria descrevê-lo desta maneira, porém não tenho palavras que possam lhe surtir melhor. Era um excelente homem. E naquele enfadonho dia, após uma série de comprimentos e discursos de colegas de trabalho, levou-me ao setor do qual lhes falei.

O laboratório era deveras encantador. Espaçoso o suficiente para as inúmeras aparelhagens que o compunham. Não perderei meu curto tempo para descrevê-las, pois causaria a mim apenas maior ressentimento em perdê-las. Devo salientar que conforme David me acompanhava, atentei a uma pequena incubadora encostada ao canto, como que deixada de lado perante aos demais maquinários científicos. Dentro, pude observar apenas uma placa de petri, enquanto que abaixo, estampada na máquina, havia uma etiqueta onde podia ser lida a seguinte palavra: “BENKI”.

Questionei a David o significado daquilo, a que este me respondeu: Pertencia ao meu antigo chefe, do qual o senhor substituíra. Seu nome é Dr. Brian H. Larsen. E este era o seu experimento particular. Dr. Larsen, muito reservado por sinal, apenas me dizia que estava próximo do que seria “uma descoberta revolucionária ao campo do evolucionismo”. Após sua demissão, fui ordenado a destruir o seu trabalho, mas não pareceu correto desfazer-me dela. Não até pelo menos conseguir algum contato com o Doutor para saber sua opinião.

Aquilo me pareceu no mínimo instigante. Não compreendi, no momento, as razões que levaram Dr. Larson à demissão. Agora, no entanto, tenho minhas suposições confirmadas. David, porém, apresentou-me às demais áreas do laboratório. Em particular, à sala responsável por abrigar a incineradora local. Ao entrar, perguntou-me: Você fuma? E ao passo que respondi que sim, prontificou-se logo a dizer: Este recinto demanda um cuidado especial. Se houver qualquer vazamento do gás que alimenta esta máquina, uma minúscula faísca ou chama pode mandar o laboratório inteiro para os ares.

Recordo-me, até este momento, de seu rosto contraindo-se em um sorriso enquanto articulava estas palavras, pois tornaria a vê-lo não pouco antes do que algumas horas atrás. Estávamos cobrindo turnos noturnos, pois nossos experimentos demandavam constante observação. Foi então que David atentou-me para a incubadora de BENKI, pedindo que eu viesse observar a curiosa placa.

Havia algo ali, sabia disso. Porém, até então, não era possível enxergá-lo a olho nu. Ao contemplá-la, notei a presença de uma minúscula forma esbranquiçada, quase oval, semelhante a uma gota de água. Aproximei-me o bastante para perceber que não permanecia parada, mas movendo-se estranhamente, em pequenos padrões aleatórios. Estava viva, e tanto David quanto eu, olhávamos com fascínio o seu despertar.

Agora, enquanto lhes escrevo, pergunto-me: “O que realmente é BENKI?”, “Como Dr. Larsen criara tamanha abominação?”. Talvez, se certos eventos não houvessem saído de tal maneira desastrosa, poderíamos encontrar estas e outras respostas. Pois conforme acompanhávamos o crescimento de BENKI, percebi de antemão que presenciávamos algo formidável. O trabalho de milhões de anos sendo realizado ali, bem à nossa frente. Como se um número inimaginável de células multiplicassem e desenvolviam-se em velocidade assustadora.

David correu para apanhar a câmera de vídeo, enquanto eu olhava maravilhado para o fenômeno que acontecia dentro da incubadora. A pequena forma crescia, evoluía. A princípio, notei que se assemelhava muito a um girino, ou algo similar. E pude ver o que pareciam membros superiores começarem a se desenvolver. David voltara com câmera em mãos. Era algo que definitivamente teria de ser documentado.

A mim, parecia que aquele ser admirável modificava-se intensamente, e à medida que David filmava, a criatura expandia-se em tamanho e forma. O que aconteceu na verdade foi extremamente rápido, portanto não tenho meios de dar-lhe ênfases com tantos detalhes. Se possuíssemos apenas uma maneira de recuperar o vídeo... Porém creio agora que seja tarde demais. No momento, pude ver os membros e corpo alongarem-se. Os olhos, até então cegos, ganharam cor e brilho. Um focinho começara a tomar forma.

Era como se estivéssemos presenciando o surgimento de uma espécie do gênero Eomaia, porém de pele pálida e totalmente lisa. BENKI, como seu criador o havia nomeado, tornara-se grande o bastante para caber em uma de nossas mãos. Aquilo era incrível, para não dizer inacreditável. Podia-se ouvir claramente a baixa respiração da criatura, que se movia de um lado para o outro dentro da incubadora. De prontidão, pedi a David que não parasse de filmar, e que iria ligar para o departamento contando sobre tal descoberta.

Foi então que, após alguns passos apressados, escutei o barulho de vidro estilhaçando-se, e os gritos enlouquecedores de meu assistente. Corri para onde David se encontrava, e não estava preparado para o que estava prestes a presenciar. Os cristais de vidro da incubadora encontravam-se espalhados por toda a parte, enquanto que David, debatendo-se aflito, trazia BENKI (com quase o dobro de seu tamanho anterior) agarrado a sua face, mordendo e depredando sua carne e sangue.

David, contorcendo em dor, agitava-se com BENKI ainda preso em seu rosto. Paralisado momentaneamente diante de tamanho horror, assisti a criatura rasgar sua pele. Voltei-me a procura de algo que pudesse salvá-lo, mas não havia nada. Em um momento de desespero, quebrei a perna de um dos bancos de madeira, mas quando corri até David, percebi que minhas ações demonstraram-se infundadas. Estirado ao chão, seu corpo agora inanimado, era apenas dilacerado pela criatura raivosa. Não estava alimentando-se de David, mas sim destruindo os seus órgãos com violência absurda.

Emudecido pela agonia e desespero, percebi que não conseguiria enfrentá-la. De algum modo sabia que não teria forças ou habilidades para me defender. Tentei correr para a saída do laboratório, mas BENKI postou-se em meu caminho, como se soubesse de minhas intenções. Em uma tentativa fútil, atirei o pedaço de madeira em sua direção, irritando-o ainda mais. Voltei-me para a única sala disponível, aquela contendo a incineradora. Em disparada, cheguei até a porta, fechando-a bem a tempo de ver BENKI avançando em minha direção, com dentes propagando-se de sua mandíbula comprida.

Agora estou, neste exato momento, sozinho. Refugiado sabe-se lá por quanto tempo. Com o corpo de meu assistente jazido na câmara ao lado e a criatura atirando-se contra a porta, tentando ultrapassar pela fina espessura de madeira que nos separa. Provavelmente conseguirá atravessá-la em pouco tempo. Na verdade, ainda tenho dificuldades em compreender exatamente como estou conseguindo manter a calma. Talvez em parte porque sei o que devo fazer. Tomei minha decisão há momentos atrás, ao encontrar este computador, que até então julgara estar desativado.

Estou escrevendo estas últimas palavras para que talvez a verdade possa vir à tona. Não salvarei o arquivo deste texto, porque temo que nenhuma mídia física o abrigue com segurança, uma vez que almejo a destruição total deste lugar. Enviá-lo-ei, no entanto, para qualquer local que desejar expô-lo. Despeço-me, pois minhas esperanças de sobreviver a esta situação esvaíram-se totalmente. BENKI continua a todo o tempo arremessando-se contra a porta. Parece-me que aumentou em força e tamanho, assim como em inteligência. No entanto, não darei a esta aberração a satisfação da vitória.

Não vai demorar muito. As dobradiças estão prestes a se soltar. Ele vai entrar, e assim que me ver, correrá em direção a minha garganta. Até lá, irei somente esperar. Com o odor do gás que se espalha por toda a minha volta. Tenho meu isqueiro em mãos. A qualquer momento BENKI irá surgir pelo vão da porta, e eu estarei preparado. Não tenho a mínima chance de sair com vida, mas nem ele terá. Apenas espero que este documento chegue ao Dr. Larsen, para que ele saiba o que aconteceu a seu experimento. E talvez, perceba que algumas experiências não mereçam contemplar a luz do dia

Autor: Drin, L. P.

Fonte:Creepypasta Wiki BR

Contos de Terror japoneses

Essa é uma série não muito popular, mas que tem foco em contos de terror que são apresentados em um formato de curtas, que na maioria tem apenas cinco minutos de duração. Até então nada demais, afinal de conta existem muitos curtas de terror por ai, além de vários seriados que se baseiam em contar histórias diferentes a cada episódio. Só que o que tem de tão especial é que é uma série japonesa e assim acaba tento foco em terror oriental, uma bela de uma oportunidade de se ter o gostinho daquele tipo de filme de uma maneira rápida.

As histórias são bem variadas e usam muito daquelas técnicas que você certamente já conhece de filmes orientas. São coisas como pessoas completamente retorcidas, aparições com uma pele pálida no estilo de "O Grito", e claro, muitos ambientes japoneses deixam o clima mais especial.

Seguem algumas amostras "grátis".











Bem acho que por essa semana é só, mas gostaria de avisá-los que estou tendo uns problemas criativos então gostaria que me dissessem que tipo de posts vocês preferem. Agradeço! ^^

Os Pokémons mais sinistros #2

Para ler a primeira parte, clique aqui

Xatu




Em sua descrição na Pokedex, é dito que o Xatu permanece quieto e silencioso porque "está vendo o passado e o futuro ao mesmo tempo." Isto não é apenas terrível por causa da quantidade de estímulos que está vivenciando, mas isso significa que Xatu pode ver tudo de horrível que já aconteceu, e terrores indizíveis que ainda estão para acontecer. Isto também significa que Xatu viu sua morte. E tudo o que pode fazer é observar e esperar.

Parasect
parass

Parasect é a forma evoluída de Paras, e é um tipo Grama/Inseto originalmente da região de Kanto. É um dos muitos Pokémon associados com cogumelos.

Paras, sua forma original, tem cogumelos chamados tochukaso crescendo em suas costas. Os cogumelos e Paras existem em uma relação simbiótica, onde Paras é o anfitrião e os cogumelos são parasitas. Quando Paras evolui para Parasect, o cogumelo, na verdade, assume como o anfitrião e controla o Pokémon.

O olhar morto de Parasect realmente são olhos mortos, dado que já não é capaz de qualquer pensamento consciente por conta própria, sendo controlado pelo cogumelo tochukaso. Imagino que os Parasect avisariam para seus filhos, se o cogumelo os permitissem-se comunicar.

Spoink

spoink

É um Pokémon cabeça porco em uma mola, do tipo Psíquico que vive na região de Hoenn.

Você não leu a descrição? A cabeça de porco em uma mola! Na verdade fica pior. A entrada deste Pokémon na Pokédex é: "Spoink salta ao redor em sua cauda. O choque faz o seu coração bater." Como resultado, este Pokémon não pode dar-se ao luxo de parar de saltar - se ele pára, seu coração vai parar. Outras entradas da Pokédex afirmam que ele salta mesmo enquanto dorme. 

Goreabyss



"Embora Gorebyss seja a própria imagem da elegância e beleza ao nado, também é cruel. Quando encontra uma presa, este Pokémon insere sua boca fina no corpo da presa e drena os seus fluidos corporais." (Safira)

O reino animal é cheio de formas de como um animal possa matar outro. O que Gorebyss faz, porém, é algo especial: ela literalmente drena todos os fluidos corporais, deixando apenas uma casca a deriva. Pior, ela insere (a boca) na sua boca. Felizmente,  apenas acontece com outros animais, certo? É....

Tenha em mente que quando você encontra algum Pokémon selvagem, eles não estão atacando seu Pokemon inicialmente - eles estão atacando você, e então você escolhe e lança o seu Pokémon para se defender. Ou seja, se alguém for atacado por uma Gorebyss e não tiver qualquer Pokemon no momento, o sujeito se fodeu.

Yvetal

"Se eu morrer, todos nós morremos" Yvetal Lispector

"Quando sua vida chega ao fim, ele absorve a energia da vida de todos os seres vivos e se transforma em um casulo mais uma vez."

É bom saber que, literalmente, TODA a vida depende completamente sobre a sobrevivência de uma grande ave, que - embora forte - poderia ser facilmente derrotado por um treinador de 11 anos com Chestnaught e Charizard no nível 100. Quando essa coisa morrer , todos nós morremos. Toda a vida neste planeta - seres humanos, animais, Pokemon, etc. - chegariam ao fim em um instante. É por isso que é melhor ir atrás da rena do arco-íris. Pelo menos Xerneas não vai destruir toda a existência se você acidentalmente exagerar "um pouco" na batalha.

Gothita

Pokemon Gothitelle

É perturbador o suficiente que Gothita, começa sua vida como um Pokemon semelhante a um bebê que "encara algo que só ela pode ver", mas uma vez que ela evolui para Gothorita no Nível 32, fica ainda mais sinistra. Com a hipnose dominada, a criatura "rouba as pessoas na noite." Se ela "abduz" as pessoas como oferendas à coisa na qual "só ela pode ver" é impossível saber.

Uma vez que a evolução para Gothitelle é alcançada no nível 41, esta criatura usa suas habilidades psíquicas para ver o futuro, especificamente a morte de seu treinador. Ter este pokémon em seu arsenal é um pouco perturbador Você pode sempre olhar para o lado positivo: Gothitelle não irá sequestrar seu treinador, provavelmente porque sabe que a morte é iminente.


Duskull

Pokemon Duskull

Claro, os fantasmas são sempre assustadores, e não é nenhum mistério porque este Pokemon - denominado após a personificação física da Morte - pode dar uma sensação estranha para alguns. Mas o único olho brilhante deslizando para trás e para frente entre os soquetes dos olhos é onde mora o detalhe assustador adicional. Duskull é um Pokemon noturno, principalmente habitando nas florestas densas (obviamente), mas não está interessado em criaturas da floresta, apenas crianças.

Este Pokemon flutuante é rumorado perseguir as crianças que não seguem as regras. Por quê? Porque ele gosta do som delas chorando, isso não é tudo; uma vez que Duskull evolui para Dusclops, é capaz de engolir qualquer coisa em sua cavidade corporal, para nunca mais ser visto novamente.