quarta-feira, 3 de julho de 2013

A FIGURA NEGRA


Até alguns anos atrás, o meu irmão Daniel e o namorado dele (é namorado mesmo) Marcelo estavam morando em uma casa de três quartos. Não deu muito tempo com eles morando lá até começar a acontecer algumas coisas bem assustadoras. As experiências pareciam se centralizar no Marcelo, para infelicidade dele.

Numa noite, Marcelo estava dormindo sozinho no quarto de visitas (acho que ele e o Daniel estavam brigados, não tenho certeza). Ele teve aquela sensação que você tem quando tem alguém te observando, então ele abriu os olhos e viu uma figura escura, parecida com uma sombra, se curvando sobre ele, olhando ele deitado na cama. Ele não falou qual foi a reação que teve na hora, mas da pra ter uma idéia.

Ele encontrou a figura mais algumas vezes em varias ocasiões diferentes. Andando pelo corredor numa noite, por exemplo, ele percebeu que aquilo estava andando pelo corredor vindo na direção dele. Aconteceu tudo tão depressa e tão de repente que antes que ele pudesse fazer algo, aquilo atravessou ele e passou batido como se ele não estivesse lá. Ele falou que quando isso aconteceu ele ficou totalmente congelado, como se estivesse dentro de uma geladeira, e que os pêlos do braço e da nuca dele se arrepiaram todos.

O Daniel e o Marcelo, depois de um tempo, fizeram uma redecoração na cada, o que consistiu em aumentar a sala um pouco empurrado uma das paredes, com isso eles acabaram aumentando o corredor também, que passava do lado dessa parede. Esse era o corredor que ia pros quartos e para o banheiro.

Numa noite, o Marcelo estava entrando no corredor quando ele viu a figura. Aquilo foi seguindo pelo corredor, mas de repente se virou e atravessou a parede, na parte nova dela que o Daniel e ele tinham construído. Marcelo sabia que o Daniel estava sentado no sofá vendo TV na sala do outro lado da parede. Ele parou por um instante e gritou "uh, Dani, você viu isso?" E o Daniel respondeu "....vi...." O Daniel falou depois que viu aquilo atravessar a parede, passar pela sala, entrar na cozinha, atravessar a porta e ir para a garagem, onde desapareceu. O Daniel e o Marcelo acharam que a figura estava indiferente com o desenho novo da casa e os seus movimentos ainda eram determinados pelo esquema velho da casa.

Daniel e Marcelo continuaram a encontrar a figura, mais durante o dia. Ainda parecia ser atraído para o Marcelo, especialmente quando ele estava dormindo, ou tentando dormir, e eu acho que ele finalmente, depois de um tempo, já não agüentava mais aquilo. Numa noite quando ele abriu os olhos e viu a sombra quase sobre ele de novo, ele pulou da cama, acendeu as luzes e, falando muitas obscenidades, falou em alto e bom som para que o fantasma deixasse ele em paz. O Daniel falou que ouviu ele berrando do outro quarto (eles deviam estar brigados de novo). O Marcelo não teve mais problemas com a figura visitando ele de noite depois disso, mas o Daniel continuou vendo a sombra atravessar a sala muitas vezes depois.

Os dois acabaram contando as histórias deles para um cara lá da vizinhança deles depois de um tempo, e esse cara já tinha morado lá naquela casa por acaso, e sabia tudo sobre todos da vizinhança. Ele falou que nos anos setenta, um garoto tinha morrido lá naquela casa, aparentemente de overdose de drogas. O quarto dele era o quarto de visitas, o que não me deixou nada contente, pois é naquele quarto que eu ficava sempre que ia visitar o meu irmão, mas apesar de tudo, eu nunca vi nada lá.

Mais algumas coisinhas estranhas que acontecem naquela casa, de noite, Daniel e o Marcelo ouvem, as vezes, o som de algum jogo de futebol vindo de algum rádio dentro da casa, mas nunca conseguem encontrar a fonte do barulho, sendo que os dois aparelhos de som deles estão sempre desligados quando isso acontece.

E finalmente, um dos garotos da vizinhança que toma conta do cachorro deles quando eles estão fora da cidade teve uma estranha experiência. Ele estava cuidando do cachorro por uns dias e num dos dias quando ele entrou na casa, encontrou vários pratos sujos na pia, onde não havia nenhum antes. Sabendo que ninguém tinha estado na casa (ou pelo menos não deveria ter), ele ficou assustado e saiu correndo de lá. Quando o Daniel e o Marcelo chegaram no dia seguinte, não tinha nada na pia. Bem estranho isso.

Daniel e o Marcelo se mudaram daquela casa a alguns anos atrás e estão felizes da vida por não estar encontrando atividade paranormal nenhuma na casa nova.

Relato enviado por: Tatiane - Rio de Janeiro

Fonte: http://alemdaimaginacao.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS