sábado, 29 de junho de 2013

A Maldição do Lobisomem – Parte 11





“O que é sobrenatural
Não é COMO as coisas são no mundo
Mas o fato dele EXISTIR...”

Renome, Posto... O que são?

Renome

O Renome de um Lobisomem é medido em termos de três áreas específicas: Glória (que se refere a perfeição física, riscos corridos e vitórias em combate), Honra (o senso de dever de um Lupino, sua ética e sua moral, sua honra pessoal), e Sabedoria (erudição, paciência, esperteza, inspiração e harmonia espiritual).
O Renome de um Lobisomem indica o quanto o Lobisomem cumpre daquilo que a cultura Lupina exige dele. Por esta razão, o augúrio influencia fortemente o Renome de um Lobisomem. O augúrio de um Lobisomem é o papel que a sociedade espera que ele desempenhe. Os Lobisomens que não prestarem atenção a esses detalhes perderão Honra e até mesmo Renome de forma regular.
Obter Renome permite que o Lobisomem venha a subir de Posto. Testes de Renome podem ser usados para simular a reação da sociedade Lupina. Esses testes podem ser ferramentas úteis durante situações sociais.

Glória

Obter distinção entre seu povo pela conquista de grandes triunfos e pela realização de bravas cruzadas é um aspecto da Glória. Os Lobisomens com níveis altos de Glória possuem um esplendor e um garbo que induz os outros Lobisomens a reverenciá-los.
A Glória é o respeito que um indivíduo recebe por sua habilidade marcial e sua capacidade de resolver as coisas a qualquer preço. É apenas pela realização de grandes façanhas que os Lobisomens obtêm Glória.
Testes de Glória podem ser usados para determinar se um Lobisomem (e sua Matilha) pode acompanhar um grupo de guerra ou requisitar equipamento de combate. Isso também é uma medida do quanto o Lobisomem é famoso, pois são os Lobisomens com níveis altos de Glória que costumam ter seus feitos contados ao redor de fogueiras.
Um teste de Glória também influencia o Lupino em posições de liderança e em situações nas quais um Lupino esteja conduzindo outros de sua espécie. Os Lobisomens com níveis baixos de Glória são pouco conhecidos, e aqueles sem nenhuma Glória costumam ser considerados tímidos e fracos.

Honra

A Honra é uma das poucas formas pelas quais se impõe as leis da sociedade Lupina. É uma combinação de orgulho, dignidade e integridade pessoal. Quando um Lobisomem obtém Honra, sua integridade, honestidade e fidelidade está sendo reconhecida. Além disso, é um sinal de respeito.
A Honra é uma fonte de grande orgulho para aqueles que a possuem, devendo ser guardada cuidadosamente. Uma pessoa de Honra adere à moral e aos princípios mais elevados, permanecendo resoluta frente à adversidade e ao perigo.
As ações mais honráveis são aquelas realizadas a despeito de todas as penalidades. A Honra denota um senso aguçado de (e uma conformidade rigorosa com) um código de conduta.
Impostura e fraude não são práticas aceitáveis entre aqueles que buscam Honra. Para que se alcance Honra, faz-se necessária uma certa dignidade, uma apreciação específica das responsabilidades da verdadeira moralidade.
A Honra é perdida facilmente quando se é tomado pelo frenesi (já vimos anteriormente), afinal, nesse estado é possível praticar qualquer tipo de ação maligna.
Testes de Honra podem ser usados para determinar se um Lobisomem é visto como confiável e honesto, assim como o rigor com que ele segue as leis Lupinas, particularmente a Litania. Esses testes são muitíssimo importantes quando o Lobisomem é apresentado aos Anciões, afinal, é pela Honra, e não pela Glória, que se impressiona esses velhos.
Os Testes de Honra podem também determinar a forma como o Lobisomem é tratado em determinadas circunstâncias, e os outros Lupinos podem até mesmo consentir um teste de Honra para um Lupino que precise de um “sentido de honra” sobre alguma coisa.
Os Lobisomens com níveis de Honra baixos são vistos com suspeita; aqueles sem nenhuma Honra costumam ser tratados um pouco melhor que os foras da lei. Além disso, quando falam com os Anciões, as palavras dos Lobisomens sem honra costumam ser submetidas a um Ritual da Verdade (como nossos detectores de mentira).

Sabedoria

Os Lobisomens que são considerados sábios recebem reverência, veneração e deferência. Sob muitos aspectos, uma reputação de Sabedoria é incompatível com uma reputação de Glória, mas nem sempre esse é o caso.
Uma pessoa com um nível alto em Sabedoria possui um senso de julgamento e discrição bastante aguçado, bem como erudição e capacidade de discernir entre verdade e mentira.
A única forma de um Lobisomem obter Sabedoria é oferecendo seu julgamento e conhecimento em momentos de crise.
Testes de Sabedoria podem ser usados para determinar se a sociedade Lupina considera um Lobisomem sábio ou harmonizado espiritualmente. Esses testes são muito importantes quando um Lobisomem procura descobrir segredos sobre os outros Lupinos. Pode ser usado com um teste para ver se é confiado um segredo ao Lobisomem ou se lhe é permitido comparecer a uma Reunião especial.
Os Lobisomens com níveis baixos de Sabedoria costumam responder às perguntas com um silêncio pétreo. Aqueles sem nenhuma Sabedoria são vistos como bufões que podem ser perigosos para si mesmos ou para os outros.

Posto

Entre os Lobisomens, Posto é tudo. Posto, mais que qualquer outra coisa, mede a posição e o respeito que o Lobisomem conquistou junto aos seus pares. Os maiores segredos da Tribo são ensinados apenas àqueles Lobisomens que tenham provado seu valor, e a melhor forma de fazer isso é obtendo Posto.
Todos os Lobisomens aumentam seu Posto através da obtenção de Renome. Há uma variedade de benefícios associados a cada Posto.
Cada vez que um Lobisomem obtém um Posto novo, ele tem a oportunidade de aprender novos Dons. Para aprender um Dom, o Lobisomem precisa possuir a vasta experiência requisitada, além de Renome necessário, pois apenas experiência não basta para comprar a confiança dos espíritos e dos pares de um indivíduo. Os maiores segredos são reservados aos Lobisomens mais valorosos e confiáveis.
Os Lobisomens de Postos mais baixos devem prestar reverência aos de Posto mais alto, particularmente dentro da Tribo, embora os Lobisomens de Posto suficientemente alto sejam conhecidos por toda a sociedade Lupina.
O Posto também exerce um efeito nos indivíduos que possam desafiar legalmente um Lobisomem. Um Lobisomem só pode desafiar outro se não houver mais de um Posto de diferença entre eles. Qualquer desvio disto provoca no desafiante a perda de Honra.
Os Lobisomens de Posto mais elevado devem liderar e proteger os outros de sua espécie que são menores, guardando a Matilha de intrusos, e empreitar grandes cruzadas em prol de sua Tribo.
O Posto, sendo a soma do Renome de um Lobisomem, também quantifica a virtude desse Lupino. Quanto mais alto for o Posto de um Lobisomem, mais ele estará perto de um modelo “ideal” de Lobisomem, e menos será provável que ele venha a sucumbir a impulsos animais.
Portanto, os Lobisomens de Postos mais altos conseguiram, devido aos seus atos e à sua experiência, aprimorarem-se a um ponto que eles tendem menos a ser tomados pelo frenesi e pela fúria.
Na realidade e em simples exemplo, o Posto equivale ao exército: Você começa como soldado (Posto 01) e chega a general (Posto 05 ou 06).

Fúria Interior

Os Lobisomens são criaturas de instinto e paixão, não apenas porque uma fera reside em seus corações, mas porque eles nunca abandonam a alma da natureza em sua perseguição incansável pela civilização.
A Fúria é uma medida da capacidade de um Lobisomem para a loucura absoluta, bem como para a determinação. É o magnetismo animal e a luxúria que provém do instinto, é o temor que deriva da ignorância e do ódio gerado pela insanidade.
A Fúria é muito importante para os Lobisomens, porque eles podem usá-la para executar feitos extraordinários, e também porque ela freqüentemente os induz a atos dos quais se arrependem mais tarde.
Além disso, a Fúria é o que lhes permite mudar entre as formas lupina e humana. Qualquer que seja sua origem e natureza, a Fúria consome a energia e a atenção de um Lobisomem. Um Lobisomem dedica a maior parte de sua existência a direcionar sua Fúria para bons propósitos, e até mesmo a conter seus impulsos mais negativos.

Como vimos, Lobisomens precisam de Renome. Lembram desta frase: ...mas acontece que um tal de Jeremias, traficante de RENOME, apareceu por lá... (Faroeste Caboclo – Legião Urbana).
Isso quer dizer que Jeremias tinha RENOME, ou seja, era muito reconhecido por seus atos. Assim é com os Lobisomens em geral.
Vencer uma grande luta e acabar com uma cicatriz enorme pode lhe render muito Renome. Já fugir diante da aparição de uma ameaça pode deixar seu Renome lá embaixo.
  

Continua...
Walacionil Wosch


2 comentários:

  1. rapaz cê é um livro ambulante. Não canso de elogiar (vc deve tá cansado dos meus elogios). A cada post, uma surpresa. Antes eu achava os vampiros as criaturas mais poéticas (por não terem coração), agora acho o lobisomens (por terem uma fera no peito).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Anna, minha querida. Eu nunca vou me cansar de ler seus comentários, e nunca vou cansar de dizer isso: AGRADEÇO DE CORAÇÃO.
      Que bom que você esteja gostando.
      Na real, os Lobisomens têm que controlar sua fúria interior, senão podem causar diversos transtornos e acidentes. A simples presença de um Vampiro (e eles podem saber quem é Vampiro pelo cheiro) pode desencadear a sua fúria e aí já viu né....
      Um grande beijo no seu coração.
      VALEUUUUUUUU

      Excluir

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS