segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Querido Urso (Creepypasta 2016)

Quando eu tinha seis anos de idade minha mãe me deu um ursinho, ela dizia que na ausência dela ele cuidaria de mim.

O ursinho era do meu pai, minha mãe disse que ele morreu antes de eu nascer.

Minha mãe saia muito, ela mal parava em casa, isso só fazia com que eu me apegasse ainda mais ao meu querido ursinho.

Quando eu ia deitar, podia claramente ouvir o urso me dizendo coisas, eu nunca entendia muito bem o que ele me falava, talvez pela minha pouca idade.

Cheguei a contar para minha mãe, mas ele sempre estava muito bêbada e nunca prestava atenção.

Hoje tenho 12 anos, o urso ainda me conta coisas e finalmente posso entender.

Durante todos esses anos ele apenas me fez um único pedido: Mate a sua mãe.

Nesse momento ela está dormindo do meu lado e ela vai permanecer assim por longos anos..

Agora somos apenas nós três, para sempre ursinho.

Autor: Andrey Soller.
Email: andrey_aika@hotmail.com

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Manda Nudes

É creepypasta, não estou pedindo.

Nós nos conhecemos em um grupo no Whatsapp. Tudo começou inocentemente. Gostávamos de conversar sobre interesses incomuns (livros, youtubers, musicas, etc), Mas depois de alguns dias nossas conversas se tornaram mais... picantes. Eu prometo que vou poupar os detalhes. O ponto é, eu nunca tinha me envolvido em um relacionamento pela internet antes e foi emocionante. Um mistério nessa coisa toda me intrigava. Nós nunca tinha vistos qualquer foto um do outro e também nunca mandamos áudio.

Eu já tive muitos relacionamentos maravilhosos com mulheres no passado, mas para ser honesto, eu nunca teria sonhado em cortejar uma menina,  a menos que eu ficasse atraído fisicamente por ela em primeiro lugar.

Ela nunca me disse seu verdadeiro nome, mas me pediu para chama-la de HoneyBee. Eu não me importava muito com a identidade. Naquela época eu já tinha uma namorada.

O nome dela era Melissa e nós já estávamos juntos há dois anos. Ela sempre foi muito boa para mim e certamente não merecia um namorado como eu que se envolvia emocionalmente com outras pessoas pela suas costas. Nosso relacionamento estava estagnado. Nós quase nunca fazíamos amor e eu sempre sentia um vazio dentro de mim. HoneyBee preenchia esse vazio e eu não me sinto mal por isso já que não havia nenhum contato físico entre nós.

As vezes agente até conversava online enquanto Melissa e eu estávamos no mesmo quarto. Eu sei que soa mal, mas as coisas simplesmente chegaram nesse ponto. Suponho que esse elemento extra de perigo ajudou a adicionar mais emoção ao nosso “caso”, e como eu disse antes, apenas emocionalmente. É impossível descrever os sentimentos que sentia quando ligava meu celular e via que tinha uma nova mensagem de Honeybee.

Foi em uma sexta feira a noite quando tudo aconteceu. Melissa viria aqui em casa para assistir um filme, o que normalmente significava dela adormecer no meu sofá enquanto eu conversava com Honeybee até de manhã. Tínhamos combinado dela estar aqui em casa as oito em ponto mas já eram nove da noite e ela ainda não tinha aparecido. Comecei a ficar um pouco preocupado. Eu podia estar de certa forma envolvido com outra mulher, mas eu ainda me importava profundamente com Melissa. Ela não estava respondendo minhas chamadas nem mensagens.  Alguns instantes depois meu recebeu uma nova notificação. Era HoneyBee.

Honeybee:  Aconteceu alguma coisa?

Eu: Nada, to bem, e você como está?

A mensagem de Honeybee me fez esquecer a ausência de Melissa.

HoneyBee: Pensando em mim?

Eu: Claro que sim, e você pensava em mim?

Eu estaria mentindo pra você se eu não admitisse que estava esperando ouvir algo sexy de volta.


HoneyBee:  Eu estava tentando imaginar como deve ser sua aparência.

Em todas nossas conversas anteriores, nunca conversamos sobre a minha aparência física. HoneyBee sabia quantos anos eu tinha, a cidade que eu morava, mas nenhuma vez ela mostrou interesse em minha aparência.

Eu: Você quer que eu me descreva pra você¿

HoneyBee: Melhor.... Me mande uma nude sua.

Eu: Você primeiro.

HoneyBee: kkk... ok

Alguns minutos se passaram até que eu recebi uma nova mensagem, era uma imagem. O sinal Wifi estava muito ruim, demorou um pouco para fazer o download da foto. Era uma foto de uma mulher em frente ao espelho, ela tirou com flash de propósito para não mostrar seu rosto, mas eu reconheço um traseiro feminino quando eu vejo um.

HoneyBee me enviou a foto da sua bunda gostosa.

HoneyBee: Você gostou?

Eu: Sim, pena que não da pra ver seu rosto.

HoneyBee: Primeiro eu tenho q saber se posso confiar em você, por isso me envie uma foto sua... mostrando seu rosto... seu corpo... e espero não ver nenhuma cueca. ;)

Eu peguei meu celular e corri para o banheiro. Eu não tinha certeza exatamente do que iria fazer. Eu nunca enviei nudes minha para uma mulher antes. Quebrei a cabeça tentando pensar qual seria o melhor ângulo para a foto. Eu deveria sorrir? Tentar um olhar de desinteressado? Meu pênis ereto? finalmente eu decidi tirar toda a roupa e tirar uma foto e envia-la antes que eu desistisse da ideia. Eu enviei a foto para HoneyBee e esperei por sua resposta.

HoneyBee: Hawt....... Bonito....... Grande.

Eu: Agora é sua vez de me enviar uma eim ;)

HoneyBee: kkkk... Ok

Trinta minutos se passaram e eu ainda não tinha uma resposta dela. Eu comecei a ficar autoconsciente. Talvez minha foto tenha acabado com o interesse que ela tinha por mim. Finalmente, depois de quase duas horas meu celular recebeu uma notificação. Era uma foto a pré visualização do Whatsapp não era muito claro, então já fui baixando a foto me preparando para uma ficar decepcionado talvez. Mas em vez disso, eu fiquei perplexo.

Era uma foto do pé de uma mulher – A parte do pé para ser mais preciso. A foto era um close que só mostrava o tornozelo. Eu estava prestes a enviar uma mensagem para HoneyBee, quando ela enviou outra foto. Desta vez era uma foto dos joelhos. No começo eu pensei que HoneyBee estava apenas me sacaneando, mas em seguida, mais fotos começaram a chegar: Coxas, Umbigo, Mãos tampando os seios, o cotovelo ao lado do pescoço, dedos molhados brincando na região pubiana.

Eu estava excitado, ansioso e ao mesmo tempo ficando um pouco desconfortável, especialmente quando a imagem seguinte carregou.

Era um ombro. Na parte superior tinha uma pequena verruga marrom – Uma que reconhecia.  Melissa tinha uma verruga no mesmo local exato em seu ombro.

Eu comecei a entrar em pânico, será que eu tinha sido vitima de uma pegadinha muito bem elaborada por  minha namorada¿ porque ela faria uma coisa dessas comigo? infelizmente esse medo foi se foi, logo que a imagem seguinte carregou. Digo infelizmente porque quando eu abri, eu teria dado qualquer coisas para que fosse uma brincadeira de Melissa.

Nessa nova foto, era o rosto de Melissa, mas algo não estava certo. Sua boca estava aberta, sua pele estava pálida e seus olhos pareciam sem vida. Outra imagem veio de um ângulo ligeiramente mais amplo. Impressões digitais roxas envolvidas em torno de seu pescoço como um colar. Alguém tinha a sufocado. Eu gritei na escuridão da minha sala sobrecarregado pelo terror. Algumas horas antes estávamos mandando mensagens uns aos outros, fazendo planos para assistir Orange is The New Black no NetFlix, e agora meu celular estava exibindo uma imagem de seu cadáver estrangulando. Eu chequei novamente o Whats. Mais uma nova foto estava sendo carregada.

 Essa tinha um ângulo ainda maior. Melissa tinha sido despojada completamente nua, e estava deitada em um chão, parecia um chão de armazém, não tinha certeza.

Congelado eu só observava a tela enquanto uma lágrima se formava.

HoneyBee está escrevendo...

HoneyBee: Agora... Meu rosto

Depois dessas três palavras uma nova foto estava sendo baixada. Ela era louca o suficiente para me enviar uma foto de seu rosto depois de praticamente confessar ter matado minha namorada. Eu esperava o download da foto terminar para que eu fosse imediatamente para a policia. Eu abri o arquivo com um frio na barriga.

Eu estava realmente olhando para um rosto, mas não se parecia nada como uma pessoa. Com exceções de algumas manchas vermelhas aqui e ali a pele era branca como a neve. Alguns fios soltos de cabelos grisalhos pendiam do topo do que eu só posso supor que era a cabeça de Honeybee. Fora isso era completamente careca; um pequeno nariz arrebitado anormalmente elevada na face entre dois enormes olhos completamente brancos. Seus lábios finos eram esticados demasiadamente amplos revelando um sorriso maligno grotesco. A ausência de dentes era a parte que eu achei mais revoltante, embora as babas de saliva driblavam a atenção para aqueles lábios horríveis que fez meu estômago se revirar.

A testa de HoneyBee sobressaia para o exterior sobre seus olhos como um homem das cavernas. Eu não podia ter certeza por causa do ângulo que a foto foi tirada, mas eu acredito que não haviam ouvidos em sua cabeça. Seu pescoço esticava anormalmente e facilmente com o comprimento de pelos menos três vezes de uma pessoa normal e entortado bruscamente para esquerda.

Sentei-me na cadeira do computador com o coração quase saindo pelo boca quando outra mensagem chegou.

HoneyBee: Então... Eu quero mais fotos suas.

HoneyBee: Não se preocupe...

HoneyBee:  Eu já estou tão perto, que eu mesmo posso tirar.

domingo, 3 de janeiro de 2016

O curioso caso da mulher que enxerga quando muda de personalidade



Foto: Thinkstock
Imagem meramente ilustrativa
Ela tinha 33 anos quando visitou pela primeira vez a clínica psiquiátrica do médico alemão Bruno Waldvogel acompanhada de seu cão-guia, como costumava fazer há mais de uma década. Tinha perdido a visão por completo havia 13 anos, após sofrer um acidente traumático sobre o qual os médicos não fornecem detalhes.

Na época, ela foi diagnosticada com cegueira cortical, causada – de acordo com seu laudo médico – pelo dano cerebral ocasionado pelo acidente. Mas os motivos que a levaram à clínica de Waldvogel não tinham a ver com a cegueira.

A protagonista desta história, cujas iniciais são B.T., também sofria de transtorno dissociativo de identidade (múltipla personalidade) desde antes do evento traumático.

Personalidades diferentes

"Ela apresentava mais de 10 personalidades", diz o artigo assinado pelo doutor Waldvogel e por Hans Strasburger, professor assistente de psicologia médica do Instituto de Medicina Psicológica de Munique, e que também tratou a paciente.

"Ela mudava de identidade espontaneamente. Em cada personalidade adotava nome, idade, gênero, atitudes e temperamento diferentes", relata o artigo, recentemente publicado na revista especializada PsyCh Journal.

"Em alguns casos, a paciente falava até mesmo línguas diferentes; às vezes só inglês, outras alemão e, algumas vezes, os dois idiomas misturados."

Segundo a análise médica, a paciente havia vivido alguns anos, durante sua infância, em um país de língua inglesa. Por isso conhecia o idioma.

"O mais surpreendente foi quando, na quarta consulta, encarnando a identidade de um garoto adolescente, ela recuperou a visão de repente", disse à BBC o professor Strasburger.

"A paciente reconheceu algumas palavras no título de uma revista. No princípio eram só letras, mas depois, muito rapidamente, começou a visualizar objetos, até que chegou a recuperar a visão por completo."

Os médicos começaram a utilizar técnicas de hipnose terapêutica, e a capacidade visual de B.T. "se estendeu a outras identidades ou estados de personalidade", segundo o trabalho publicado.

Cegueira 'psicológica'

"É incrível como esta paciente é capaz de mudar de um estado a outro, de modo que às vezes ela enxerga e outras vezes não. É o primeiro caso que se conhece dessas características", disse Strasburger.

Segundo o especialista, nenhum de seus colegas havia ouvido falar de um algo parecido.

Waldvogel e Strasburger chegaram à conclusão de que o primeiro diagnóstico havia sido equivocado: a cegueira de B.T. não era cortical, porque não se devia ao traumatismo cranioencefálico causado pelo acidente.

Se tratava de uma cegueira "psicológica", ou uma "perturbação psicógena da visão", tal como a descreveu Sigmund Freud em 1910.

"Não é algo tão raro, às vezes acontece e é um conceito que se conhece há muitos anos", explica Strasburger.

"O que nunca havia ocorrido até agora é que uma pessoa pudesse ser cega e ver ao mesmo tempo, de acordo com a personalidade que adote."

De acordo com o médico, a paciente já não está em tratamento e sua situação atual é a de uma pessoa cega que, de vez em quando, consegue ver.

Algumas das conclusões mais interessantes do trabalho, segundo Strasburger, se referem às "implicações da capacidade cerebral para controlar o fluxo de informação visual".

"As pessoas com cegueira por dano cerebral dificilmente recuperam a visão e, se o fazem, isso leva muitos anos", disse.

"O fato de que B.T. ter recuperado a visão repentinamente é muito revelador."

O cérebro, grande desconhecido

Foto: Thinkstock


Neste caso, para poder identificar a atividade cerebral da paciente, os médicos inseriram eletrodos na parte posterior de sua cabeça, com o objetivo de medir a resposta do sistema nervoso central aos estímulos sensoriais, o que se conhece como "potencial visual evocado" (PEV).

"Normalmente, a informação viaja do olho até o tálamo (no centro do cérebro) e depois até a parte posterior, no córtex visual", diz o médico.

No entanto, os psiquiatras descobriram, graças a essa técnica, que a informação era "bloqueada" no cérebro de B.T. e não chegava a seu destino final.

"Esse caso mostra como o cérebro é capaz de bloquear informação e também revela que há uma base biológica nos transtornos visuais psicógenos e de múltiplas personalidades."

O especialista afirma que muitas pessoas creem que os as pessoas com cegueira psicológica "fingem não ver", mas não é o que ocorre porque, de fato, "há mecanismos no cérebro que o impedem".

De acordo com os médicos, o caso de B.T. demonstra que as diferenças entre seus estados da personalidade "variam de acordo com a informação sensorial e têm fundamentos biológicos".

"Agora mesmo você e eu estamos tendo uma conversa. Você tem a sua personalidade e eu tenho a minha. Mas elas são, de alguma forma, inventadas: foram criadas em alguma parte de nosso cérebro", diz Strasburger.


Perdão pela minha ausência, mas ultimamente não estou tendo vontade de postar algo no Blog.

Fonte: http://www.bbc.com 

SENSITIVOS