quinta-feira, 14 de novembro de 2013

6 experimentos científicos assustadores

Todos já ouviram falar de cientistas loucos, não é mesmo? Felizmente, essa fantasia de gênios que criam coisas assustadoras fica só em livros e filmes, certo? Pelo menos parcialmente...

Confira:

1. Levando tiros para garantir experimentos aos cientistas


John Deering foi preso e condenado à morte por matar uma pessoa durante um assalto. Quando estava da prisão uns cientistas malucos o ofereceram ser cobaia de um experimento. Já que ele ia morrer mesmo, nada melhor do que ser útil para a humanidade, não é mesmo? Acho que esse era o pensamento dos cientistas.

A proposta era monitorar os batimentos cardíacos de John enquanto ele levava alguns tiros. Interessante?

Em outubro de 1938 ele teve equipamentos eletromagnéticos instalados em seu peito e levou 5 tiros de atiradores profissionais da cidade de Salt Lake, Estados Unidos. Segundo os especialistas a pesquisa foi boa para registrar o efeito do medo e a influencia dele nos batimentos cardíacos. Os cientistas afirmaram que os batimentos de John foram de 72 bpm para 180 bpm.

2. Testando a "safadeza" do peru


Dois estudiosos, sem noção, da Universidade da Pensilvânia, decidiram fazer uma pesquisa para saberem qual é o menor estímulo preciso para excitar um peru (???).

De início eles usaram uma perua e ele manifestou interesse. Depois eles foram removendo algumas partes do corpo do animal e o resultado continuava o mesmo. Até que os pesquisadores colocaram só a cabeça da perua em um palito, mas para o peru isso não fez a menor diferença, ele ainda quis se “agarrar” a ela. Qual a utilidade disso?

3. Cachorro de duas cabeças


Esse é o mais terrível e DOENTIO de todos. Em 1954, Vladimir Demikhov, decidiu implantar uma cabeça de outro cachorro no pescoço de um pastor alemão. A monstruosidade marcou muitas pessoas e era quase impossível acreditar que Vladimir tinha feito algo tão assustador.

A URSS comemorou muito e afirmou que seus médicos eram superiores ¬¬ por terem feito tal experimento, mas dos 20 cães operados, todos morreram rapidamente. 

4. Transplante de cabeça em um macaco



Depois de ver que o cientista russo criou o cachorro de duas cabeças, pesquisadores americanos decidiram entrar na briga. Foi quando Robert White removeu a cabeça de um macaco e implantou em outro corpo.

O animal acordou e seguiu o pesquisador demonstrando raiva no olhar. Pena que ele só sobreviveu 36 horas e não pode se vingar…

5. Dando choque em defuntos


Em 1780, depois que cientistas descobriram que a eletricidade fazia os membros de um sapo morto se mexerem, eles decidiram tentar o mesmo em cadáveres humanos.

Giovani Aldini percorreu a Europa apresentando shows bizarros, onde ele aplicava pólos de uma bateria de 120 volts no corpo de alguns defuntos.

Acreditem ou não, Giovani colocou os fios elétricos no reto e na orelha do cadáver, rapidamente o morto se balançou inteirinho. A impressão é de que ele estava ressuscitando. Em outra tentativa, ele colocou os fios na boca e em uma das orelhas do defunto, e os músculos se estremeceram e o olho esquerdo ficou aberto.

Tentativa FALHA de tentar reviver uma pessoa...

6. Banho de vômito, pela ciência...


Stubbins Ffirth tentou por muito tempo provar sua teoria de que a febre amarela não era contagiosa.

Engraçado que para provar suas ideias, ele decidiu se expor a doença. Stubbins fez cortes em seus braços e jogou vômito com sangue dos portadores da doença. Depois pingou gotas do vômito em seus olhos e inalou o vapor da mesma substância.

Por incrível que pareça Stubbins continuou saudável, mas hoje sabemos que ele estava muito enganado. E que se ele tivesse colocado o vômito diretamente na corrente sanguínea teria sido contaminado. De qualquer forma ele ter sobrevivido foi um milagre!

Posts Relacionados:

2 comentários:

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS