sexta-feira, 7 de junho de 2013

Quem Você Realmente É

Iaê galera? De boa? Estou treinando um novo gênero textual como poderão perceber... Espero que gostem, mas se não comentem para eu voltar a escrever em primeira pessoa e se gostarem postem que gostaram para eu continuar a escrever dessa forma. Agradeço a quem poder comentar e boa leitura...~Luan

Estava sendo apenas mais um dia normal na vida de Jonas, depois da aula ele combinou com seus amigos que às 2:00 da tarde eles iriam se encontrar na casa de Marcio para estudarem para as ultimas provas. Normal, nada de mais. Mas todos sabiam que não daria certo e que iriam apenas para se divertirem. Cinco confirmaram presença. Um pouco antes da hora marcada Jonas decide arrumar suas coisas e ir logo para casa de Marcio, eram 13:00.

Chegando na casa de seu amigo, vendo que ninguém havia chegado eles decidem assistir a um filme de terror enquanto os outros chegavam. Uma hora depois escutam uma batida na porta, Marcio vai ver quem era e era Ana uma de suas amigas que teria confirmado presença, os três ficaram assistindo o filme esperando os outros, passou-se mais uma hora, o filme já teria acabado e ninguém mais chegou.

Logo decidiram não estudar e ficaram procurando oque fazer, ate que Jonas pergunta: ''Vamos jogar algum jogo de espíritos?''
''Ok, mas qual?''- Pergunta Marcio interessado.
''Ah não, não vou jogar nenhum jogo desse tipo!''- Afirma Ana assustada.
''Vamos lá, oque que custa? Se duvidar nem vai funcionar...''- Falou Jonas querendo convencer sua amiga a participar do jogo.
''É Ana, deixa de frescura, se não der certo a gente para!''- Afirma Marcio empolgado.
''Hum...''- Resmunga Ana.
''Ah vamos... Por favor, jogar só de dois é chato! Quebra essa Ana!''- Insistiu Jonas.
''Ta certo, mas se alguma coisa acontecer, a culpa é de vocês!''- Afirma Ana com uma cara desconfiada.
''Ok, ok!''- Jonas fala com um sorriso em seu rosto.

Começaram a pesquisar rituais e jogos envolvendo espíritos, até encontrarmos um em um blog, não era um blog muito visitado, parecia ter sido criado recententemente. E esse ritual atraiu a atenção de todos pois era novidade. Não era o tabuleiro ouiji, não era em si uma invocação de espíritos e sim a invocação do seu espirito interior, o seu verdadeiro eu.

Era bem simples, você só precisava de uma gota do seu sangue, uma cruz, e desenhar um pentagrama em volta da sua gota de sangue e depois de rezar cinco credos e três pai nossos, mantendo em sua mente a pergunta ''Quem sou eu?'', era só apagar uma das pontas do pentagrama de sua escolha, se o ritual desse certo você falaria com uma entidade não identificada que faria algumas perguntas antes de mostrar quem você realmente era.

Todos fizeram o ritual ao mesmo tempo. Jonas apagou a ponta da direita superior, Anna a ponta esquerda inferior e Marcio a ponta meio superior. Depois de um minuto de espera uma voz grave surgiu falando: ''Vocês querem saber quem vocês realmente são?''
''Sim!''- Todos afirmam.
''Nem sempre o que realmente somos é algo bom... Ainda querem saber?''- Fala de uma forma intimidadora.
''Sim!''- Todos respondem um pouco assustados.
''Vocês não sabem no que estão se metendo... Vocês podem perder quem são agora e fazerem o que nunca fariam antes, sendo algo bom ou ruim... Ainda querem saber?''- Pergunta com um tom de voz refletindo um sentimento de pena...
''Sim!''- Todos respondem um pouco abalados
''Pois irei dar a cada um uma pequena amostra do que vocês farão depois disso!''- Afirma calmo.

Depois de cada um ver, individualmente, o que aconteceria ficaram muito abalados e a voz mais uma vez perguntou: ''Ainda querem saber quem realmente são?''
''Não!''- Respondem assustados Anna e Marcio.
''Sim!''- Responde Jonas com um olhar determinado.
''Ora, ora. Mesmo depois de ver algo assim, você quer mesmo ver quem realmente é? Libertar isso de você?''- Pergunta a voz surpresa.
''Não importa o que você me mostrou, eu não irei mudar nada do que eu sou hoje e logo agora que vejo isso não irei me permitir fazer algo desse tipo!''- Afirma ainda mais determinado.
''Esta bem, mas a sua é a pior de todas... Tem certeza? Você ainda tem chances de voltar atrás... Não irá acontecer nada se você parar agora...''
''Eu quero saber, e além disso... Isso deve ser uma espécie de teste certo? Entre o possível verdadeiro eu e a fé de mim mesmo, certo?''- Jonas pergunta ainda confiante de si mesmo.
''De uma certa forma... Pode-se dizer isso... Vai querer isso mesmo?''- Pergunta desesperançoso.
''Sim!''- Afirma Jonas.

O tempo passou e a voz já não respondia mais, estava tudo quieto, e nada tinha mudado. Todos riram aliviados, achando que aquilo tudo era apenas uma brincadeira sinistra que os espíritos teriam feito com eles. Até que alguém bate na porta, Marcio vai ver quem é. Abrindo a porta se depara com uma pessoa encapuzada que passa rapidamente uma faca em seu pescoço. Escutando o barulho de alguma coisa caindo Anna sai do quarto para ver o que tinha acontecido e se depara com a porta aberta e Marcio ainda agonizando no chão, ela grita e tenta correr, mas é surpreendida pelo homem encapuzado, apenas vendo aqueles olhos insanos, um olhar completamente arrepiante e medonho. Ela fica paralisada e o homem corta a sua garganta rapidamente. Escutando o grito de Anna, Jonas corre e chegando lá se depara com o corpo de Anna e Marcio já sem vida e ensaguentados no chão e um homem de capuz de pé entre os dois. Não era possível ver seu rosto, mas seu olhar insano, sim. Jonas cai em desespero ''O que está acontecendo? Porque isso aconteceu? Porque eles?'', esses eram os pensamentos de Jonas naquele instante. O assassino ri e fala: ''Foi você que os matou!''
''Claro que não, eu nunca faria algo assim! Quem os matou foi você seu psicopata. O que você quer?''- Pergunta gritando e se encharcando em lágrimas de desespero e temendo por sua vida.
''Se não foi você, por que essa faca ensaguentada esta em suas mãos?''- Pergunta o assassino.

Ao olhar para baixo se vê coberto por sangue e com uma faca em sua mão direita. Sem saber o que era aquilo tudo ele segura fortemente a faca e corre em direção ao homem encapuzado e enfia a faca em seu ombro direito, o capuz do homem cai e o que Jonas vê é ele mesmo, mas com um olhar e sorriso psicopáticos. O outro Jonas fala com sua imagem se desfazendo até desaparecer por completo: ''Assim mesmo garoto!''

Jonas cai de joelhos com sua face inexpressiva, em choque por não conseguir processar tantas informações. Sussurrando fala: ''Não posso me perder, tenho que passar desse teste, pelo menos pelos meus amigos que não estão mais aqui... Não posso perder para 'ele'!''. Ficou lá de joelhos até a mãe de Marcio chegar. A mãe de Marcio, grita e chora desesperada. Ela chama a policia. Depois de meses preso Jonas é jogado em um manicômio, pois não falava nada e nem esboçava nenhuma reação.

Depois de 5 anos Jonas está sentado em sua cama, em um quarto isolado no manicômio. Um enfermeiro entra em seu quarto levando comida, o mesmo começa a falar: ''Cara, esse guri ainda  tá assim? Nenhuma melhora em tanto tempo... Que triste, existe cada doido aqui... Espero arranjar um outro emprego rápido não aguento mais ficar aqui!'', coloca a comida em cima da mesa ao lado da cama de Jonas e se senta perto da porta. Jonas pega o prato de comida e o devora em uma velocidade incrível. O enfermeiro pega o prato e sorri falando: ''Comendo rápido como sempre em Jonas!''
''Sim!''- Jonas pela primeira vez fala alguma coisa.
''Wow, você finalmente resolveu falar... Finalmente uma melhora!''- Falou o enfermeiro sorrido.
''Ah cara, sabe de uma coisa? Eu realmente não sou bom em testes!''- Falou calmamente olhando para a unica porta de seu quarto.
''Ok, vou avisar o medico sobre sua melhora e jájá ele vem aqui para te ver!''- Fala abrindo a porta.

No momento em que o enfermeiro abriu a porta foi surpreendido por Jonas que segurava fortemente sua cabeça: ''Nunca tirei notas boas em testes mesmo!'', nesse mesmo instante Jonas gira a cabeça do enfermeiro quebrando seu pescoço, e com um olhar e um sorriso completamente insanos olha para o corredor que existia logo após a porta dizendo: ''Tenho que me divertir até chegar a recuperação!''

Gostaram? Comentem... e Ate a próxima ~Luan

Um comentário:

  1. Em manicômios? Os enfermeiros enchiam os pacientes de porrada até falarem. Jura que essa preocupação existia. Enquanto aos tipos de textos, ambos estão bons. :D

    ResponderExcluir

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS