sábado, 21 de setembro de 2013

Projeto: Demoniac Personality. Cap 1

Poxa... Fiquei meio bolado por ninguém ter comentado meu ultimo post :(... Eu queria saber se estão gostando né... Mas ta beleza... Ultimamente eu andava querendo escrever algum romance ou algo do tipo... Então comecei a escrever ''algo do tipo'' o Projeto: Demoniac Personality... Confiram abaixo e me digam o que acharam... Lembrando ainda vou postar as outras continuações, mas no caso de algumas eu acabei perdendo o rumo principal e a estoria ficou muito sem rumo, então ate estabilizar a situação que acabei deixando... confiram ''Cronicas de Lúcifer'' (Próxima parte virá logo), ''Sangue de Anjo'' e talvez, caso queiram, ''Projeto: Demoniac Personality''... ~Luan

Amanha Tudo Pode Mudar

Droga de lugar, droga de mundo, droga de ‘’talento’’, ou dom como alguns o chamam... Por que só eu? Todos me chamam de louca, ou paranóica... ‘’Esta assistindo muitos filmes garotinha!’’, já não posso contar quantas vezes já ouvi isso... Droga de filmes nunca gostei desse tipo de filme... Por que deveria estar assistindo muito eles? Alias... Porque raios eu tenho essa coisa? Minha irmã falou que era um dom dado a mim por Deus, mas para mim é uma verdadeira desgraça... Ver coisas que não deveriam estar lá, ver coisas ruins e tentar ajudar, mas sempre ser chamada de louca. Não posso ajudar ninguém, não posso fazer nada, apenas queria parar de ver isso, ou de escutar, ou parar com os dois. Bem, hoje sou uma excluída na escola... Já fazem 4 longos anos... Mas quem se importa, não quero me juntar a essas pessoas vazias, falsas e que acham que sabem de tudo.

Tive uma discussão com uma garota da minha classe, ela ficou me importunando a aula toda, me chamando de ‘’estranha’’, ‘’sombria’’, ‘’louca que vê espíritos’’, ‘’bruxa’’, ‘’retardada’’, ‘’esquizofrênica’’, ‘’lunática’’, ‘’garota que vai morrer sozinha’’, ‘’asquerosa’’, etc... Eu tentei me segurar, mas serio... Todo ser humano tem seu limite certo? Depois do intervalo na aula de sociologia, quando o professor falou sobre a aceitação de diferentes grupos de pessoas e essa tal de Julieta falou: ‘’é verdade, infelizmente, temos que aceitar essas pessoas retardadas que nem a Rafaela!’’, pra que pular no cabelo se eu posso desse a borrada na cara daquela vad... Eu pulei na frente dela e comecei com cruzado de direita, depois esquerda, depois direita de novo e depois o professor pulou para me segurar e acabou levando uma cotovelada no queixo e caio desmaiado... Bem, agora eu estou caminhando para casa pelo simples motivo de ter sido suspensa... Que droga... Deveria ter continuado a bater nela depois do professor ter caído... Estou me sentindo um tanto quanto arrependida por ter tentado socorrer aquele professor que me suspendeu... E ainda por cima aquela garota me fez a gentil pergunta: ‘’Porque você não morre de uma vez e deixa a gente em paz?’’... Mas bem que tem um sentido... Porque eu não morro? Não tenho motivos para continuar viva, certo? Sou uma excluída... Ninguém sentiria minha falta.

- Ei garota vem aqui... – Um homem de aparência suspeita fala baixinho se dirigindo a mim. Ignoro e continuo meu caminho.
O homem suspeito segura meu braço. – Ta se achando melhor que a gente é? Ta pensando o que? Só quero falar contigo em particular gatinha. Rá... Gatinha? Ele deve precisar usar óculos... Deveria recomendar algo do tipo? Não, acho melhor me desculpar e sair.
- Desculpa, não achei que era comigo... Mas eu tenho que ir para casa rápido, se não minha mãe briga comigo.- Falei tentando me livrar.
Mas para meu azar, apareceram mais 3 homens suspeitos que me seguraram, tamparam minha boca com um pano azulado e me levaram rapidamente para uma parte da praça onde não tinha ninguém. – Ei garotinha... você não deveria andar sozinha... Pode ser perigoso. Não ouviu falar de um molestador por aqui não?... Há, é mesmo... Você esta amordaçada, não pode falar, mas é assim mesmo que eu gosto... É nós somos os ‘’molestadores’’ e já sabe o que tem que fazer certo? – Termina de falar com um sorriso sarcástico no canto da boca... Maldito... Maldito... Maldito mundo... Maldito deus... Por quê? Porque isso tem que acontecer comigo? Porque tenho tanto azar? Eu deveria mesmo morrer, certo? Tenho certeza que depois daqui irei morrer... Mas... Por quê?

O líder começa a passar suas mãos sujas pelo meu corpo, começando pela minha barriga e subindo lentamente ate chegar a meus seios, logo após os aperta fortemente com as duas mãos, enquanto o que esta me segurando amarra minhas mãos e começa a apertar minha bunda... Serio? Eu vou ser mesmo estrupada?  Isso deve ser uma mensagem... Eu devo mesmo morrer, não é? O líder começa a tirar minha camisa e o que estava alisando minha bunda e quadril abaixa minha calça... O líder se enraivece por não conseguir tirar a minha camisa porque o seu comparsa teria amarrado minhas mãos e depois de uma pequena discutição entre os dois ele tira uma faca do bolso e corta lentamente minha camisa começando por baixo e lentamente, dando um toque macabro e agonizante ao momento, mas dani-se isso... Eu vou ser estrupada, droga... Lagrimas começam a sair pelos meus olhos sem parar... Droga... Deixando-me apenas com a roupa de baixo o líder olha para meus seios e olha para á lamina de sua faca. Aproximando sua faca ao sutiã ele corta o meio dele fazendo que meus seios fiquem expostos e depois segura o esquerdo fortemente e começa a lambe-lo... Que droga... Não consigo parar as lagrimas em meus olhos... Será que isso vai acontecer mesmo comigo? Depois que o que estava atrás de mim tirou minha calcinha e o líder abaixou o zíper de sua calça... Eu não tenho mais duvidas... Eu... Eu apenas... Quero morrer!...

Repentinamente um garoto de aparentes 15 anos acerta um chute no líder. O que estava atrás de mim, me joga no chão e corre para cima do garoto. Rapidamente o garoto se vira acertando uma cotovelada no queixo do homem, o terceiro que estava apenas olhando corre com um pedaço de pau e acerta o garoto na cabeça o fazendo cair... Obrigada pela tentativa, mas isso não é um filme ou um mangá onde o herói consegue salvar a garota em perigo... Essa é nossa triste realidade... Hã? O garoto esta se levantando depois da paulada? Seu rosto esta completamente ensaguentado... Hã? Que tipo de energia é essa? O que é isso? Lembra-me muito a energia de um ser maligno, mas é mais densa e não consigo sentir, mas nada alem dessa energia... é como se ela estivesse comendo todo o resto e tornando-se soberana... Sinto como se estivesse sumido, como se não existisse mais nada aqui... Apenas aquilo... Mas de onde esta vindo essa energia?
- Ahahahahahahaha! Serio? Só isso? Aahahahahahahahaha! Fraco! Fraco! Fraco! Merece morrer por ser tão fraco!  - O garoto ensangüentado grita com um sorriso alongado e assustador. Ele puxa o pedaço de pau que o terceiro estava segurando, segura a cabeça do terceiro e estraçalha o pedaço de pau no rosto do homem e depois acerta um soco em seu queixo o jogando ao chão inconsciente... Será que ele esta morto? Ele esta com os olhos meio abertos e esta completamente ensangüentado... É assustador... O chefe corre com a faca em direção ao garoto, o garoto chuta a mão o homem fazendo a faca voar ate a mão do garoto e depois segurando o homem pelo pescoço enfia lentamente a faca no ombro do homem o fazendo gritar, depois soca o rosto do líder o deixando inconsciente e gira, o jogando em cima do outro homem que estava inconsciente no chão... O líder também esta com uma expressão bastante mórbida... Será que também morreu? O garoto corre em direção ao que estava atrás de mim, que estava se levantando e o acerta uma joelhada e antes do homem cair no chão ele segura a cabeça do homem e começa a socar insanamente a barriga do mesmo, ate o ponto em que ele cuspiu sangue e desmaiou, logo após isso ele o joga para cima dos outras dois que estavam inconscientes (possivelmente mortos).... Ele... Ele... Esta empilhando corpos? Ele é um demônio por acaso... Mas... se... ele for mesmo... Eu não escapei de ser abusada... Foi apenas uma mudança de malfeitor... Mas, mas... Sou tão azarada assim? O quarto corre tentando fugir.
- Aaaaahhhh! Tentando fugir? Ahahahahahahahaha... Ate parece... Venha aqui quarto morto! – O garoto corre insanamente atrás do quarto homem.

Eu sabia... Ele esta matando todo mundo e a próxima deve ser eu... Não posso ficar aqui esperando ele voltar... Levanto minha calcinha e visto minha calça, dou um no na minha camisa para esconder meus seios e no momento em que faço o nó e viro as costas escuto um barulho de um corpo sendo jogado... Ao olhas para trás vejo o garoto com um sorriso insano olhando para mim... Repentinamente a sua expressão muda para a de alguém preocupado e toda aquela energia horrenda que eu sentia antes sumiu... Será que era esse garoto?
- Droga, acabei deixando algo ruim sair, me desculpe... Mas... Você esta bem agora? – Pergunta se aproximando a mim. Se... se aquela energia era realmente dele, ele não é uma boa coisa... O que devo fazer? Não consigo correr, minhas pernas estão cada vez mais tremulas a cada passo que ele dá para perto de mim.
- Si... Esto be... – Respondi, mal podendo falar de tanto medo.
- Hm... Desculpe-me se te assustei muito... E não se preocupe, pois eles não estão mortos... Eu acho... Bem, é melhor eu ligar para uma ambulância e sair daqui! – Termina de falar com uma expressão assustada... Talvez eu tenha me enganado? Talvez aquele medo de ser abusada me vez ver coisas?
- Tome isso... Andar assim pela rua só vai te fazer chamar a atenção de outros estrupadores! – Termina de falar jogando sua camisa para mim. Eu balanço a cabeça, visto a camisa e viro-me para a direção da minha casa.
- Ei garota! – O garoto grita quando já estou a mais ou menos 15 metros de distância dele, minha espinha gela e me viro lentamente... – Não se mate... Pare com essas idéias! Tudo passa... Pode esta tudo indo ruim agora, mas um dia tudo muda... Tudo é passageiro e no fim, tudo acaba bem, se não esta bem é por que não é o fim... E alem disso... Amanhã tudo pode mudar! – Grita com um pequeno sorriso no rosto. Ele sabe ler pensamentos agora?
- Você sabe ler pensamentos? – Grito curioso.
- Não! – Fala calmamente se aproximando a mim.
- Então como sabe o que eu estava pensando? – Pergunto, aproximando-me a ele.
- Uma coisa me disse que você precisava ouvir isso! – Falou tirando o celular do bolso e ligando para a ambulância (eu acho).
- E o que mais essa coisa pode dizer? – Pergunto um pouco irritada.

- Ela me disse que você ainda vai me devolver essa camisa!- Fala com um pequeno sorriso no canto da boca me olhando fixamente. Rá... como se fossemos nos encontrar novamente...

Continua?...

Escrito por: Luan

3 comentários:

  1. Ficou interessante, por favor continue postando mais

    ResponderExcluir
  2. É continua eu fiquei bastante curioso ótimas histórias vocês tem :)

    ResponderExcluir

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS