quarta-feira, 13 de março de 2013

BRUXA DOS CRÂNIOS


Na época do Brasil colônia, em Portugal, havia uma bruxa chamada Amália que era conhecida por ser paga para fazer rituais macabros.

Quando uma pessoa, de posses, precisava prejudicar algum inimigo pagava para a feiticeira com objetivo de fazer uma magia para seu rival. Para realizar o ritual, esta maga pegava crânios e colocava perto da casa da vítima com o objetivo de enfraquecê-la psicologicamente. Porém, Amália foi denunciada e a única solução para escapar da pena de morte era pegar uma embarcação em direção ao Brasil.

Assim, a feiticeira entrou em terras tupiniquins, mas continuou usando o mesmo método de magia. As autoridades religiosas brasileiras resolveram queimar Amália na fogueira. Mas, antes de morrer ela exclamou: "Voltarei, aqui, para lá do ano 2000!" O tempo passou, e, por 'coincidência' em março de 2013 crânios foram espalhados na região de São Paulo.

Então, as autoridades prenderam uma suspeita chamada Leonarda da Paixão bem quando ela estava saindo do cemitério da Vila Formosa portando dois crânios. Esta senhora disse que comia alimentos de despachos e roubava os crânios deixados nestes tipos de trabalhos espirituais. Segundo ela o próprio Diabo dava direito de ela ter esses crânios e que alguns eram doados por ele. Ela também afirmou gostar de roer esses ossos.

Porém, boatos surgiram com relação a estes fatos. Algumas pessoas falaram que Leonarda é um tipo de bruxa, que realiza feitiçarias em troca de dinheiro. Segundo estas mesmas criaturas, esta senhora era contratada por pessoas que desejavam vingança dos seus inimigos através de magia e o método que ela usava era deixar crânio perto das residências das vítimas com o objetivo de enfraquecê-las espiritualmente, pois só assim o ritual macabro daria resultado. Mas, como a polícia não encontrou provas para esta versão, Leonarda foi internada num hospital psiquiátrico.

Por causa desta história toda, reza à lenda que Leonarda é a reencarnação de Amália.

Veja abaixo o caso:

Na noite de sexta-feira, a Polícia Civil havia divulgado imagens de uma mulher que colocou um crânio humano em frente ao Consulado da África do Sul, na Avenida Paulista. Segundo a delegada Vitória Lobo Guimarães, titular do 78 Distrito Policial (Jardins), que investiga o caso do consulado, Leonarda é a pessoa que aparece nas imagens das câmeras.

A delegada afirmou que trata-se de uma mulher com problemas mentais. Segundo a polícia, Leonarda - 42 anos - prestou depoimento com informações completamente desconexas e aparentando forte transtorno mental. A suspeita dizia que a mando do demônio furtava caveiras de despachos de macumba. Antes, porém, era obrigada a comer os alimentos expostos nas oferendas.

A delegada Vitória disse que a investigação vai prosseguir para saber se Leonarda é responsável por distribuir crânios humanos por outros sete locais da capital paulista.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública, Leonarda vai responder a inquérito por vilipêndio de cadáver, cuja pena varia de um a três anos de detenção, mais multa. Ela deve ser encaminhada para um hospital psiquiátrico. Ao sair da delegacia, na tarde deste sábado, escoltada por policiais, a mulher repudiou jornalistas com gestos feitos com a mão.

O primeiro crânio humano foi localizado numa jardineira, em frente a um prédio, na Avenida São Luís, Centro. No dia 21 de fevereiro, um crânio foi encontrado em frente ao Consulado da Rússia, na Avenida Lineu de Paula Machado, no Butantã. Em 23 e 24 de fevereiro, outros foram achados no Jabaquara (2) e no Butantã, em frente  a igrejas Mormon. Depois, os crânios foram localizados em frente ao Consulado da República Tcheca, no Morumbi, na Avenida Paulista  (dia 1 de março) e na Alameda Barros (3 de março).

Fontes:
http://www.mrmalas.com/
http://catendenoticias.blogspot.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS