quarta-feira, 29 de junho de 2016

Tormentos Diurnos

Você já se pegou imaginando o porquê que a noite temos mais medo do escuro do que de dia? 90% das pessoas concordam que, ao anoitecer, elas temem mais o escuro. Isso é bem racional, ao meu ver. Não concorda? Continue lendo, meu amigo, e quem sabe você mude de ideia.

Sabe, você deve me conhecer do meu primeiro relato, caso não, pare imediatamente de ler, e procure aqui nesse mesmo site, um relato chamado "Considerando hipóteses", para você conhecer um pouco do meu ser. Já vou te avisando: não existe ninguém como eu nesse vasto mundo.

Agora que você acabou de ler, vamos começar. Você deve se lembrar daquelas duas mulheres brigando esses dias atrás certo? Anne e Alice, duas grandes amigas. Você passou por elas e nem se deu conta que eu estava lá, confesso que fiquei um pouco decepcionado, mas não importa. Aliás, que modos os meus não? Prazer, eu sou o Matt Union, e irei te mostrar mais uma de minhas obras de arte.

Lembra o que eu disse sobre 90% das pessoas terem mais medo do escuro a noite? Anne era os 10% que acreditava fielmente que de dia o escuro é mais aterrorizante, já que, mesmo tendo luz solar, ela não pode chegar aonde você está. Agora, claro que não sou só eu que acho isso uma tremenda estupidez. Brigar por causa de medo? Corta essa! Isso me deixou furioso, porém, sendo eu mesmo uma parte dos 90% que acredita que o escuro noturno é pior, queria provar que Anne estava errada.

Anne tinha combinado de dormir na casa de Alice hoje, para elas comemorarem, no dia seguinte, o aniversário de namoro de Alice com seu namorado, Miguel. Elas moravam em uma casa bem simples, porém bonita. Tinha 4 janelas ao todo, e duas portas, uma no fundo e outra na frente da casa. Eu estou observando do outro lado da rua, como se estivesse esperando um ônibus. Anne era linda, tinha cabelos ruivos, olhos verdes daqueles que fazem você viajar em sua beleza. Um corpo escultural, digno de uma estátua em sua homenagem. Não jogo fora a hipótese dela ter também um namorado, mas isso não sei, até porque, minhas vítimas já tinham sido escolhidas, não me interesso pela vida pessoal delas.

Por volta das 19h00, Alice chega na sua casa, acompanhada de Anne em seu carro. Elas entram na casa, e eu começo a me mover agora, mas ainda só entrarei verdadeiramente em ação mais tarde. Enquanto isso, eu reúno todos os meus materiais necessários para minhas brincadeiras: o ferro que segurava o lustre de minha casa, agulha, nylon, martelo, álcool e um pano, uma lâmina bem afiada, e minha vontade de matar.

Pronto, já são 23h00, hora do Matt aqui entrar em ação. Ambas estão na sala, posso ver daqui de fora, precisarei tomar cuidado, e dar um jeito de entrar nessa casa. Faço um barulho aqui fora, para atrair a atenção delas. Anne se levanta e vem checar o lado de fora da casa.

- Alice, não tem ninguém aqui, deve ter sido algum gato, ou qualquer outro animal.

- Ai que bom hahaha já estava assustada. Deixe a porta destrancada, vou levar o lixo pra fora assim que der comercial.

- Não é melhor trancar e depois você destranca?

- Não seja idiota, esse bairro é tranquilo.

Ótima oportunidade para eu entrar. Estou escondido agora dentro da lavanderia de Alice, apenas esperando para dar o início. Ambas estão vindo, aparentemente levar o lixo. Agora é a hora, vou esperar elas no quarto.

- Você ouviu isso?

- Do que você ta falando agora Anne?

- Eu ouvi um barulho, no seu quarto, agora mesmo, melhor checarmos.

Anne e Alice começam a subir as escadas, posso sentir o cheiro delas. Eu estou preparado, está pronto para mais um show?

- Isso veio do seu quarto, vai checar Alice.

- Vamos juntas.

- Viu, não tem nada aqui Anne. *BUMP*

- MEU DEUS, O QUE FOI ISSO? QUEM FECHOU A PORTA? ANNE? ANNE, PARE DE BRINCADEIRAS E ACENDE ESSA LUZ.

- Ela não pode mais te ouvir Alice hahahaha.

- QUEM É VOCÊ?

- Seu pesadelo.

Acertei ela com a barra de ferro, e agora ela está desacordada, vamos começar meus trabalhos.

Vocês não podem imaginar o quão linda é Anne nua, seus seios não muito grandes, mas no tamanho ideal. Hoje faremos diferente, resolvi colocar ambas em um abraço eterno. Após a sedação que injetei, posicionei ambas em um abraço, comecei a costurar o braço de Alice envolta do pescoço de Anne, e os braços desta envolta da cintura de Alice. Costurei os troncos também, para ficarem juntas e não se separarem. Saiu um pouco de sangue de cada abertura, mas fui muito cuidadoso para não matá-las. Pendurei-as no teto da sala, para o mundo inteiro ver a obra que gosto de chamar de "Tormento Diurno". Agora, com tudo pronto, arranco tudo que há de rosto acima do nariz de ambas, e troco de lugar, costurando metade do rosto da Alice em Anne e vice-e-versa. Ficou tão bonito.. Como sempre, limpei todos os rastros e estou pronto para ir embora, quando ouço alguém bater na porta. Era Miguel, o namorado de Alice.

Ele entra na casa e vê aquela cena, mas rapidamente eu bato forte em sua cabeça com a barra de ferro e ele fica desacordado. Até poderia matá-lo, mas está quase amanhecendo, melhor eu ir embora.

A polícia local encontrou a casa, e dizem ser mais uma obra do seria killer conhecido como "O Costureiro", que anda atacando várias pessoas pela cidade, sem nunca ter sido visto para ser identificado.

_________________________________________________________________________________________

Escrevo isso para você de um computador, e espero que goste da minha obra de arte. Lembre-se, gosto de união, e terei o maior prazer de juntar seu corpo sem vida a outra pessoa. Essa não é a última vez que você irá ouvir falar de mim, pois ainda espero o dia em que eu farei de você minha vítima.


Fonte: http://pt-br.creepypastabrasil.wikia.com



Criada por: DropDeadNOW (Mike)

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Personagens Pertubadores de Shows de TV #1

Desta vez a lista é pequena.

Nobody




Alguns de nós estão familiarizados com os personagens de Sesame Street. Garibaldo, Elmo, Bert e Ernie, e Oscar foram todos cuidadosamente feitos para serem amigáveis e divertir as crianças, com aulas divertidas sobre ortografia e amizade. O que torna a inclusão do Nobody, um fantasma alienígena sem corpo de um universo paralelo, ainda mais desconcertante.

Nobody parece que foi projetado especificamente para ser um combustível para pesadelo, e por alguma razão, os produtores de Sesame Street pensaram que seria apropriado ter uma coisa dessas no show, um ser com características faciais sinistras para fazer exercícios de contagem para pré-escolares. Ele também fala com um tom de um serial killer assegurando-nos pacientemente que não há como escapar de seu porão.

O vídeo, Limbo, a mente organizada, estrela Nobody como um homúnculo mental, à deriva de um purgatório de seus próprios pensamentos, coberto com imagens de canos com vazamentos, baratas e paisagens aliens.

Para assistir o vídeo, clique aqui


A Coisa Azul 

Coragem, o Cão Covarde é sobre um casal de idosos e seu cão, Coragem, que é regularmente aterrorizado por fantasmas que só ele parece notar. A maioria dos monstros que aparecem no show não são mais assustadores do que os de Scooby-Doo. No entanto, em um episódio, Coragem acidentalmente quebra a corneta de seu dono e vai para a cama com culpa suficiente para desencadear um pesadelo, que os animadores usaram como uma desculpa para ter uma vendetta inexplicável que tinham contra os jovens espectadores do programa de televisão.

Uma escultura
azul à moda Tim Burton com uma máscara pálida de pesar e decepção é liberada nos fãs Coragem, por nove horríveis segundos. Sério, Coragem pisca algumas vezes e, em seguida, de repente, essa porra aparece na tela.

Um arranjo orquestral dissonante é ouvido enquanto a coisa azul (o personagem não tem nome oficial, mas os fãs Coragem batizaram-lo desta forma) lentamente move a cabeça , e sussurra: " você não é perfeito. " E então a cena termina, tão rapidamente e com tão pouca explicação quanto começou.

(Poderia colocar praticamente todos os bichos do Coragem, mas ai seria trapaça...)

Peppermint Park  

Peppermint Park foi praticamente a epíteto da arte de bonecos assustadores. olhos sem vida, corpos de plástico com mãos humanas, e as vozes que soam como tivesse sido gravadas em um asilo de loucos todos formando em um ótimo trauma de infância. O show contou com um par de diferentes fantoches, um dos quais era um rip-off perverso de Bert e Ernie se Bert e Ernie fossem transformados em homens-macacos autistas, enquanto o outro conjunto eram um casal de dragões semi-lobotomizado (ou seriam dinossauros dinossauros?) com as vozes ainda mais estranhas do que os bonecos "humanos".

O show tinha baixo orçamento, era cheio com cortinas sujas que ladeiam uma janela do porão sombrio, clipes de crianças aleatórias que brincavam em um campo de jogos e performances. 



(Todos os personagens são meio sinistros, então coloquei o show todo para facilitar logo as coisas)








sábado, 4 de junho de 2016

A Montanha do Silêncio (Part. 4)

(Na mesma noite)  

É horrível ter que enterrar um corpo, ainda mais agora que começou a chover, a terra tá virando lama, que droga!

Eu preciso voltar pra cabana se não vou ficar doente, a Ísis tá afundando naquela lama nojenta, eu nunca vou esquecer essa cena.

Agora eu preciso tentar dormir, vai ser meio impossível, mas eu preciso tentar.

Eu não consigo dormir, acho que vou tomar uns calmantes pra tentar relaxar pelo menos.

(As Vozes)

Eu não sei se foram os remédios, mas eu não paro de ouvir a Ísis me chamar, eu não tô aguentando mais isso.

Preciso voltar até a floresta, preciso enterrar o corpo.

Não posso acreditar no que estou vendo, eu tinha enterrado o corpo dela exatamente aqui e agora têm uma árvore enorme no lugar. Que merda é essa?!

Eu só posso estar ficando maluco, ou os remédios fizeram isso comigo.

Acho melhor eu voltar e esperar o dia amanhecer.

Ainda não escrevi nada, meu livro tá indo pelo ralo.

Agora são 06:00 e eu não preguei o olho a noite toda, mesmo assim eu preciso voltar lá de novo e ver o que realmente aconteceu.

Cheguei no mesmo lugar e aquela maldita árvore continua aqui, isso quer dizer que não foi efeito do calmante.

Ou eu estou louco ou realmente algo muito estranho tá rolando aqui.

Acabei de voltar até a cabana e encontrei uma carta perto da mesa, uma carta sem remetente e com a data de 1998.

Mas como essa carta veio parar aqui? Não tenho tempo pra isso.

Eu tô medo, mas preciso ler o que tá escrito aqui, eu preciso de respostas.



(Continua..) 

Autor: Andrey Menezes. (Comente e avalie.) 

SENSITIVOS