sábado, 1 de outubro de 2016

Escola dos Sonhos

Esta é uma história assustadora do Japão sobre um menino que fica preso em um sonho. 

Aviso: Dito ser uma história amaldiçoada. Dizem que se você não esquecer desta história dentro de uma semana, você terá o mesmo sonho. Você pode ficar preso no sonho também e ser incapaz de acordar. Então, por favor, pense com muito cuidado antes de ler esta história.

Havia um menino japonês chamado K, que teve um sonho muito estranho. No sonho, ele encontrou-se vagando por uma escola. Não era sua escola. Era uma escola que ele não reconhecia.

Era noite e a escola estava escura. O som de passos ecoava pelos corredores vazios. Era muito assustador. Ele tentou abrir as portas e janelas, mas todas estavam  fechadas. Ele tentou bater nelas o mais forte que podia, mas o vidro não rachava.

A escola era grande e ampla, como um labirinto. Não parecia fazer sentido. Andar por um corredor iria trazê-lo de volta para o início. Era muito estranho, como se as regras normais de tempo e espaço não se aplicavam ali.

K estava começando a ficar com medo, saiu correndo pelo corredor. O corredor se estendia e se entendia, sem fim e não havia saída. Depois de correr várias vezes pelo mesmo conjunto de salas de aula, K notou algo estranho. O corredor estava um loop infinito. Não importava quanto tempo ele corresse pelo corredor, ele sempre voltava ao início.   

Ele decidiu tentar um caminho diferente. Ele correu pelo corredor para a direita, em seguida, tomou a primeira à esquerda e na primeira à esquerda novamente. Ele entrou na sala de Economia Doméstica e quando saiu pela porta do outro lado, ele encontrou-se em outro corredor. Ele entrou na sala de arte e saiu pela porta do outro lado. De alguma forma, trouxe-o para o terceiro andar, ao lado de banheiros das meninas. 

Ele passou pela sala de música e correu pelo corredor, passando outro conjunto de salas de aula. Ele encontrou uma escada e desceu. Ele continuou vagando e vagando. A noite parecia durar para sempre e ele sentiu como o amanhecer nunca chegaria. 

Kin ... Kon ... Kon ... Kon ...

K ouviu o som abafado de um carrilhão de relógio. Quando olhou para cima, viu um relógio. Os ponteiros estavam indo para frente e para trás como um pêndulo.   

Clomp ... Clomp ... Clomp ... Clomp ...

K ouviu eco de passos pesados o perseguindo.

Ele estava com muito medo para olhar para trás e queria desesperadamente fugir. Correu um conjunto de escadas que deveria tê-lo levado para o quarto andar, mas em vez disso ele encontrou-se no primeiro andar, fora da sala de audiovisual
 

Clomp, Clomp, Clomp, Clomp, Clomp, Clomp ...

Os passos começaram a ficar mais e mais rápido.
. 

Ele correu pelo corredor e virou à esquerda, novamente à esquerda, à direita e à esquerda novamente. Ele saiu na frente de um outro conjunto de salas de aula. No final do corredor, havia uma saída de emergência, mas a caixa de vidro que continha a chave estava quebrada e a chave estava faltando. Havia uma nota interior que afirmava que a chave estava na sala de aula 108.

Clomp, clomp, clomp, clomp, clomp, clomp ...

Os passos estavam chegando cada vez mais perto.
 


K desceu as escadas, virou à esquerda, correu pelo corredor, em seguida, virou à direita e novamente à direita. Ele encontrou-se fora de uma sala de aula. Na porta, havia uma placa que dizia: "108". K abriu a porta e entrou, fechando a porta em seguida

A sala de aula estava um breu e ele mal podia ver. Ele tentou ligar interruptor, mas não funcionava. A sala de aula estava cheia de mesas e havia sacos pendurados na parte de trás de cada cadeira. K começou a procurar desesperadamente dentro deles. Ele olhou em cada saco, procurou em cada gaveta. 

Todo o tempo, ele podia ouvir passos vindo pelo corredor.

Clomp, clomp, clomp, clomp, clomp, clomp ...

Em pouco tempo, ele ouviu algo bater fortemente na porta da sala de aula.
 


Boom! Boom! Boom! Boom! Boom! Boom!
 

Ele ainda não tinha conseguido encontrar a chave. Ele puxou as gavetas para fora da mesa, abriu os sacos e começou a jogar o que tinha no chão. 

BOOM! BOOM! BOOM! BOOM! BOOM! BOOM!

O barulho ficou mais alto e mais alto. A porta parecia que estava prestes a sair de suas dobradiças. Ele procurou desesperadamente, mas ainda não conseguiu encontrar a chave
 


Então as batidas cessaram de repente. Houve um silêncio assustador. K estava lá tremendo, esperando com a respiração suspensa. Ele ficou na sala de aula escura, com medo de mover um músculo. 

Depois de um tempo, ele ainda não conseguia ouvir nada, então ele foi até a porta. Ele estendeu a mão, girou a maçaneta, abriu-a delicadamente e olhou para o corredor. 

O que viu, o horrorizou e gritou. 

Havia inúmeros meninos e meninas, estavam em pedaços. Suas cabeças, braços e pernas havia sido cortados de seus torsos. O chão estava repleto de sangue e estavam dançando ... indo para trás e frente... seus membros agitando-se para lá e para cá.

K foi arrastado para o sonho. Seu corpo permaneceu dormindo. Ele nunca foi capaz de acordar. Ainda hoje, ele ainda está vagando pela escola em sua mente.
 


Agora que você já leu essa história, por favor, tente esquecê-la. Se você não esquecer esta história dentro de uma semana, você vai ter o mesmo sonho em que você vai encontrar-se vagando ao redor da escola. Você terá que encontrar a chave e fugir pela saída de emergência antes de você se deparar com os pedaços de meninos e meninas que dançam, ou você vai ser arrastado para o sonho.

Japoneses...

Traduzido de: Scary for Kids  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS