domingo, 28 de junho de 2015

SCP-906 "A Colmeia do Expurgo"

Item # : SCP-906

Classe do Objeto: Euclid

Procedimentos de contenção especiais: Assunto deve ser contido em uma célula de três (3) por três (3) metros quadrados, totalmente hermético, com doze (12) centímetros de espessura revestido com titânio e cercado por vidro resistente á ácido. Temperatura deve ser mantida abaixo de 5 graus Celsius. Caso a temperatura exceda esse limite, todos os agentes devem ser evacuados até uma distância de pelo menos 100 (cem) metros. Área imediata contendo invólucro irá em seguida ser bloqueada até que a temperatura seja reduzida. A célula de contenção deve ser conservada em uma base bi-semanal e verificada se há corrosão ou lacunas suficiente. Qualquer dano na célula deve ser reparado imediatamente.

SCP-906 é para ser monitorado em todos os momentos a partir de quatro (4) câmaras digitais colocadas em cada canto da cela. Qualquer comportamento anormal relatado a partir dessas câmeras irá resultar em bloqueio imediato da área ao redor da célula de contenção. O acesso ao SCP-906 é permitido apenas agentes Classe-D supervisionados para a alimentação e/ou manutenção. SCP-906 é para ser alimentado com 80 kg de carne a cada quarenta e dois (42) horas.

acid%20worms%20humanoid.png
Imagem da forma humanóide do SCP-906 no local inicial da descoberta
da câmera usada na captura
Descrição: SCP-906 é uma massa marrom escura contorcida de invertabrados semelhantes a vermes. Estes organismos parecem interagir de uma forma uniforme, formando um "super organismo" colonial semelhante as formigas. Por razões desconhecidas atualmente, SCP-906 normalmente irá formar o seu "corpo" em uma figura humanóide. SCP-906 foi mostrado capaz de realizar movimento bípede desastrado neste estado; no entanto, em viagens longas, vai transforma-se em uma massa achatada com uma maior eficiência de movimento.

SCP-906 é capaz de secretar um fluido altamente corrosivo, semi-viscoso translúcido, de cor semelhante à sua pele. Foi mostrado que tal substância tem uma força ácida comparável à do ácido fluorídrico, mas tem efeito menor sobre titânio, nenhum efeito sobre vidro resistente ao ácido e [DADOS EXPURGADOS]. Esta substância exibiu a capacidade de corroer os dentes, ossos, cabelos, unhas, roupas, jóias, e alguns tipos de equipamento em menos de uma hora.

SCP-906 é altamente agressivo e predatório: quando está com fome, ele irá se envolver sobre qualquer criatura viva dentro de seu caminho e revesti-los em sua secreção ácida, tornado assim a vítima em uma pasta líquida que então irá consumir. As tentativas de remover ou atrapalhar o SCP-906 durante a sua alimentação se revelaram infrutíferas. Quando uma presa designada fica nas proximidades, SCP-906 irá alterar sua forma para a de um "tapete" que flui e se move em qualquer superfície, a fim de perseguir sua presa até que seja capturada. Devido à pequena largura dos organismos (2 (dois) centímetros de largura), barreiras só irão retardar o seu avanço. Os obstáculos que não podem ser passados serão destruído pela substância ácida secreta. SCP-906 também tem apresentado a capacidade de tomar rotas alternativas para alcançar sua presa, como tubos de drenagem e poços de ventilação.

Através de métodos atualmente desconhecidos, SCP-906 parece ser capaz de imitar animais como sons e "papaguear" fala humana no que é descrito como "uma voz rouca e áspera", enquanto na sua forma humanóide. SCP-906 parece usar essa habilidade para atrair presas em áreas que são difíceis de escapar, como poços profundos ou redes de corredores labirínticos. Relatos de testemunhas oculares da quebra de contenção 906-2-10-01A , detalha que SCP-906 "insulta" vítimas em potenciais e até mesmo emite um som de "algo como o riso" antes de atacar sua presa. Este comportamento sugere uma espécie de sensibilidade rudimentar, mas não se sabe como uma criatura composta de vários milhares de organismos individuais é capaz de conseguir isso.

Espécimes de SCP-906, quando retirados do "corpo" maior, tentarão retornar para a massa central e são conhecidos por dissolver qualquer obstáculos em seu caminho. Deve ser notado que os espécimes individuais não mostram o mesmo nível de habilidade de navegação como o super organismo completo. Espécimes de SCP-906 tem a capacidade de se replicar em várias versões quando danificado de uma maneira semelhante as minhocas comuns, ou seja, dividir um espécime resultaria em cada metade crescendo em organismos distintos.

Apesar disso, os espécimes foram destruídos através de meios de incineração, congelação, e desintegração de corpo inteiro. Se a necessidade de destruir  algum espécime surgir, é permitido o uso de lança-chamas ou nitrogênio líquido. No entanto, espécimes irão dividir-se e "multiplicar-se" ao longo de várias horas, caso a maior massa seja severamente reduzida. Se o SCP-906 seja requerido a ser encerrado, todas as amostras devem ser eliminadas para evitar reformas. A fim de manter o SCP-906 num estado mais controlável, o invólucro que está alojado na célula deve ser mantido a uma temperatura abaixo de cinco (5) graus Celsius em todos os momentos já que reduz o movimento, tempo de reação, as capacidades de reprodução , e o metabolismo de SCP-906.

Adendo 906-05-01: Testes de SCP-906 resultaram em um Classe-D sendo alvo antes de uma vaca. Um segundo teste foi então conduzido desta maneira em que foi usado porco, carneiro, cavalo e finalmente cachorro. Foram todos colocados ao lado de um Classe-D. SCP-906, mais uma vez escolheu o Classe-D em primeiro lugar. Segundo alvo foi o porco, seguido pela ovelha, cavalo, e, finalmente, o cão.

Adendo 906-05-02: Durante a manutenção de rotina da área de contenção, SCP-906 supostamente "falou com" um membro da supervisão, dizendo seu nome várias vezes. A razão porque fez isso é desconhecida e o membro da equipe, Dr. Anthony Richards, relatou ter ficado "muito perturbado" com o processo e manifestou o desejo de se manter longe de SCP-906 no futuro.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS