Vcs gostariam de um "sistema" de avaliação de postagem aqui no blog?

sexta-feira, 25 de abril de 2014

O Poço

   
Rita era uma garota do interior que tinha uma vida simples e de muito trabalho. O sítio onde ela morava era enorme, mas ela nunca tinha tempo pra aproveitar todo aquele lugar.

Certo dia ela encontrou com o seu vizinho (João) e ele perguntou se ela gostaria de ouvir uma história. Rita disse que sim, mas pediu que ele fosse rápido já que ela estava cheia de trabalho pra fazer.  

João. – Perto do sitio onde você vive existe um antigo poço, diz à lenda que ele realiza o seu maior desejo, mas assim que ele realiza o desejo você recebe uma maldição.                            
Rita. – E que maldição é essa?
João. – Infelizmente não poderei responder.
Rita. – Por quê?
João. – Por que ninguém nunca viveu para contar.
Rita. – Bom, tenho que ir, ainda tenho muito trabalho.

Rita não conseguia pensar em outra coisa há não ser no poço. Será que ela estaria disposta a pagar tal preço pra ter uma vida melhor?
Depois de acabar todo o seu trabalho, ela resolveu ir procurar o tal poço, depois de algumas horas ela finalmente achou. Ela jogou uma moeda e disse: Quero ter muito dinheiro.

Algumas semanas depois ela vai até a loteria pagar algumas contas, mas ao invés de pagar as contas ela gasta todo o dinheiro em bilhetes de loteria.

Seus pais ficaram furiosos e a colocaram de castigo. No dia do sorteio para a surpresa de todos quem ganhou foi Rita. 

Ela não conseguia acreditar que o poço havia mesmo realizado o seu desejo. 

Ela começou uma vida nova, reconstruiu sua casa e estava fazendo várias construções em seu terreno. Ela queria construir outra casa, mas o único pedaço do terreno que havia sobrado era onde se encontrava o poço. 

Ela mandou que construíssem uma casa em cima do poço. 

As obras haviam começado e ela foi olhar como estava o andamento da obra enquanto os pedreiros almoçavam. 

Ao se aproximar do poço Rita se lembrou da vida simples que levava e disse estar muito agradecida. Logo após deixar cair uma lagrima no poço ela disse: Não me falta mais nada, somente a vida eterna. 

Ao se afastar do poço ela se desequilibra e acaba caindo no poço, realizando assim, o seu ultimo desejo. 

Algumas pessoas dizem que Rita aparece para pessoas infelizes com suas vidas e lhes mostra o caminho do poço. 

O espírito de Rita foi aprisionado no poço e somente quem fizer o próximo desejo poderá liberta-la da maldição. 

Ela pagou o preço por desejar demais. 

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Experimento 84-B

Muitos dizem que sou mau, diferente, louco... Mas não... Sou apenas solitário. Eu costumava ser normal, assim como você. Também nunca gostei de ser taxado como "normal".

Mas sabe, você deveria apreciar o que tem. Espero que você nunca tenha que sentir o que eu sinto agora. Você têm vida! Esperança! Perdi essas coisas para um louco... Ele é o único que é verdadeiramente mau! NÃO EU!

Ele roubou a minha vida, a minha esperança, tudo! Ele me deixou apodrecer, depois de sua experiência maldita! Ele me acolheu de braços abertos. Me prometeu uma nova vida, a melhor do eu jamais viveria. Mas ele MENTIU! Ele me roubou tudo! Ainda me lembro...

Eu era um cara comum, recém-saído do ensino médio. O sol estava brilhando, mas eu estava detestando. Era como se todos estivessem me olhando, me julgando, eu estava muito exposto naquela claridade. Minha viagem para casa no último dia de escola foi o inferno habitual. Tudo comum, uma vida comum, a história de um garoto comum... Estava farto da minha vida, queria acabar, logo, com tudo isso. Mas onde fazê-lo? Não na minha casa. Odiava minha mãe, mas não o suficiente.

Certa vez, entrei em um beco perto da periferia da cidade. Eu estava amarrando uma corda num poste quando me chamaram, olhei surpreso.

"Jovem, o que você está fazendo?"
"Acabando com isso!"
"Você está louco? Venha, venha comigo. Acredito que posso ajudá-lo."
"Me Ajudar? Você está fora de sua cadeira de balanço, velho. Deixe-me morrer em paz!"
"Não posso permitir isso!" Ele agarrou meu braço. "Venha!"

Quanto mais eu resistia mais ele puxava. Caí, então, fui arrastado para dentro de um barraco. E a porta atrás de nós fechou-se.

"Jovem, eu acho que posso ajudá-lo. Eu sei como você está se sentindo. Simplesmente me ouça."
"Maldito seja! Tudo bem, mas depressa!", falei como se tivesse escolha.
"A vida é uma coisa preciosa, o que você diria se eu pudesse dar-lhe uma nova, de graça?"
Eu disse, 'Onde diabos eu assino?'"
"Bom. Estive fazendo uma pesquisa sobre anatomia humana, e depois de algumas experiências, acho que dominei a manipulação da forma humana. Acredito que posso reproduzir em você. Naturalmente, existem riscos."
"Como o quê?"
Ele puxou uma folha de papel. "Bem, em primeiro lugar, assine aqui".
"E se eu não quiser?"
"Você não tem uma escolha!"
"O quê?"
"Você me ouviu, meu caro." Ele pegou uma seringa com um líquido verde. "Agora fique quieto!"
Tentei correr, gritar, mas ele forçou a agulha no meu pescoço, e tudo ficou escuro.


Acordei numa câmara de vidro. Eu estava de terno, por algum motivo. Segundos depois ele entrou na sala vestido num jaleco velho e manchado.

"Olá, meu amigo! Você tirou uma bela soneca."
"Onde diabos estou?"
"Isso não é da sua conta. Tudo que você tem a fazer é sentar-se e deixar que eu continue meu trabalho."
"Deixe-me sair, seu psicopata! Vou matar você!"
"Eu não tenho medo, minha criança. Você vai ficar quietinho aí, enquanto eu faço história!"
"História?"

Ele virou um interruptor, e começou a falar em um microfone. "Testando, testando. Bom. Agora, vamos começar com o experimento 84-B."
"O que diabos você está fazendo?"
"Sinais vitais do paciente parecem estar normais. No entanto, sua frequência cardíaca subiu rapidamente. Atividade cerebral é alta, e os níveis de insulina estão normais."
"Deixe-me ir!"
"Pronto para começar a experiência." Ele virou-se para uma alavanca. "Ativando um nó." E puxou.
Um "prego" energizado perfurou meu corpo. Eu não conseguia gritar. Minha visão ficou turva e de repente não enxergava mais nada.

"Aparência do sujeito começa a mudar. Ativando nó dois."
A dor aumentou. Senti minha boca fechar-se, e os meus olhos também.
"O rosto completamente transformado. Ativando nó três"
Uma sirene soou. "Erro Erro! Fusão em andamento!"
Ele gritou: "Não! Sua face e membros não ainda totalmente desenvolvidos! Devo salvar a experiência!"
A última coisa que ouvi foi um estrondo.

Acordei mais uma vez entre os escombros. Eu mal podia ver, era como se houvesse uma tela cobrindo meus olhos. Minha boca parecia costurada. Eu não respirava, pois meu nariz também havia sumido. Mas, de alguma forma, eu não preciso mais respirar.

Levantei-me. Meus braços e pernas estavam estranhos. Levei mais de um minuto para recuperar o controle deles. Comecei a andar entre os escombros. Um computador estava quebrado perto de um pé desmembrado. Um rastro de sangue me levou a um corredor e, em seguida, uma porta. Eu podia ouvir grunhidos por trás dele.

Abri a porta e vi um policial perto de algumas placas de concreto caídos sobre uma outra porta. Ele me viu e saiu em disparada. Tentei gritar, mas eu não podia falar. Então, o persegui. Quando comecei a correr, senti corpo mudando... Logo o apanhei e quando ao chegar bem perto, um tentáculo atirou-se de minhas costas e perfurou o peito do pobre homem. Fiquei observando enquanto ele agonizava.

Que diabos aconteceu? Pensei.

Eu continuei a seguir o rastro de sangue, até que me deparei com o corpo de outro homem. Ele foi esmagado por uma viga. Levantei-o, sem perceber tamanha força. Com raiva, arremessei o corpo no muro. Tentei fugir do prédio, mas a toda vez dava no mesmo lugar. Continuei procurando, até que entrei num banheiro. Precisava tirar esse sangue do meu rosto. Ao me olhar no espelho, percebi uma coisa ...

Não tenho rosto!

Depois desta experiência, tudo que eu quero é um amigo, as crianças são as únicas que não me olham com medo. Costumo brincar com elas, mas não controlo meu corpo sempre. De vez em quando eu falho e o inevitável acontece. Mas não é culpa minha. Só quero companhia.

Este é o meu fardo. Irei carregá-lo eternamente.

Nunca quis machucar ninguém, mas eu perdi meu senso de... bem, tudo. Eu já não sei como ser uma pessoa. Alguém sempre acaba morrendo... Então, já que agora você sabe a verdade, quando você me ver não fuja. Me receba. Significaria muito para mim.

Mas então, como você vai saber quem sou eu? Tenho certeza que você já ouviu falar de mim.


quarta-feira, 9 de abril de 2014

5 estudos científicos desumanos


 O List Verse elencou algumas pesquisas científicas com experimentos malucos e antiéticos. Confira:

1 – Eletrochoque em crianças


O tratamento com eletrochoque é polêmico por si só, desde que foi criado, mas uma neuropsiquiatra do Hospital Bellevue, em Nova York, deu o que falar quando, nos anos 40 e 50, iniciou pesquisas de terapia de eletrochoque em crianças, principalmente nas autistas. Estamos falando de Lauretta Bender, uma médica conhecida pela sua vaidade e pelo seu orgulho.

Ela se vangloriava dos tratamentos com eletrochoque que realizava em crianças a partir dos quatro anos de idade. Os resultados não eram tão positivos quanto a propaganda feita pela médica, já que as crianças submetidas ao forte tratamento acabavam piorando, apresentando sinais de violência ou, ainda, estados catatônicos. Já adultos, muitos pacientes da médica foram considerados “arruinados”, tendo se envolvido em atos criminosos e até mesmo cometido suicídio.


O método usado pela médica consistia na aplicação de choques até que os pacientes tivessem convulsões e desmaiassem. Depois da sessão, quando acordavam, recebiam doces e pequenos agrados. Entre os pacientes tratados por Lauretta, alguns só apresentavam traços de timidez e retração social. Muitos dos pacientes da médica foram diagnosticados erroneamente como autistas, inclusive. Em níveis mais avançados de tratamento, Lauretta utilizava LSD em seus experimentos.
Alguns pacientes relataram suas histórias anos depois e expuseram as péssimas condições às quais foram submetidos durante o tratamento de Lauretta. Segundo os relatos, eles eram obrigados a agir como se estivessem felizes enquanto estivessem no Hospital Bellevue.

2 – Radiação extrema


Qualquer pessoa com um pouco de juízo sabe que, quanto mais longe se ficar da radiação e de elementos radiativos, melhor. É lógico que nem sempre foi assim. A própria Marie Curie, responsável pela descoberta do rádio e do polônio, ganhadora de um Nobel de Física e um de Química, morreu devido à grande exposição a elementos radiativos. Só para você ter ideia, os cadernos usados pela cientista ainda são considerados materiais radiativos.

Antigamente não se sabia muito bem os perigos desses elementos e, por isso mesmo, o uso era indiscriminado. Tão indiscriminado que o médico Eugene Saenger, considerado pioneiro da chamada Medicina Nuclear, utilizava métodos pouco tradicionais em suas pesquisas na década de 60, já que expôs mais de 90 pacientes com câncer a grandes doses de radiação.


Saenger acreditava que a radiação seria capaz de curar a doença ou, pelo menos, aliviar os sintomas. Por trás das boas intenções do médico, havia um incentivo vindo do Pentágono, que pretendia descobrir quanto uma pessoa poderia aguentar de radiação antes de ficar totalmente desorientada.
As “cobaias” eram pessoas pobres, sendo que 60% desse total eram formados por negros. Logo no primeiro mês, 21 pacientes morreram. O médico declarou que foram “apenas” oito mortes e, depois de um tempo, mudou seu discurso, afirmando que nenhum paciente havia morrido.

O médico se defendeu, dizendo que os pacientes sabiam que seriam expostos à radiação. Há quem acredite, porém, que o que eles deveriam saber mesmo é que havia risco de morte.

3 – Injeção de células de câncer


O médico oncologista Chester Southam queria estudar o comportamento de células cancerosas vivas em corpos de pessoas saudáveis e, por isso, na década de 60, ele deu início a um estudo ousado e polêmico. O médico contou com a ajuda de voluntários da Penitenciária de Ohio, nos EUA, para injetar as tais células em pessoas saudáveis. Nesse caso, ele reparou que o sistema imune dessas pessoas rejeitava as células de câncer em até 30 dias.
Já a resposta de pacientes que já tinham a doença foi, obviamente, mais lenta. Para ter mais casos em sua pesquisa, Southam passou a injetar as células em pacientes idosos e não portadores da doença. Para tal, ele convenceu diversos hospitais de que seu experimento era algo que não precisaria ser previamente autorizado pelos pacientes. Na verdade, segundo ele, era melhor que essas pessoas nem soubessem o que estava sendo feito.

Foi dessa forma que o médico passou a injetar células cancerosas em doentes crônicos que não tinham câncer. O método de Southam foi mantido em sigilo até que todas as injeções fossem aplicadas.

4 – Rivalidade entre pré-adolescentes


A ideia de Muzafer Sherif, um psicólogo turco que trabalhou nos EUA durante a década de 50, vai deixar você um pouco reflexivo. Ele queria estudar relações de conflitos entre pessoas pertencentes a grupos diferentes. Para isso, sua ideia foi trabalhar com dois grupos de pré-adolescentes de 11 anos, deixá-los uns contra os outros e ver o que acontecia. Para que seu plano desse certo, ele organizou uma viagem de acampamento com 22 garotos, que nem faziam ideia de que participariam de um experimento psicológico. Em pouco tempo, o clima de férias se tornou um verdadeiro campo de batalha.

O psicólogo separou os adolescentes em dois grupos: os “cobras cascavéis” e os “águias”. Os garotos só podiam conversar com outros garotos que fizessem parte do seu grupo. Assim que todo mundo já estava se dando bem, o outro grupo foi apresentado e então todos começaram a se provocar durante as competições.


O primeiro passo para a rivalidade era um xingamento simples, que culminava na recusa a fazer parte do grupo rival, e, consequentemente, os levava a degradar ambientes e objetos que pertenciam aos rivais. A raiva era tanta que os adolescentes fizeram guerras de comida e se recusavam a compartilhar até mesmo um lápis com integrantes do lado oposto.
Assim que o ódio na medida certa foi estabelecido entre os garotos, os cientistas que acompanhavam o experimento indicaram tarefas e problemas cujas soluções só poderiam ser encontradas em equipe. Essa atitude causou uma diminuição superlenta nos níveis de rivalidade. Ao final do estudo, concluiu-se que os meninos adquiriram uma repulsa duradoura pelos membros do outro grupo.

5 – O caso de Emma Eckstein


Por mais que seu conhecimento na área da psicanálise seja nulo, você provavelmente já pelo menos ouviu falar a respeito de Sigmund Freud, não é mesmo? O nome do psicanalista tem sido alvo de inúmeras críticas depois de sua morte, principalmente.

Um dos casos mais polêmicos tratados por Freud foi o de uma paciente chamada Emma Eckstein, cujo maior problema de saúde estava aparentemente relacionado à sua menstruação. Freud acreditava que o nariz estava direta e indiscutivelmente ligado aos órgãos genitais e, por isso, a solução do problema de Emma era remover parte de seu nariz.

A cirurgia foi feita e, obviamente, nada foi resolvido. Para piorar, o nariz da moça simplesmente não cicatrizava. A jovem apresentou um quadro grave de hemorragia e só então Freud percebeu que o médico que havia realizado o procedimento tinha deixado um pedaço de gaze dentro do nariz de Emma.

O nariz da paciente demorou um ano para se recuperar totalmente e, mesmo depois desse tempo todo, a queixa principal, a respeito da menstruação, não tinha sido solucionada.

Como, para Freud, tudo está sempre ligado ao sexo, a conclusão do caso foi a de que a própria Emma era a culpada, já que ela deveria ter desejos sexuais pelo próprio irresistível Freud e, por isso, seu corpo inteiro estava em desalinho. Era por isso também que seu nariz demorou tanto para sarar – e não por culpa do erro médico. ¬¬

Ah, Freud... Sério mesmo?

Fonte: http://www.megacurioso.com.br

sábado, 5 de abril de 2014

SCP-965


                                                     (Musica para melhorar a experiencia)
Item #: SCP-965

Classe de Objeto: Euclid

Procedimentos de contenção especiais: SCP-965 está contido junto com um quadro, e uma janela pronta para ser instalada (doravante referida como SCP-965-1) composto por pelo menos 6 (seis) painéis de vidro transparente (ou material semelhante), medindo, no mínimo, 15cm x 30 cm. SCP-965-1 deve por sua vez ser mantido dentro de uma instalação de armazenamento ambiente,controlado capaz de resistir a abalos sísmicos significativos. SCP-965-1 deve ser inspecionado pelo menos uma vez por semana para verificar se há degradação do material. Em todos os momentos, pelo menos duas (2) janelas emolduradas semelhantes devem estar presentes e em câmaras separadas no estofamento e isolamento adicional, sem vidraça,outra medição maior do que 14 centímetros de largura ou 29 centímetros de altura entre eles e o atual SCP-965-1 . A iluminação dentro da câmara contendo SCP-965 deve estar a um mínimo de 130 velas, em qualquer momento o pessoal deve está dentro da referida câmara, exceto durante a investigação.

Enquanto SCP-965 está contido dentro do SCP-965-1, a nossa incapacidade de controlar o seu movimento sobre destruição de SCP-965-1 a meios para além de proximidade levaram sua elevação ao status de "Euclid". Pesquisas em um meio mais significativo para conter SCP-965 estão em andamento e experiências individuais podem ser realizadas por Apuramento Nível 1,após aprovação pela Level 3 de administração.

Descrição: SCP-965 é uma manifestação visual que ocorre dentro de janelas emolduradas. Esta manifestação toma a forma do rosto sombreado de um homem, aparentemente de pele clara que está olhando através da janela. Os detalhes exatos mostrados podem variar, assim como o sentido da orientação, bem como a idade da pessoa, no entanto, suficiente pormenor mostra que seja consistentemente a mesma estar em diferentes pontos da sua vida, entre as idades aproximadas de 10 e 55. A investigação sobre um indivíduo correspondente SCP-965, até agora comprovada é inconclusiva.

SCP-965 só vai aparecer quando a iluminação relativa no lado de fora  da janela cai abaixo de 5 candelas (unidade de medida para intensidade luminosa), independentemente da iluminação no "interior". Tais termos são possíveis porque a face só vai aparecer em um quadro de janela totalmente montado, embora não precisa estar instalado. Até o momento, SCP-965 não demonstrou qualquer capacidade de mover-se intencionalmente de um painel de vidro para outro, mesmo dentro da mesma instalação, é apenas capaz de atingir um novo ponto de manifestação sobre a destruição do atual SCP-965-1, em que ponto o seu novo habitat será reclassificado como SCP-965-1. O rosto é visível a partir da parte exterior do SCP-965-1, mas apesar de sua natureza bidimensional que é descrito como "olhando para longe, para dentro da sala."

Os efeitos iniciais causadas pelo SCP-965 relatos de mal-estar, nervosismo e baixo grau de paranoia: essas sensações vão superando qualquer um dentro do alcance visual da manifestação, ainda que obscurecida (como por cortinas.) Com base em relatórios referentes a moradores da casa onde SCP-965 foi descoberto problemas para dormir, os experimentos foram realizados utilizando o pessoal da classe D que foram feitos para dormir em uma câmara onde foi instalado SCP-965-1. Um indivíduo que está dormindo em qualquer área visível para SCP-965, quando ela se manifesta, invariavelmente, têm sonhos de natureza perturbadora, geralmente envolvendo sendo perseguido, atacado, atormentado, etc, mas sem contato físico dentro do sonho.

Com repetidos incidentes envolvendo o mesmo "objeto",três (3), mas nunca mais de dez (10) ciclos ideais antes do início, SCP-965 vai começar a manifestar com um sorriso mais explícito do que o normal, após esse momento, o "objeto" começará queixando-se de azia ou dor abdominal, e, muitas vezes começar a vomitar sangue ou ter sangue nos resíduos corporais. Isto é causado pela vítima sofrendo úlceras e hemorragia de baixo grau em todo locais variados em seu trato gastrointestinal. A hipótese atual sobre a causa desses males é a influência do SCP-965 artificialmente acelerando as reações do corpo ao estresse elevado e níveis de medo.

Sujeitos que avançaram para esta fase também relataram experiências contínuas das manifestações faciais em janelas durante sonhos, bem como na visão periférica, enquanto acordado, mesmo depois da remoção do SCP-965. A maioria sofre de baixa qualidade, mas sentimentos duradouros de paranoia, assim como as sensações que eles estão sendo observados ou seguidos. Se este é, de fato, alguma influência remanescente deixado para trás ou sintomas padrão de aflição seguido pela intrusão traumática de SCP-965 em sua psique está sob investigação.

SCP-965 produziu nenhum ruído até à data, e não houve casos reportados de alguma animação do SCP-965  de qualquer forma, uma vez que aparece, no entanto, é capaz de desaparecer e reaparecer à vontade em diferentes poses. SCP-965 também mostra sinais de sensibilidade, que tem sido observado para mostrar decepção se ele se manifesta para uma sala vazia, irritação ou raiva quando se manifestar antes que alguém que tenha quebrado uma prévia SCP-965-1, e uma instância de medo visível quando em a presença de agente ███████ que já havia participado na sua recuperação.

Perdão pelo atraso dos SCPs,tinha muitas coisas para fazer e também tive preguiça. Se tiverem alguma sugestão de SCP,podem pedir

terça-feira, 1 de abril de 2014

Mundo Sombrio


(Antes de ler, dê play no vídeo.)

Eu e meu irmão costumávamos brincar perto do rio todas as tardes, jogávamos bola e depois íamos nos refrescar na água turva do rio. Um dia o meu irmão Paulo chutou a bola pra longe e ela foi parar perto de um buraco.

Decidimos ir até lá, quando chegamos ficamos curiosos e resolvemos ver até onde aquela passagem iria dar.

Era escuro, frio e o silêncio que fazia era assustador.

Em baixo daquele enorme rio havia uma cratera enorme cheia de passagens, e no centro dela havia um buraco gigante e escuro, parecia não ter fim.

O meu irmão se desequilibrou a acabou caindo, eu tentei ajudar, mas alguma coisa o puxou pra baixo. Era horrível ouvir os seus gritos e não poder fazer nada.

Logo as criaturas começaram a sair daquelas passagens nas paredes, eram parecidas com humanos, tinham a pele escamada e garras compridas.

Elas apenas me observavam como se estivessem se preparando para qualquer passo em falso que eu desse.
Sabe, eu ainda estou parado aqui, se eu me mexer elas irão me matar. Essas criaturas vivem na escuridão, nem humanas devem ser.

Se eu fosse você pararia nesse exato momento e não olharia para trás e nem de baixo da sua cama. Elas gostam de observar cada passo que você dá, e se um dia você se descuidar elas irão te pegar também.

-Fale baixo, elas estão aqui.

domingo, 30 de março de 2014

Um mistério chamado Black Knight



Na órbita de nosso planeta estaria um misterioso objeto, que seria um satélite alienígena, que nos estuda e emite estranhos sinais codificados... É sério! Ele foi oficialmente detectado por uma equipe de pesquisadores americanos em 1960 e até a NASA teria tirado fotos deste misterioso objeto, chamado "Black Knight".


Para começar nosso post, vamos voltar até o ano de 1889, o grande inventor e responsável por usarmos a corrente alternada, Nicola Tesla, desenvolveu um radio transmissor de alta voltagem. Tesla reparou que seu radio transmissor estava recebendo sinais elétricos que pareciam ser de origem inteligente e desconhecida, e comunica a imprensa, afirmando que estava recebendo sinais que vinham de Marte, mas logo em seguida voltou atrás, afirmando não saber a origem exata.

Passaram algumas décadas, em 2 de setembro de 1921, foi a vez do inventor do rádio Guglielmo Marconi afirmar em entrevista ao jornal The New York Times que estava recebendo inúmeros sinais artificiais de características inteligentes vindos do espaço.

Várias pessoas continuam captando sinais do espaço, e em 1957 o Dr. Lincoln La Paz da universidade do Novo México, também diz ter interceptado um sinal de origem desconhecida.

Com tanta gente interceptando este sinal, o departamento de defesa americano resolve investigar e designa o astrônomo Dr. Clyde W.Tombaugh para a missão. Tombaugh foi o astrônomo que descobriu o ex-planeta Plutão, em 1930. Adivinha... o resultado de suas pesquisas nunca foi divulgado pelo Pentágono.

Satélite Sputnik I
Agora um dado muito interessante que deve ser lembado: não havia nenhum, zero satélites no espaço até o momento, e o Sputnik 1, o primeiro satélite enviado pelos humanos para o espaço, só seria lançado em 4 de outubro de 1957 e só emitia um simples Beep que qualquer rádio poderia capturar. Em 3 de novembro foi enviado o Sputnik II, levando a cadela Laika ao espaço.

Agora que nossa órbita tem satélites, muitas pessoas sintonizam seus rádios para ouvir o Beep e outros procuram tirar fotos deles, como fez o Dr. Luiz Corrales do ministério de comunicações da Venezuela. Ele estava em Caracas e posicionou sua câmera para tirar uma foto do Sputnik II que passaria sobre a cidade. Ao observar a foto, ele viu que algo estava seguindo a nave, e mais, diferentemente dos Sputnik I e II,  o misterioso satélite orbitava a Terra de leste para o oeste. Os satélites russos e estadunidenses dessa época se deslocavam do oeste para o leste, pois precisavam utilizar a rotação natural da Terra para impulsioná-los em órbita.

Operadores de rádio então, que tentavam ouvir o Beep do Sputnik I começam a receber mensagens do misterioso satélite que está seguindo nosso primitivo satélite. Estes sinais são do tipo LDE (Long Delay Radio ou Ecos de Longo Atraso), ecos das transmissões via rádio que retornam ao próprio transmissor depois de uma determinada transmissão. São considerados LDE´s atrasos com mais de 2,7 segundos. Ou seja, alguém estava retransmitindo as ondas de rádio em diferentes intervalos. Os intervalos podem ser até de dias!O misterioso satélite Black Knight é detectado

Seria esta uma foto do satélite Black Knight
 ou apenas lixo espacial?
Tesla capturou o sinal, Marconi e vários outros cientistas também. Foi encomendado um relatório sobre estes sinais para o descobridor do planeta Plutão, Tombaugh. Mas o mais importante ocorreu no ano de 1960 quando o satélite é descoberto pelo sistema de defesa aérea norte americana (north américa air defence system, a antecessora de NORAD).

Algumas características, do objeto que passou a ser chamado Black Knight (Cavaleiro Negro):

- Foi identificado em órbita polar, algo que nem EUA e URSS poderia fazer
- Move-se em uma órbita de leste a oeste, ao contrário de todos os outros satélites da época
- Calculado como tendo 15 toneladas, o que seria muito pesado para os foguetes daquela época.
- Viajava duas vezes mais rápido do que qualquer satélite conhecido.
- Testemunhas que o avistaram visualmente relataram um objeto piscando em vermelho

Robert L. Johnson, diretor do Planetário Adler, disse: "O objeto nem mesmo tem a decência de manter um horário regular, como qualquer outro objeto celeste ou feito pelo homem. Não sabemos quando ele aparecerá. Ele aparece algumas noites e outras não"

Até a conceituada revista TIME falou sobre o misterioso satélite na sua edição de 7 de março de 1960
Três semanas atrás, manchetes anunciaram que os Estados Unidos tinham detectado um misterioso satélite “escuro” trafegando acima em órbita.  Houve uma especulação de que ele poderia ser um satélite de vigilância lançado pelos russos, e isso trouxe alguma ansiedade devido ao fato de que os EUA não sabiam o que estava acontecendo por sobre suas cabeças.  Mas, na semana passada, o Departamento de Defesa orgulhosamente anunciou que o satélite havia sido identificado. Era um objeto espacial abandonado, os restos do satélite Discoverer da Força Aérea, que tinha saído fora do seu trajeto.  O satélite escuro foi o primeiro objeto a demonstrar a eficácia na nova vigilância dos EUA no espaço.  E as três semanas que demoraram para identificarem o satélite foi prova de que o sistema ainda necessita uma coordenação completa e que alguns problemas ainda devem ser solucionados…
Artigos dos jornais St. Louis Dispatch e The San Francisco Examiner sobre o satélite desconhecido
Então, em 3 de setembro de 1960, ele teria sido fotografado pela Grumman Aircraft Corporation. A equipe de solo da empresa tinha ocasionalmente visto o satélite por duas semanas. Um comitê foi formado para examinar o caso, mas nada mais foi exposto publicamente.

E o astronauta Gordon Cooper, que foi para uma missão de 22 missões ao redor da Terra no ano de 1963 também diz ter visto um objeto com verde brilhante na frete de sua capsula, e que até a estação de rastreamento Muchea, na Austrália, para a qual Cooper reportou o incidente, também foi capaz de captar o objeto no radar, o qual viajava em uma órbita do leste para o oeste.

Para o célebre astrônomo russo Alexander Petrovic Kazantzev o Black Night não é um satélite, mas uma minúscula nave espacial, sem equipagem, que foi abandonada no cosmo há milhares de anos por uma gigantesca nave-mãe. Por algum tempo, ela prosseguiu na mesma órbita da nave principal. Depois, há uns 5 ou 10 mil anos, a astronave-mãe mudou sua órbita distanciando-se no espaço e o Black Night continuou sozinho. Talvez ele tenha sido também tripulado por extraterrenos, e depois abandonado.

A Nasa tirou fotos do Black Knight?

No ano de 1987 a NASA enviou para o espaço a  missão STS-088 do Ônibus Espacial Endeavour. Ela fotografou um misterioso objeto orbitando a Terra e algumas fotos do objeto estão no site da NASA, classificadas como lixo espacial. Este lixo é enorme e para alguns estas fotos poderiam ser do misterioso satélite Black Knight. Você pode ver as 5 fotos no site da NASA:

Veja no site da NASA STS088-724-65.JPG
Veja no site da NASA STS088-724-66.JPG
Veja no site da NASA STS088-724-67.JPG
Veja no site da NASA STS088-724-68.JPG
Veja no site da NASA STS088-724-69.JPG
Veja no site da NASA STS088-724-70.JPG

O vídeo abaixo é bem explicativo e usa estas imagens para mostrar a nave. Lembre-se que é somente um palpite que estas fotos estão mostrando o satélite Black Knight.



Montagem feita a partir das fotos disponíveis no site da NASA. Black Knight ou lixo espacial?
O gráfico de Duncan Lunan

O cientista e astrônomo escocês Duncan Lunan
Os primeiros LDEs foram registrados em 1927 pelo engenheiro civil Jorgen Hal (Oslo, Noruega). Hal percebeu um inesperado eco logo depois de uma de suas transmissões. Outros LDEs foram registrados em 1928 e 1934. É muito difícil detectar LDEs. Em 2010 Rádio amador alemão Pedro Brogl (DK6NP) testemunhou novamente o fenômeno.

Em 1973 o cientista e astrônomo escocês Duncan Lunan revelou ter decodificado uma das transmissões de LDEs de 1927 e 1928 e publicou na revista Spaceflight, da Sociedade Interplanetária Britânica (BIS) os resultados. Duncan traçou uma linha central vertical da seqüência de pulso transmitida com um eixo horizontal de tempo de eco de atraso. O resultado? Um mapa estelar que foca o sistema estelar Epsilon Bostes (como era a 13,000 anos atrás visto da terra).

Gráfico feito por Duncan publicado na revista SpaceFlight
Sistema estelar Epsilon Bostes a 13.000 anos atrás
Mas não bastasse ele formar um mapa, ele usou a cabeça mais um pouco e descobriu que os pontos do seu mapa formavam uma mensagem! Me lembou o filme Contato esta parte :)

Lunan foi capaz de traduzir em Inglês simples o significado dessas discrepâncias de atraso de eco, provando talvez que eles são manipulações propositais dirigidas por uma inteligência avançada.

Livro de Duncan disponível
na Amazon. Clique.
Mensagem original em  inglês:
START HERE.
OUR HOME IS EPSILON BOOTIS.
WHICH IS A DOUBLE STAR.
WE LIVE ON THE 6th PLANET OF 7 - CHECK THAT, 6th OF 7 -
COUNTING OUTWARDS FROM THE SUN
WHICH IS THE LARGER OF THE TWO.
OUR 6th PLANET HAS ONE MOON,
OUR 4th PLANET HAS THREE,
OUR FIRST AND THIRD PLANETS EACH HAVE ONE.
OUR PROBE IS IN THE ORBIT OF YOUR MOON
THIS UPDATES THE POSITION OF ARCTURUS SHOWN ON OUR MAPS.

Traduzindo para nosso idioma:
Comece por aqui.
Nossa casa é Episilon Bootis.
Que é uma estrela dupla.
Vivemos no sexto planeta de 7 - Verifique se, 6 de 7 -
Contando para fora a partir do sol
Que é o maior dos dois.
Nosso sexto planeta tem uma lua.
Nosso quarto planeta tem três,
Nosso primeiro e terceiro planeta tem cada um tem uma.
Nossa sonda está na órbita de sua lua
Isso atualiza a posição dos ARCTURUS mostrados em nosso mapas.

Para Duncan, há 12.600 anos, está orbitando dentro do nosso sistema solar um satélite artificial, que tem armazenado um completo programa informativo para a humanidade. O computador a bordo desse satélite estaria programado de forma a reagir a ondas de rádio, provenientes da Terra, sempre que a sua própria posição em relação à Terra for propícia para uma recepção.

Rapaz, que que é isso! Tem noção? O feito foi noticiado na conceituada revista Time e CBS.

Em 1976 a suposta mensagem foi refutada e Lunan desistiu dela. No entanto, em 1998, ele reinterpretou parte dela, com o apoio da astronomia de posição.

Cadê o satélite Black Knight?

As teorias sobre cadê o misterioso satélite são muitas:

- Foi capturado em 1972 em uma missão secreta da NASA e os cientistas que o investigaram morreram. Caso de Carl Sagan (Maldição de Tutancâmon!)

- Tem uma órbita de 15 a 20 anos e só retornará no ano de 2016.

- Nos últimos anos, não conseguimos mais vê-lo, principalmente por ser muito pequeno e se encontrar a tal distância que só pode ser observado em noites claras, e sob condições atmosféricas extremamente favoráveis. Além do mais, sua órbita dista cerca de 50 mil quilômetros da Terra.

Conclusão
O que podemos concluir de tudo isto é que muitos cientistas renomados captaram sinais emitidos do céu que pareciam ser emitidos por alguma inteligência sem que existissem satélites na órbita de nosso planeta e que um misterioso satélite foi avistado e detectado por cientistas americanos, e que as características dele são incompatíveis com a tecnologia disponível na época, sugerindo algo extraterrestre.

E para você, com base em todas estas informações, o que acredita?

Adendo
Nos comentários da matéria publicada no site OVNIHoje, o usuário JAM publicou um trecho do livro “O OURO DOS DEUSES” do Erik Von Däniken sob o título:

Clique aqui para comprar!
“Há 13.000 Anos – Há um Satélite Artificial em Órbita Dentro do Nosso Sistema Solar”

Em dezembro de 1927, o Professor Carl Störmer, de Oslo, soube que dois norte-americanos, Taylor e Young, captaram sinais de rádio que, retardados de uma maneira esquisita, vieram do cosmo.

Störmer, perito em ondas eletromagnéticas, entrou em contato com o holandês Van der Pol, do Instituto de Pesquisas da Philips, em Eindhoven, Holanda. Em 25 de setembro de 1928 ficou resolvido empreender em uma série de pesquisas, prevendo a emissão de radiossinais de vários comprimentos de onda, em intervalos de 30 segundos. Três semanas depois, a 11 de outubro, esses mesmos sinais emitidos tornaram a ser registrados no aparelho receptor, para onde voltaram, mas com retardamentos de 3 a 15 segundos.

O registro da recepção dos radiossinais acusou os seguintes intervalos, em segundos: 8 segundos – 11 – 15 – 8 – 13 – 3 – 8 – 8 – 8 – 12 – 15 – 13 – 8 – 8.

Treze dias mais tarde, em 24 de outubro, foram recebidos outros 48 sinais, previamente emitidos. Na revista “Naturwissenschaft”, de 16 de agosto de 1929, em seu número 17, o Professor Störmer comunicou o fato aos seus colegas.

Em seguida, surgiram teorias tentando explicar esse retardamento na recepção de impulsos de ondas curtas. Pensou-se em irradiações cósmicas ou reflexões da luz e de outros astros. Nenhuma das explicações oferecidas era satisfatória. Por que foram recebidos em intervalos irregulares? O fenômeno repetiu-se em 1929, nos dias 14, 15, 18, 19 e 28 de fevereiro e, ainda, nos dias 4, 9, 11 e 23 de abril. Em todo o mundo esses ecos foram registrados por diversos grupos, que trabalham independentemente um do outro. Dentro de um período de 15 minutos, o Professor Störmer registrou os seguintes intervalos em sua recepção:

15 segundos – 9 – 4 – 8 – 13 – 8 – 12 – 10 – 9 – 5 – 8 – 7 – 6 – 12 – 14 – 12 – 8 – 12 – 5 – 8 – 12 – 8 – 14 – 14 – 15 – 12 – 7 – 5 – 5 – 13 – 8 – 8 – 8 – 13 – 9 – 10 – 7 – 14 – 6 – 9 – 5 – 9.

Em maio de 1929, dois especialistas franceses em radioeletricidade, J. B. Galle e G. Talon, estavam a bordo do barco “Inconstant”. Sua tarefa era a de investigar os efeitos da curvatura do globo terrestre em ondas de rádio. Seu equipamento era um transmissor de ondas curtas de 500 watts com um cabo de 20 m, ancorado em um mastro de 8 m. Emitiram diversos sinais curtos e o eco repetiu-se. Entre as 15:40 e 16:00 h seus sinais voltaram em intervalos de 1 a 32 segundos.

Também neste caso não houve explicação. Essas observações repetiram-se nos anos de 1934, 1947, 1949 e em fevereiro de 1970. Entrementes, o jovem astrônomo escocês Duncan Lunan veio a interessar-se pelo fenômeno. Já em 1960, o Professor R. N. Bracewell, do Instituto Radioastronômico da Universidade Stanford, EUA, havia dito:

– Se uma inteligência alienígena quisesse entrar em contato conosco, possivelmente, isto se daria mediante a transmissão retardada de radiossinais.

Duncan Lunan, presidente da “Scottish Association for Technology and Research” – Associação Escocesa de Tecnologia e Pesquisa – tomou então a iniciativa de investigar o retardamento dos sinais. O resultado obtido era de pasmar: quando registrados em apropriado gradiente, os sinais recebidos em 11 de outubro de 1928 deram o mapa da Epsílon-Erídani, estrela fixa, 103 anos-luz distante da Terra.

Lunan pesquisou, em seguida, todos os dados existentes dos anos 20 e 30, que permitiram a identificação inequívoca de toda uma série de estrelas. Medições do eco retardado possibilitaram a confecção de seis mapas celestes diversos; todos esses mapas deram ampliações da área ao redor de Epsílon-Erídani. Este fenômeno foi comentado pelo Prof. Bracewell da seguinte maneira:

“Os mapas celestes, confeccionados em base da análise de Lunan podem ser interpretados como uma possibilidade de comunicação, tentada por uma inteligência alienígena. Se quero comunicar a alguém, cujo idioma desconheço, de onde provenho, então valho-me, preferivelmente, de uma imagem, de um meio visual. Constitui para mim motivo de satisfação o fato de a “British Interplanetary Society” dedicar estudos aprofundados a esse eco. Esta pesquisa poderia culminar com uma descoberta aterradora. A sonda descrita por Lunan nunca poderia ser avistada da Terra, nem com o telescópio mais potente.”

No periódico “Spaceflight”, 1973, Lunan publicou os resultados dos seus cálculos até então realizados, sob o título Satélite de “Spaceprobe from Epsilon Boötis – Prova do espaço, da Epsílon-Erídani”. Ele chega à conclusão de que, há 12.600 anos, está orbitando dentro do nosso sistema solar um satélite artificial, que tem armazenado um completo programa informativo para a humanidade. O computador a bordo desse satélite estaria programado de forma a reagir a ondas de rádio, provenientes da Terra, sempre que a sua própria posição em relação à Terra for propícia para uma recepção.

Os sinais terrestres vêm sendo registrados e devolvidos no mesmo comprimento de ondas, com retardamentos racionais. Mais cedo ou mais tarde, os receptores na Terra devem ficar sabendo de que se trata. Lunan é de parecer que, até agora, recebemos as seguintes informações desse satélite desconhecido em nosso sistema solar:

De acordo com Duncan, a mensagem – SPACE PROBE FROM EPSILON BOOTIS diz:

“O nosso Sol natal é Epsílon-Erídani. Trata-se de uma estrela dupla.
Vivemos no sexto de sete planetas, a contar, partindo do Sol, que é o maior dos dois astros.
O nosso sexto planeta tem uma Lua, nosso quarto planeta tem três luas; cada um de nossos primeiro e terceiro planetas tem uma Lua.
O nosso satélite encontra-se em uma órbita de sua Lua terrestre. Pela constelação de Epsílon-Erídani, a sua idade pode ser calculada em 12.600 anos.
Não é concebível que uma sonda interplanetária fizesse uma viagem dirigida e programada de 103 anos-luz.”

Será?

- Fim do Adendo -
Fonte:http://www.assombrado.com.br/
A pedido de um Anon que estava atrás de UFOs

quarta-feira, 26 de março de 2014

A Morte

Todos os dias você sai de casa por algum motivo, seja pra estudar, trabalhar ou até mesmo pra levar o cachorro pra passear. 

Algum dia você sentirá um aperto no peito e aquela terrível dúvida vai bater: E se não conseguir voltar pra casa hoje? E se eu morrer?

Bom, você sem querer vai cometer o erro de sair pra fazer tudo o que tem vontade, mas ao sair de casa você morre e ao acordar acha que ainda está vivo, quando na verdade não está. 

Você vai fazer tudo o que lhe der vontade, mas isso causara medo nas pessoas, pois você será um fantasma. 

Mas uma pergunta fica na minha cabeça é: As pessoas sentirão medo por você ser um fantasma ou por você aproveitar muito mais a vida do que alguém que está vivo?

‘’Faça tudo o que tiver vontade antes de partir’’. Reflita. 

Autor: Andrey Slv (Essa história é apenas para refletir, espero que tenha ficado boa.) 

quinta-feira, 13 de março de 2014

Elegância Demoníaca

Era sábado, Camila e suas amigas estavam ansiosas para ir numa festa que iria acontecer no centro da cidade.

Elas se arrumam e pegam o táxi. Ao chegaram à festa elas vão direto ao bar comprar uma bebida.

As amigas de Camila resolvem ir ao banheiro e a deixam tomando conta das bebidas.

Enquanto ela espera, um rapaz bem vestido se senta ao lado dela e puxa conversa. Ele é muito bonito e logo Camila fica encantada com o rapaz.

Ele a convida para conversar do lado de fora da festa e ela aceita. Papo vai, papo vem, ela não resiste e beija o rapaz.

Enquanto trocam beijos o celular de Camila caí e ela se abaixa pra pegar.

Ela pega o celular, mas em seguida a visão que tomaria conta de seus olhos seria a mais assustadora de sua vida.

Ela olha para os pés do rapaz e percebe que no lugar de pés ele possui patas de bode.

Camila desmaia e é encontrada no dia seguinte, visivelmente perturbada.

O que sabe hoje em dia é que ela nunca conseguiu se recuperar daquela noite, e que ela está internada em um hospício.

Relatos dizem que a cada três anos um homem bem vestido vai até o hospício deixar flores pra Camila. A família nunca deixou que ela recebesse as flores.

As flores sempre são rosas e quase sempre vem com um bilhete que diz: Ainda lembro daquela noite.  


quarta-feira, 12 de março de 2014

"Trem fantasma" assusta guardas no interior de SP


Um "trem fantasma" está assustando os moradores de São Roque, cidade do interior paulista. Guardas se assustaram com a chegada do veículo, sem ninguém dentro, na sede da Guarda Municipal. Sucateado e fora de uso, o vagão que chegou ao local não era tracionado por nenhuma locomotiva.

De acordo com os funcionários que estavam no local, o vagão passou em alta velocidade pelo local, parou mais adiante e voltou de ré. Para evitar qualquer acidente, os guardas o amarraram com cordas. 

Existem duas explicações para a movimentação: guardas afirmam que o equipamento estava estacionado em um local que tem um declive e, por isso, se movimentou até lá; já a America Latina Logística (ALL), concessionária da ferrovia, afirmou que o vagão sofreu uma avaria mecânica e estava sendo movimentado quando escapou e se deslocou até a estação. Sei ¬¬

terça-feira, 11 de março de 2014

Você sobreviveria a um ataque zumbi ?

Melhor Teste de Sobrevivência Inventado!


Você já se pegou pensando se você seria capaz de sobreviver a uma infestação de mortos vivos? Chegou a hora de saber como você se sairia. Responda às perguntas o mais honestamente possível, e não se esqueça de anotar suas respostas para poder calcular o resultado (sim, este é um teste à moda antiga). Boa sorte.

1. Você é:

a) Uma pessoa do sexo masculino entre 7 e 12 anos de idade.
b) Uma pessoa do sexo feminino entre 7 e 12 anos de idade.
c) Uma pessoa do sexo masculino entre 13 e 19 anos de idade.
d) Uma pessoa do sexo feminino entre 12 e 19 anos de idade.
e) Uma pessoa do sexo masculino entre 20 e 49 anos de idade.
f) Uma pessoa do sexo feminino entre 20 e 49 anos de idade.
g) Uma pessoa do sexo masculino com mais de 50 anos de idade.
h) Uma pessoa do sexo feminino com mais de 50 anos de idade.

2. Você acabou de perceber que a sua cidade está sendo atacada por zumbis. O que você faz?

a) Fico trancado em casa.
b) Pego meu carro e boto o pé na estrada.
c) Vou pra primeira delegacia de policia que eu encontrar.
d) Vou para um shopping.
e) Eu me mato com um tiro na testa.
f) Eu me mato tomando 80 comprimidos de Rivotril.
g) Ligo pro disque-denúncia.

3. Você tem uma arma de fogo? Caso a resposta seja não, qual das opções melhor retrata a possibilidade de você adquirir uma?

a) Sim, tenho uma arma de fogo.
b) Não, mas tem uma loja que vende aqui perto de casa.
c) Não, mas meu amigo tem várias.
d) Não, e não tenho a menor idéia de onde conseguir uma.

4. Qual das seguintes armas você escolheria pra se defender dos zumbis?

a) Um machadinho.
b) Uma espada.
c) Um taco de baseball.
d) Uma serra elétrica.
e) Um taco de golfe.
f) Uma furadeira.
g) Um martelo.
h) Um facão.
i) Um pé de cabra.

5. Podendo operar apenas uma arma de fogo, qual você escolheria?

a) Submetralhadora.
b) Pistola.
c) Rifle de assalto.
d) Espingarda de caça.
e) Metralhadora pesada.

6. que tipo de veículo você optaria para fugir dos zumbis?

a) Um Peugeot 206.
b) Um Ecosport.
c) Uma moto.
d) Um caminhão.
e) Um ônibus.
f) Uma bicicleta.

7. Que tipo de área você considera melhor para fazer uma barricada?

a) Zona urbana, no terraço de um prédio.
b) Floresta, numa barraca.
c) Uma plantação.
d) Montanhas.
e) Deserto.
f) Praia.

8. De quantas pessoas seria composto o seu grupo de sobrevivência?

a) Apenas eu.
b) Apenas eu e um amigo em quem confio.
c) 5 Pessoas.
d) 10 Pessoas.
e) Quanto mais melhor.

9. Qual é a melhor forma de parar um zumbi e garantir que ele não vai mais te atacar?

a) Gasolina e fogo nele.
b) Um tiro no meio da testa.
c) Descarregar uma Uzi no tórax dele.
d) Cortar a cabeça dele.
e) Atropelar ele.

10. Como está o seu condicionamento físico?

a) Estou barrigudo, mas ainda jogo bola.
b) Faço Yoga 4 vezes por semana.
c) Cheguei em quinto lugar na última São Silvestre.
d) Sou morbidamente obeso/a.
e) Sou magro, mas fumo 2 maços de cigarro por dia.
f) Não sou nenhum/a atleta, mas estou bem.

11. Você e um amigo são os últimos sobreviventes do grupo. Vocês estão no carro dirigindo sem rumo. Você percebe que ele foi mordido no braço por um zumbi. O que você faz?

a) Improvisa um curativo e continua com ele no carro.
b) Mata ele.
c) Separa-se dele, deixando com que fique com uma das armas.
d) Corta o braço dele fora pra prevenir que a infecção espalhe.
e) O obriga a descer do carro e fica com todas as armas pra você.

12. Você encontra um supermercado abandonado. O que você leva?

a) Arroz, feijão, muita carne congelada, ovos e leite.
b) muita água e muita comida enlatada.
c) Eu me tranco no supermercado.
d) Álcool, muito álcool. E umas 200 latas de Red Bull.
e) Todos os salgadinhos possíveis (Ruffles, Doritos, Pringles, etc) e muitas latas de suco Del Valle.

13. Você passa de carro por uma casa e avista três pessoas presas no telhado. Há cerca de quinze zumbis por perto, o que você faz?

a) Você para, mata os zumbis e da carona para os três.
b) Você diminui a velocidade, joga uma arma no telhado da casa e deixa que as pessoas se virem com ela.
c) Você atira nas pessoas por diversão.
d) Lidar com 15 zumbis é arriscado demais. Você lamenta, mas passa reto.
e) Você passa reto apontando e rindo das pessoas no telhado.

CALCULANDO OS PONTOS:

Pergunta 1
a) (2 pontos)
b) (1 ponto)
c) (6 pontos)
d) (5 pontos)
e) (8 pontos)
f) (7 pontos)
g) (4 pontos)
h) (3 pontos)

Pergunta 2
a) (7 pontos)
b) (6 pontos)
c) (4 pontos)
d) (5 pontos)
e) (2 pontos)
f) (1 ponto)
g) (3 pontos)

Pergunta 3
a) (4 pontos)
b) (2 pontos)
c) (3 pontos)
d) (1 ponto)

Pergunta 4
a) (9 pontos)
b) (3 pontos)
c) (6 pontos)
d) (2 pontos)
e) (4 pontos)
f) (1 ponto)
g) (5 pontos)
h) (8 pontos)
i) (7 pontos)

Pergunta 5
a) (5 pontos)
b) (4 pontos)
c) (2 pontos)
d) (3 pontos)
e) (1 ponto)

Pergunta 6
a) (4 pontos)
b) (6 pontos)
c) (2 pontos)
d) (5 pontos)
e) (3 pontos)
f) (1 ponto)

Pergunta 7
a) (4 pontos)
b) (5 pontos)
c) (3 pontos)
d) (6 pontos)
e) (1 ponto)
f) (2 pontos)

Pergunta 8
a) (2 pontos)
b) (4 pontos)
c) (5 pontos)
d) (3 pontos)
e) (1 ponto)

Pergunta 9
a) (4 pontos)
b) (5 pontos)
c) (1 ponto)
d) (3 pontos)
e) (2 pontos)

Pergunta 10
a) (3 pontos)
b) (5 pontos)
c) (6 pontos)
d) (1 ponto)
e) (2 pontos)
f) (4 pontos)

Pergunta 11
a) (2 pontos)
b) (3 pontos)
c) (4 pontos)
d) (1 ponto)
e) (5 pontos)

Pergunta 12
a) (1 ponto)
b) (5 pontos)
c) (4 pontos)
d) (2 pontos)
e) (3 pontos)

Pergunta 13
a) (2 pontos)
b) (3 pontos)
c) (1 ponto)
d) (5 pontos)
e) (4 pontos)

RESULTADOS:

De 13 a 21 pontos

Você morreu nos primeiros três dias da infestação.

Você estava completamente despreparado/a para lidar com os mortos vivos.Você tomou todas as decisões erradas, e agora está vagando pela cidade como mais um zumbi. Seu meio de transporte não foi dos mais seguros, e sua arma de fogo não foi apropriada para lidar com as situações que você enfrentou. Você não conseguiu conter os zumbis nem foi eficiente em manter distancia deles. Quando as balas acabaram, sua outra arma não era a mais apropriada para afastar um grupo de mortos vivos, por menor que fosse.

De 22 a 30 pontos

Você durou pouco mais de uma semana.

Você escapou de algumas situações de perigo e, por alguns dias, ameaçou um plano de sobrevivência. No entanto, algumas más decisões e escolhas duvidosas colocaram você de novo em apuros. Sua capacidade de conter zumbis era considerável, mas o excesso de problemas fez com que você fosse rodeado e mordido.

De 31 a 39 pontos

Você não passou dos 20 dias.

Ok, você bolou um plano. Percebeu o que estava acontecendo e tentou se proteger. Nas primeiras duas semanas funcionou, mas uma série de opções questionáveis foram deteriorando a sua segurança, a ponto de limitar os seus recursos muito antes do previsto. Não demorou para que, sem um plano B, você se visse desarmado diante de uma horda de mortos vivos. Acredite, a sua transição para se tornar um deles não foi nada agradável


De 40 a 48 pontos

Você quase chegou à marca dos 2 meses.

Você estava determinado a sobreviver. Preparou-se adequadamente pra isso. Os zumbis estavam sob controle, havia comida suficiente, e as suas armas eram eficientes. O problema foi que você esperava contar com a ajuda de algum tipo de operação militar, que nunca aconteceu. Passando dos 50 dias, a falta de suprimentos obrigou você a se locomover de forma não planejada, o que deixou você exposto a ataques de mortos vivos. Suas armas o mantiveram vivo por mais uma semana, até que a superioridade numérica dos zumbis te deixou sem saída, e você foi mordido.

De 49 a 57 pontos

Quase. 70 dias de infestação e você morreu, mas foi por pouco.

Estava tudo sólido. Você tinha um plano A que estava funcionando, e ainda contava com um plano B e um plano C. Depois de dois meses você estava praticamente acostumado a viver fugindo de zumbis. Foram os contatos com outros seres vivos que complicaram sua vida. Você estava preparado para se defender dos zumbis, mas não se precaveu contra outros sobreviventes e o que o desespero humano é capaz de fazer. Depois de uma traição, você se viu cercado de mais de 200 zumbis com apenas uma pistola. Então, a apontou para sua cabeça e puxou o gatilho.

De 58 a 66 pontos

Você está vivo. Mas não sem sacrifício.
O esquema anti-zumbi que você armou funciona, e suas armas são mais do que adequadas para qualquer emergência. Suas decisões e atitudes foram muito certeiras.Você tem suprimentos para mais de 30 meses, e está bem equipado para conseguir mais se necessário. No entanto, algumas das suas ações foram arriscadas, e você perdeu pessoas importantes na sua vida, pessoas que você deveria ter protegido.


De 67 a 76 pontos

Preparado para o fim.
Parabéns! Você fez tudo certo e está preparadíssimo para a crise de mortos vivos no país. Não se sabe até quando vai durar. Pode ser pra sempre? A raça humana já era? Não sei, mas se for assim, você será um dos últimos a ir

Fonte: http://residentevil.com.br/site/

Nos diga qual foi  o seu destino xD ~Otávio 

Sensitivos