O quadro do sorriso do Diabo

Em 1973, uma mulher chamada Valentina de las Lurdes, habitante da cidade de Santiago, no Chile, acordou a noite com um estranho ruído vindo do quarto de sua filhinha de um ano. Ao ir ver o que estava acontecendo, teve uma surpresa ao ver que um enorme quadro na parede, a cima do berço da garotinha. 

Esse quadro tinha uma moldura dourada e tinha uma imagem de um homem pintado nela do peito para cima, porém seu rosto não podia ser visto, pois, havia tingida preta cobrindo, como se alguém tivesse pintado por cima. 

A mulher se assustou, já que morava sozinha e não colocara aquilo ali, ao procurar pela casa, viu estar tudo trancado e não havia ninguém. Na manhã seguinte, a mulher tentou retirar o quadro, mas parecia estar colado, e por dois dias, inclusive com ajuda de amigos, tentou se livrar daquela imagem que estava no quarto de sua filha, mas sem sucesso. No terceiro dia, o choro do bebê fez com que vizinhos arrombassem a casa e entrassem, mas não tinha ninguém além da criança, a mãe desapareceu, e o quadro também.

Monstros que foram vistos durante tempos de guerra


Crocodingo

A guerra civil foi, de longe, a guerra mais sangrenta que os americanos já sofreram. Numa época em que as atrocidades da escravidão eram consideradas o maior mal do mundo, surgiram novas ameaças que os seres humanos nunca tinham visto. As lendas começaram a girar em torno de monstros e animais que foram vistos por muitos, mas capturados por ninguém. A criatura Crocodingo foi descrita como sendo um animal que era meio crocodilo e meio dingo.

Esta criatura parecia assombrar e aterrorizar soldados confederados localizados  em diferentes partes do Tenessi. Embora possa ser apenas a imaginação correndo solta de pessoas com uma falta de educação sobre os animais, os numerosos avistamentos dão crédito à ideia de que essa criatura pode realmente ter existido.


Os primeiros relatos desta criatura veio de um homem chamado Hank Lemon. Uma noite, Lemon ouviu os cachorros rosnando e latindo descontrolando na escuridão. Sua curiosidade o dominou e ele saiu para investigar. Depois de não encontrar a fonte da comoção Lemon decidiu voltar para a casa, mas quando ele se virou ele encontrou-se de frente para o monstro. Ele descreveu a besta como tendo o corpo de um cão e a cabeça bulbosa de uma criatura reptiliana.

A Lenda das Caçada Selvagens

A Crônica anglo-saxônica, uma das primeiras e mais importantes histórias dos anglo-saxões, descendentes das mesmas tribos germânicas como os nórdicos e compartilhavam do mesmo corpo de tradição religiosa, registra o seguinte evento como tendo acontecido em d. C 1127:


"Que ninguém se surpreenda com o que estamos prestes a relatar, pois, era comum a fofoca no campo que, depois de 6 de fevereiro, muitas pessoas viam e ouviam um grito inteiro de caçadores. Eles cavalgavam em cavalos negros enquanto seus cães eram escuros com olhos hediondos. Isso foi visto no "Deer Park" da cidade de Peterborough, e em todos os bosques que se estendem desde o mesmo lugar até Stamford. Durante toda a noite os monges os ouviam soar seus chifres. Testemunhas confiáveis (vigiavam) durante a noite declararam que talvez houvesse vinte ou mesmo trinta nessas caçadas selvagens'"