segunda-feira, 10 de março de 2014

Você morreria em filmes de terror?


Na medida em que se vai assistindo cada vez mais filmes de terror, além de você potencialmente desenvolver problemas para dormir, ou não, é comum começar a traçar um perfil de clichês que, em 90% dos casos, significaria a sua rápida (ou lenta) e dolorosa morte - caso o tal filme realmente acontecesse na vida real.

Quantas vezes você não olhou uma situação num filme de horror e pensou, “ih… Agora fudeu!” Então a pergunta é: se alguma situação de um filme de terror acontecesse de verdade você iria sobreviver?

Para te ajudar a traçar o seu próprio perfil de “futuro defunto em potencial”, veja alguns clichês básicos dos filmes de terror e que você deve evitar, caso queira viver o suficiente para contar histórias para dormir aos seus netos.

Clichê nº 1: barulho dentro de casa

Você está confortavelmente dormindo em sua cama e, de repente, um ruído muito estranho estala na sua cozinha. Logo em seguida, você parece que ouve passos arrastados se aproximando… Se fosse num filme, certamente a pessoa idiota levantaria em pavor e iria checar o que houve, sendo devidamente fatiada por algum serial killer. A menos que você seja um Hulk de tão forte ou durma com uma espingarda debaixo do travesseiro, recomendo fortemente que ao invés de querer bancar o herói, pegue logo o celular e ligue para a polícia. Ah, não se esqueça de trancar o quarto e não faça barulho! Se for uma criatura sobrenatual, corra para as colinas xD.

Clichê nº 2: viagem com os amigos

Você está viajando com os amigos (essa é clássica!) e todos estão felizes e cantando até que alguém do grupo nota que o motorista se perdeu ao pegar um caminho diferente, que ele jurou que seria mais rápido, e agora vocês estão perdidos no meio do nada. Deixa eu tentar melhorar um pouco mais o cenário: a estrada é de terra, sem iluminação, tem muito mato em ambos os lados e está começando a chover. Ah, é noite também e a gasolina acabou. Que maravilha! A sensação de “por que eu não fiquei em casa?” nunca foi tão forte em sua mente.


Agora vamos lá: se você estivesse num filme, fatalmente algum metido a fortão iria sair do carro e se meter mato adentro para tentar “buscar ajuda” e, sabe-se Deus porque, todo grupo imagina que esta é uma ideia fantástica e todos vão atrás. Resultado: provavelmente iria aparecer uma cabana no meio do nada onde, ou vocês iriam encontrar um psicopata que iria dopá-los e transformar a todos numa centopeia humana, ou o nerd do grupo iria encontrar o Necronomicon e invocar as hordas do além para dilacerar todo mundo. Até o cubo dos cenobitas poderia estar perdido por lá. Em todos os casos acima, a atitude de sair do carro e vagar do nada com destino a lugar nenhum, não foi algo inteligente. O melhor a fazer é continuar no carro e ligar para o reboque. Simples, mas talvez você morresse mesmo assim...

Clichê nº 3: respeite os avisos de perigo

Esse é outro clichê clássico também. Imagine que você é uma pessoa que adora praticar esportes e tem fascínio por mergulho. E em uma dessas expedições marítimas no mar do Caribe (tem que ser em algum lugar bonito para aparentar um clima bom no início), você encontra uma caixa presa num recife de corais (bem bonito também - vamos manter o clima). Você traz a caixa consigo e, ao examiná-la de volta em seu iate (tem que ostentar riqueza também) é possível notar que a caixa é bem rústica e possuiu uma espécie de mensagem talhada de forma bem artesanal na tampa.

Você não consegue entender o que está escrito, mas envia uma foto da tampa pelo celular para um amigo, que é professor de arqueologia em Harvard, e ele diz que o idioma pertence a uma língua morta e que diz algo como: “jamais abra esta caixa, deixe-a exatamente onde a encontrou. Não desperte o demônio!”. Se estivesse num filme o que faria? É óbvio que você iria ignorar por completo o latente aviso de perigo e abriria a caixa… Aí você nota uma espécie de ídolo antigo dentro do recipiente e o pega em suas mãos. Uma luz muito forte te cega e você sente todo o seu corpo se desfazer em meio a muita dor. Parabéns! Você acaba de libertar o Cthulhu! Ele, então, destrói o mundo e escraviza todos os seres ainda vivos. Numa situação real você até poderia resgatar a caixa, mas assim que descobrisse o que estava escrito, atiraria a maldita de volta na água. E fim!


O que vocês acabaram de ver são apenas três situações bem clássicas e básicas que quase sempre aparecem nos filmes de terror, de forma direta ou indireta. É claro que alguns clichês precisam existir, senão não haveria filmes de terror! Mas o grande desafio dos diretores do gênero na atualidade é justamente tentar inovar e se sobrepor ao clichê clássico, e que todos já esperam que vá acontecer. É aquela quebra de expectativa que cria uma reviravolta impressionante na trama. Mas convenhamos, é até bem engraçado (numa forma sádica de dizer) ver os pobres mortais caminharem para a morte certa nesses filmes!

Postagem Originalhttp://blogs.pop.com.br/

2 comentários:

  1. No segundo clichê, faltou citar canibais, mas blz e.e. Curti pakas, é bem maneiro explorar clichês!

    ResponderExcluir

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS