quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Parasita come rim de idosa (+16)

NÃO RECOMENDADO À PESSOAS SENSÍVEIS!

Uma idosa, internada no hospital com dores de estômago, entrou em óbito após a remoção cirúrgica de um parasita, de aproximadamente 10 centímetros, que estava comendo um de seus rins.

Hana Foldynova, de 76 anos, havia sido internada no hospital com fortes dores abdominais após seu médico descobrir sangue em sua urina.

Os médicos do hospital em Krnov, na República Checa, decidiram operar a vítima. Eles ficaram chocados ao encontrar um enorme parasita vermelho escuro, que inicialmente havia sido confundido com um coágulo de sangue.

Para piorar a situação, os cirurgiões também tiveram que remover um segundo verme, um pouco menor, medindo 6 centímetros, que migrou para a bexiga da mulher. O parasita foi identificado como Dioctophyma renale, é um nematóide de ocorrência mundial, normalmente encontrado em cães e extremamente raro em humanos. O ciclo evolutivo desse parasita é indireto, tendo como hospedeiro definitivo o cão e como hospedeiro intermediário um anelídeo oligoqueta parasita de brânquias de peixes.

No hospedeiro definitivo, o parasita adulto localiza-se geralmente no rim direito, assim os ovos podem ser eliminados com a urina. No meio ambiente os ovos requerem um período de incubação em meio aquático, necessitando ser ingeridos pelo hospedeito intermediário para se tornarem infectantes. Este nematóide pode chegar a 100 centímetros, se fêmea, e 45cm, se macho, de comprimento e o órgão parasitado costuma ser totalmente destruído. Nos animais infectados pode-se observar apatia, tristeza, emagrecimento, arqueamento do dorso, sangue na urina (hematúria), aumento de volume palpável na região renal e às vezes, andar vacilante. Além disso, pode-se observar peritonite (inflamação da parede interna do abdomen) e uremia (elevação de ureia no sangue) devido à insuficiência renal. 

Em casos extremos, mais frequente em cães, podem se aglomerar no rim, e eventualmente, passar para outros órgãos.

De acordo com os médicos, o parasita vinha comendo o rim da vítima, que acabou enfraquecida e não conseguiu se recuperar, morrendo pouco tempo depois da cirúrgia. O médico urologista Ivo Odstrcil afirmou que a mulher foi contamidada através da ingestão de um peixe mal cozido. Os organismos foram enviados para o Laboratório Nacional a fim de confirmar o diagnóstico. 

E para você se manter livre dessas belezinhas é indispensável os cuidados com a higiene e a alimentação, principalmente de populações que ribeirinhas, fator indispensável para a evolução do parasita, aumentando as chances de infecção de animais e seres humanos. Deve-se ressaltar também a importância da vigilância sanitária que deve estar preparada para divulgar informações e prestar auxílio a população suscetível, mas isso no Brasil... É outra história...

E para quem tem estômago forte.
Aqui alguns videozinhos inocentes de vermes removidos de cães:




Fontes:
http://www.dohits.com.br/
https://ragnewsnoticias.wordpress.com/
http://www.gadoo.com.br/
http://www.r12noticias.com/
http://faef.revista.inf.br/

2 comentários:

  1. Que coisa mais loka (vulgo nojenta), sen or '-' O tamanho daqueles bagulho lá lek, cê tá é doido ;-;

    ResponderExcluir
  2. por algum motivo... isso me deu fome '-'

    ResponderExcluir

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS