segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Alice através do espelho quebrado (Parte 1)

Após suas aventuras em "Alíce no Páis das Maravilhas" e "Alíce atráves do espelho e o que ela encontrou lá". Alice testemunhou aos 7 anos de idade á morte de seus pais e de sua irmã (Lizzie) em um incêndio que destruiu totalmente sua casa. Afetada pela culpa de sobrêviver, sua mente começa á entrar em ruínas e começa a perder a realidade das coisas, foi mandada para o Asilo Rutledge no dia 4 de agosto, de 1884. Por sua insanidade e catatonia.

Ela passou 10 anos dentro do asilo, recebendo “tratamentos e remédios” ( ao menos era o que os médicos diziam) por conta disso sua aparência foi modificada, seus lindos cabelos louros se tornaram negros e ela ganhou um aspecto que estava sempre cansada. Exatamente no dia 4 de agosto, de 1894, Alice recebeu alta, após vencer contra parte de sua loucura e vive no “Orfanato, para crianças instáveis”.

“Acorde! Já esta na hora.” – Uma voz irritante ecou nos ouvidos de Alice naquela manhã.

“Tá,tá...eu já acordei, não precisa gritar” – Alice acorda segurando a cabeça como tivesse acabado de receber uma martelada na cabeça.

Na porta do quarto de Alice, estava uma garota baixa, com tranças em seus cabelos castanhos e uma roupa rosa suja.

“Erk! Você não lava sua roupa?! Que porca...”

A garota mangou das vestes de Alice. Apesar da maldade, infelizmente estava correta, ela só vestia uma roupa listrada preta e branca mal cuidada e que fazia no mínimo 3 semanas que não era lavada.

“De qualquer forma, está na hora de seu tratamento com o Dr.Bumby, vai logo.”

Dr. Angus Bumby, é um homem de boa aparência com um covanhaque e sempre vestia uma jaqueta marrom clara, ele faz hipnose nas crianças que tiveram um passado trágico afim de fazer elas esquecerem desses acontecimentos.

“Toc,Toc!” –Alice bateu na porta do consultório de Bumby.

“Pode entrar!”

Alice entrou no consultório e avistou Bumby, sentado na mesa esperando a sua chegada.

“Muito bem, minha querida... deite-se está na hora do tratamento” A voz de Bumby era calma e confiante.

Alice se deitou no sofá e Angus tirou uma chave no formato quimico de Vênus e colocou na sua frenta e começou a hipnose. Alice parecia que estava distante...

“Vamos lá, Alice. É apenas um sonho.”

“Não é um sonho... é uma mémoria que me deixa doente”

“Agora,foco! Espere, você está flutuando novamente. Como uma pena, um sinal? Relaxe...”

Alice se via em uma arena pegando fogo com vários cavaleiros brigando entre si, e no fundo a Rainha de Copas estava sentada em um trono, só que totalmente desfigurada.

“Fogo! Estou no inferno” Alice falou como se estivesse prestes a morrer

“Esqueça! Abandone está mémoria! Ela é improdutiva.Vá para o País das Maravilhas.” –Falou Bumby como se não estivesse surpreso.

“E-Eu não posso...estou presa no meu passado.”

Alice estava vendo sua casa pegando fogo e seus pais lutando para sair.

“Não, Alice. Descarte este delírio. Esqueça-o. Vá para o País das Maravilhas.”

“Eu prefiro não, doutor. Meu País está em ruinas, está morto para mim.” Alice afirmou com uma voz chorosa.

“Suas preferências não significam nada, garota. Agora, Alice onde você está?” – Bumby falou com uma voz mais agressiva e mais violenta.

“Estou navegando, com um amigo. As coisas mudaram”

Alice se via navegando com seu velho amigo e companheiro o Coelho Branco, eles estavam tomando chá.

“Mudança é bom, é o primeiro passo para esquecer.” Bumby afirmou como estivesse satisfeito

No entanto,o Coelho começa a chacoalhar a cabeça rapidamente.

“O que está acontecendo? Você está louco?” Alice falou com um tom de preoucupação.

“Eu não estou louco” Afirmou Bumby, confuso.

“Coelho...?”  A voz de Alice estava ficando cada vez mais apreensiva.

“Isto não está certo! O que ele está fazendo?”  Bumby perguntou ancioso.

“M-m-mais sangue?” Perguntou o Coelho antes de sua cabeça explodir revelando um liquido preto asqueroso.

“Não, isso não!” Alice parecia que estava em pânico.

“Não lute, Alice! Deixe que o novo País das Maravilhas se materialize.” – Bumby falou como estivesse fazendo progresso.

O ambiente em que Alice estava era totalmente transformado, o rio em que ela estava navegando se tornou negro e, várias cabeças de bonecas emergiram, braços em carne viva começaram a despedaçar o barquinho em que Alice se encontrava e céu ficou avermelhado.

“Poluição! Corrupção...está me matando! Meu País está destuído e minha mente em ruínas!” Alice falava enquanto caia na água e era ferida pelos braços.

“Esqueça, Alice! Guarde este sonho, e acorde com o som”

Um som de relógio despertou Alice daquele pesadelo.



2 comentários:

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS