segunda-feira, 14 de julho de 2014

Ong’s Hat

Ong’s Hat, Nova Jersey, foi fundada em algum momento do século 19 por um homem chamado Ong depois que ele jogou seu chapéu no ar e perdeu-o em um galho de árvore… Por volta de 1920, a cidade tornou-se uma cidade fantasma, mas apesar disso, ela não foi esquecida.

Conta a teoria que durante os anos 1970 e 80, um novo paradigma científico chamado “Caos”, que se preocupa em encontrar a correlação entre situações cotidianas, tal como amarrar o tênis e ler um livro e todas as consequências que cada uma delas pode trazer – por exemplo, você foi amarrar o tênis, encontrou o livro embaixo da cama, levou o livro consigo, foi ler em uma praça, uma pessoa passou, leu o título da capa, achou curioso, resolveu comprar o livro, leu o livro e virou um assassino em série por causa disso, ou seja se você não tivesse amarrado o cardaço naquele exato momento, não haveria assassino em série – começou a ganhar popularidade.

Dois grupos de cientista, liderados por Dobbs desenvolveram uma teoria de que através da consciência pode-se modelar o seu próprio universo, desde que se aprenda a capacidade de controlar o caos e, por consequência, disponibilizando ao observador viajar para outras dimensões. Dobbs haveria até inventado um maquinário para desenvolver o cérebro das pessoas para atender essa estranha complexidade: a primeira câmara de privação sensorial chamada de “O Ovo”. Entretanto, como toda boa história, possui versões alternativas ainda mais sinistras...

Uma das outras versões dizem que Dobbs não fez absolutamente além de encontrar um Portal Interdimensional! Lembra do Ong do inicio desse item? Pois é, conta a lenda urbana que ele era um homem sempre muito bem vestido com um terno e um chapéu de seda que fundou a tal cidade em 1920 e que tinha sérios problemas com o seu chapéu que não parava em sua cabeça. Ong era um cara bem estranho e ninguém sabe de onde veio e nem para onde foi … para ser mais exato, ninguém sabe para onde todos os moradores do vilarejo foram depois de 1936. Todos eram muito recatados e só mantinham vínculos com os habitantes do próprio vilarejo. Todavia, por volta de 1932, segundo a lenda urbana local, as coisas ficaram estranhas. Aos poucos, a cidade parecia estar desaparecendo! No inicio de 1936, não havia mais nada na cidade, senão tijolos representando as estruturas que um dia estiveram ali e um galpão velho. Nenhum habitante, nada além do vento que sempre derrubava o chapéu de Ong.

Em 1970, Dobbs haveria chegado ao pequeno vilarejo abandonado com uma equipe de cientistas especializados em Estruturas Subterrâneas. Por algum motivo- que não ficou claro – Dobbs teria conhecimento de que havia algo embaixo do vilarejo. E parece que o seu palpite estava certo! Dobbs haveria encontrado em uma espécie de bunker uma máquina chamada “O Ovo” que permitia com que qualquer homem pudesse viajar entre as dimensões.

Quando essa lenda urbana chegou na Internet por volta de 1999, recebeu uma nova roupagem na história de Joseph Matheny. A lenda urbana terminou virando hoax e meme e, por fim, ganhou centenas de versões. A verdade é que as vilas do Condado de Burlington sempre contaram histórias sinistras sobre essa cidade fantasma, porém, onde termina a realidade e começa a ficção somente Dobbs – se ele existir – pode dizer (ainda que, seja difícil contatá-lo agora que ele está em outra dimensão).

Fonte: http://ahduvido.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS