terça-feira, 14 de abril de 2015

Tailypo

Desde criança eu costumava ficar uma boa parte dos meus verões com meu avô em sua pequena segunda casa, uh, cabana ... na floresta. Era um lugar pequeno e aconchegante. Tinha encanamento e eletricidade e outras coisas, mas não tinha televisão. Não fiquei muito chateado por isso, já que nós faziamos um monte de outras coisas lá em cima

A gente acampava, pescava, caçava, e todas essas coisas masculinas ... Meu avô tinha crescido nos Apalaches, tipo um homem da montanha. Ele tinha tantas histórias, e ele gostava de conta-las. Algumas eram sérias, outras engraçadas, mas suas histórias favoritas eram as de terror. Ele sabia que eu odiava histórias assustadoras e eu sabia que era essa a razão pelo qual ele gostava tanto. Sua história de terror favorita era uma que era conhecida entre os povos da montanha chamada "Tailypo."

A história é algo desse jeito...

Era uma vez um velho homem, que vivia em uma cabana na floresta. Ele não tinha nenhum vizinho para conversar. Ele só vivia na floresta com seus três cães de caça, na sua pequena cabana solitária. Ele usava roupas velhas claras e era careca na parte superior. Ele tinha uma grande barba grisalha espessa que prendia em seu peito. Toda a gordura do trabalho e das refeições pareciam se reunir em sua barba. O velho raramente a lavava, e quando fazia, era apenas o suficiente para que toda a gordura escorresse por ela ... e fazê-la pesar e mantê-la no sopro do vento.

O velho era um cara mesquinho, não gostava muito das pessoas, então ele tentou ficar longe delas, o mais longe possível. Tudo o que ele precisava, ele geralmente conseguia nos bosques. Ele pegava sua água no rio próximo, e ele pegava suas refeições com seu rifle e seus cães. Além de não gostar de pessoas não havia muito para o velho idiota, além do seu grande apetite. Ele gostava de comer. E como a caça lhe dava comida, ele gostava de caçar. Ele amava veado, e coelho. Um pássaro selvagem estava ok, mas você sabe esses pequenos nuggets de frango, que você come no McDonalds? Sim, esse velho amava esses "Nuggets Skunk." Eu sei o que você está pensando, mas eles são muito bons, mesmo que tenha que cozinhá-los.

Mas em uma noite fria e escura, o velho voltou para casa com seus cães de mãos vazias.

Fazia frio naquele dia, e a caça tinha sido um completo fracasso. O velho resmungou e amaldiçoou silenciosamente sob sua respiração, pois ele sabia que iria para a cama com fome naquela noite, e ele não gostava de ir para a cama com fome. Mas, ele não podia fazer nada, então ele começou a se preparar para dormir. Enquanto ele se preparava, o velho começou a ouvir um estranho barulho de arranhado.

O velho olhou em volta tentando encontrar a fonte do mesmo. Um estranho barulho de raspagem, como garras na madeira. O velho olhou em volta ... até que ele esbarrou em alguma coisa ... algo espesso e cabeludo. O velho então olhou para cima e teve uma visão estranha, pendurado no teto havia algo cabeludo e espesso, que oscilava de um buraco no teto da cabana. Não demorou muito para que o velho descobrisse que era a fonte do barulho... e que ele estava olhando para um rabo ...

A coisa pendurada, era uma cauda longa e peluda que ficava balançado, pertecente á uma criatura que estava tentando forçar seu caminho através do telhado!

O velho não pensou duas vezes - ele pegou a faca de caça e em um movimento cortou a cauda da criatura. O velho ouviu um grito da criatura, um grito tão horrível que sacudiu toda a cabine. O velho viu como a criatura puxava o resto do rabo enquanto sangrava através do buraco no teto, e ouviu a coisa descer do telhado e correr para longe.

Os cães começaram a latir, mas o velho não lhes deu atenção. Ele se inclinou e pegou a cauda cortada. O velho refletiu sobre o tamanho da coisa, o quão grosso e longo era; ele pensou qual animal teria uma cauda dessas, e ele pensou com o estômago vazio.

O velho pôs o rabo em cima da mesa, e usando uma cadeira como suporte, rapidamente pregou uma placa sobre o buraco no telhado. Depois que acabou, ele começou a preparar o fogo da lareira. Ele enfiou um espeto de ferro na cauda ensanguentada, e a segurou no fogo. A boca do velho estava cheio d'água enquanto ele virava o "espeto" sobre o fogo. Os pelos chamuscados voavam, deixando para trás o cheiro da carne doce e suculenta. O velho já podia sentir o cheiro da gordura que começava a fritar no calor e o aroma flutuava pelas suas narinas. Parte por parte, o velho arrancava os pedaços e comia. Lentamente, ele devorou a coisa, pedaço por pedaço, cuspindo pedaços e gordura para seus cães. Oh, foi delicioso ...

O velho, com a barriga cheia e com um sorriso no rosto, colocou seus cães para fora. Colocou a camisola e foi para a cama. Ele puxou as cobertas até o peito. Ele se virou e estava prestes a cair no sono, quando ouviu um som.

Houve uma batida, de repente. Tranquila, mas distinta, "rap-tap-tap". O velho abriu os olhos e olhou em volta ... "rap-tap-tap-tap-tap" foi, ao lado da cabine. Não parava,  só continuava a fazer o barulho   "rap-tap-tap". Então o velho ouviu alguma coisa, quase um sussurro, mas claro como o dia ...

Devolva meu rabo... devolva meu rabo...

O velho sentiu um calafrio percorrer pela espinha. Ele parou de respirar por um momento enquanto ouvia o "rap-tap-tap-tap"  ao lado da cabine. Mais uma vez, ele ouviu ...

Devolva meu rabo... devolva meu rabo...

O velho pulou da cama e correu para a porta da cabana. Ele destrancou e abriu a porta. Gritou para seus cães - "Cães! Peguem essa doninha feia! "Os cães vieram  latindo ... eles perseguiram a coisa pelo lado da casa até a floresta, e quando o velho viu os cães voltarem, ele fechou a porta novamente. Se deitou na cama, colocou a barba para sobre as cobertas, e, lentamente, adormeceu.

Rap-tap-tap…

Os olhos do velho se abriram, e ele ouviu atentamente, pois agora o som vinha da porta da frente. 

Rap-tap-tap ...

Devolva meu rabo... devolva meu rabo...

O velho pulou da cama e correu para a janela desta vez. Ele destrancou e abriu a janela e chamou seus cães mais uma vez - "Cães! Peguem essa doninha feia! "

Tudo se manteve em silêncio; e seus cães nunca vieram - a coisa tinha comido todos eles. O velho bateu a janela e a trancou e correu de volta para sua cama, puxando as cobertas até os olhos.

Rap-tap-tap…

Devolva meu rabo...

O velho ouviu um estalo e um estilhaço horrível enquanto o trinco da porta se quebrava, e a porta se abria. O velho ouviu algo se arrastando através das tábuas do chão se aproximando cada vez mais,  e o resto da cauda se arrastando atrás.

Devolva meu rabo...

"Vá embora!" O velho choramingou ...

Devolva meu rabo... devolva meu rabo...

A coisa estava no pé de sua cama agora, chegando mais perto, mais perto, mais perto, até que ...

* CRUNCH *


Traduzido: ChillingTalesfordarknight

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS