sábado, 29 de novembro de 2014

A porta #2

O que divide o tão clamado Céu da Terra, senão o glorificado véu tulpa? - Marcaz

O maior problema dos seres humanos é que eles esperam por soluções mirabolantes e imediatas, porém, essas soluções apenas existem no mundo astral (se estralar os dedos para criar uma explosão for valido). Mas no astral, você está sonhando... Ou será que não? Bem, deixemos dessa forma por enquanto. Primeiro quero deixar claro que não sou dono da verdade. E nem mesmo seremos com um doutorado em qualquer área! E sua religião não irá lhe tornar alguém melhor!
                

Essas afirmações são clichês? São! Mas por um motivo evidente. No último post: ‘’A porta’’, apresentei uma visualização ínfima. Nada muito meticuloso ou realmente interessante. Afinal, essa foi a intenção. Para deixar claro: Não quero cativar os leitores! Mas, em contrapartida, não quero lhes jogar em um inferno e explicar como sair dele. Eu quero que olhem os céus. Não apenas para esse aglomerado de nuvens e borrões de poluição.

Digo agora com todas as palavras ava...: Eu não irei mais lhe dar ‘’a chave’’! Se quer mesmo ir para esse lugar escuro, encontre-a você! Lhe darei boas dicas nesses posts, principalmente para conhecimento sobre a magia ao seu redor. Mas, como não sou um sacana que diz uma coisa e depois muda de ideia, irei deixar a chave aqui. Exposta! Porém fragmentada, nesse e nos futuros posts. Adivinhe, ela estará escondida. Você já passou por ao menos uma dica. Onde três são bastante obvias.

No caso, hoje lhes falarei sobre uma prática extremamente crucial. Não só para ir ‘’ao outro lado’’, mas para carregar em sua vida!

Pensamentos... A dadiva da racionalidade. Quem dirá que só os seres humanos pensam? Já vi gatos mais espertos que garotas galantes. Já vi pássaros mais amigáveis que o mais inteligente dos macacos bípedes. Se é que posso chama-lo de animal... Alguns se chateiam, sabe?!

Embora seja o nosso melhor amigo, é o nosso mais cruel inimigo. Pergunto-me quantas vezes minha mente tentou se impor contra mim. Seja em uma decisão simples, a rever um passado melancólico que nem possui tanto sentimento assim, mas que ela faz questão de enfatizar.

 - Diga-me. Quem está no controle agora? Você, ou ‘’você’’?

De certo, os dois são um só. Não há separação! Confuso? Mas a confusão foi você que criou. Logo, você criou seu maior inimigo para ter uma companhia. Mas que atitude imbecil! Se sente tão solitário assim?

Alguns, podem estar sãos. Outros podem pensar estar sãos. E os piores devem estar se revirando em suas cadeiras ou camas sem saber o que responder. Por agora, qualquer resposta basta. Caso a resposta seja o você, reflita sobre isso, se fortaleça e mantenha o controle. Monitore seus pensamentos, ok?

Porém, caso a resposta seja o ‘’você’’, se esforce, mude! O seu inimigo irá usar todas as artimanhas para não perder o controle. Lembre-se, ninguém lhe conhece melhor do que sua mente. Caso se sinta mais confortável: Não pense que a sua mente é um inimigo, ou aliado, ou um carinha de face dupla. Ela é apenas algo que deve ser domado. Da maneira que achar melhor. Algumas horas ela pode sair do controle, mas isso é um sinal para se lembrar.

- Você já a dominou uma vez. Esse não será o fim!

Que tal um exercício? Aposto que mais da metade das pessoas que leram o último post não fizeram o que eu pedi. ‘’Analisar seus motivos e sentimentos a respeito.’’ Pegue uma caneta/lápis, e um papel/caderno. Anote nesse caderno todos as suas características negativas durante uma semana. Seja sincero consigo mesmo. Sinceridade é essencial! Na outra semana escreva todos os seus positivos, mas continue anotando os negativos na medida em que você os perceba.

Use esse tempo para meditar. Existem milhares de técnicas. Mas recomendo a mais básica. Simplesmente feche os olhos, deixe todos os pensamentos fluírem, não isole nenhum agora, não se foque em nenhum. Depois que seus pensamentos começarem a ficar mais calmos. Concentre-se na sua respiração. Comece aos poucos a rever seus atos. Caso esteja chateado(a) com alguém, tente perdoa-lo. Caso esteja arrependido, tente se perdoar. Peça desculpas a você mesmo. Depois de algum tempo abra seus olhos e anote todos as novas características que encontrou.


Detalhe: Siga o que eu digo se quiser chegar ''ao outro lado'', mas saiba que não é o único meio. Não vou fazer questão de ficar no seu pé. O intuito de chegar a algum lugar é seu! Caso não acredite, simplesmente aprecie a minha esquizofrenia e meus conceitos de psicologia.

Dica: Qualquer contradição contida no texto é intencional. Analise-as e tente descobrir o que quero dizer. Pode não ser nada demais. Mas, também pode ser o que você está procurando.

                  Caso desejem uma analise mais aprofundada sobre o assunto, tenham alguma duvida, ou sugestão, comente! - Marcaz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS