domingo, 3 de novembro de 2013

Projeto: Demoniac Personality. Egoista. Cap. 6

Assustada, desligo o computador rapidamente e me jogo na minha cama para tentar dormir. Acordo ás 3 horas em ponto. Não deve ser nada alem de uma coincidência... Espero... Desço as escadas para beber água, pois sempre acordo com sede. Ao chegar á cozinha não escuto nenhum sussurro e não vejo nenhuma sombra... Ele não deve estar aqui. Ainda bem... Ligo a luz e vou em direção a geladeira. De repente começo a escutar sussurros por detrás de mim. Droga... É ele! Olho lentamente para trás e o vejo andando em minha direção, me olhando fixamente com aqueles olhos assustadores e fazendo sinal para que eu fique em silencio... Droga, minhas pernas estão tremendo... O copo que eu estava segurando cai de minha mão e agora ele esta a menos de um metro a minha frente... Ele segura minha mão direita... O que ele vai fazer? Lagrimas começam a sair pelos meus olhos... Hã? Ele esta se ajoelhando para mim... E agora com os olhos fechados beija a minha mão... Hã? Estou na minha cama... Deve ter sido tudo um sonho... Nossa, que sonho estranho... Pulo da cama ao olhar minha mão direita e ver um anel prateado e com símbolos entalhados nele... Eu não tinha esse anel... E o pior, ele não quer sair do meu dedo... Droga... Já são 6:40 e eu ainda nem tomei banho para ir a escola... Corro para o banheiro.

- Rafaelaaa! O Leandro chegou para te levar ao colégio. O que você esta fazendo? – Vitoria grita do andar de baixo. Leandro? Por que ele veio me levar... Ata... Ele vai para o colégio comigo de agora em diante... Tenho que me apreçar não quero que, ele se atrase por minha causa.

Termino meu banho e visto rapidamente a farda, desço correndo as escadas... Argh... Tropeço e caio de cara no chão... Ai meu nariz...
- Você esta bem? – Leandro se levanta rapidamente de sofá e vem me ajudar a levantar.
- Claro que estou! Não foi nada... Vamos? – Respondo segurando meu nariz que esta doendo muito.
Saímos da minha casa e fomos para o colégio, no caminho Leandro pergunta sobre o anel e eu respondo que não sei bem como consegui, mas que não consigo tirá-lo. Ele tenta me ajudar a tirar, mas não consegue. Ao chegar ao colégio, fomos mandados para a diretoria, já que estávamos atrasados... E agora estou aqui, na diretoria, recebendo um discurso do diretor por termos nos atrasado.
- Podem ir! – O diretor fala após terminar de discursar. Incrível... Como ele conseguiu discursar sobre motivos para não chegar atrasado por 50 minutos? E pareceu ter sido feito de improviso... Ele deve gostar muito de falar. Chegando a sala percebo que não há um professor em sala. Estranho... Essa é a aula de sociologia... O professor não costuma faltar. E eu não sei bem como encará-lo novamente... Sento-me no meu lugar e vejo Dimitre dormindo em sua cadeira, Leandro senta em seu lugar e aquela vad... Começa a se esfregar nele de novo.
- Ola pessoal! Eu sou o novo professor de sociologia de vocês e meu nome é... – Um homem loiro, entra em sala rapidamente e é interrompido por Dimitre. – Ola Dant... – O homem joga um livro na testa de Dimitre o fazendo cair da cadeira. Dante? Eu já ouvi esse nome antes... Será que ele é um demônio também? Quando eu chegar em casa irei pesquisar sobre isso... – Ola senhor inconveniente! – O homem afirma pegando seu livro do chão. – Meu nome é... Daniel e sou o novo professor de vocês e o novo bibliotecário do colégio. É um prazer conhecê-los. – O homem afirma sorridente e Dimitre volta ao seu lugar emanando uma aura de ódio. Eles se conhecem? O professor começa a dar aula, ele ensina muito bem. Nunca achei que iria achar sociologia uma matéria tão interessante.
- Vander, pode vir aqui um instante? – O diretor pergunta, chamando o professor.
- Desculpe, mas... Você deve estar me confundindo... Meu nome é Daniel. – Daniel afirma calmamente enquanto se dirige ao diretor.
- Como assim, nos cumprimentamos na diretoria e você fa... – O diretor, muda sua atitude repentinamente. – Claro, devo ter me confundido, mas poderia vir aqui um instante? – O diretor pergunta calmamente e Daniel vai falar com ele.
- Pronto pessoal! Agora é oficial! O antigo professor de vocês se demitiu e eu acabo de firmar um contrato de permanência! Espero que gostem da novidade! – Todos da sala gritam de felicidade, coitado do antigo professor... Ele ate ensinava bem... Mas tentou me suspender, deveria ter era sido demitido por justa causa.

O sinal do intervalo toca e eu vou para o meu lugar de costume, a escadaria do terceiro andar. Chegando lá sento-me e cruzo meus braços pondo meu rosto sobre eles.
- Rafaela? – A voz de Leandro me desperta.
- Sim? – Pergunto instintivamente.
- Posso ficar aqui com você? – Leandro pergunta calmamente.
- Claro! – Respondo pondo meu rosto entre meus braços. Acabo de ter a sensação de que vivi esse momento.
- Soube que você saiu com o Dimitre... – Leandro fala com um tom de voz entristecido. Ele não me queria perto dele, deve ter seus motivos, e mesmo assim eu ignorei seu conselho, mas se eu seguisse todos os conselhos com me deram ultimamente eu também não estaria falando com ele...
- Foi... Mas não foi nada bom. – Falo calmamente, lembrando da dor em meu peito.
- Entendo... – Leandro fala seriamente. Ele olha para a escadaria e levanta-se. – Tenho que fazer uma coisa agora, tchau! – Leandro se despede com um sorriso.
- Tchau! - Respondo com um sorriso. Mal posso acreditar que irei ter meu cochilo.

Não conseguindo dormir, decido dar uma volta pelo colégio. Descendo as escadas descido beber água e vou passando pelas salas ate chegar ao bebedouro. Chegando ao bebedouro escuto alguns gemidos vindos do banheiro feminino. O que será que estão fazendo? Entro no banheiro e vejo Julieta se pegando com Leandro... Estão tão focados um no outro que nem mesmo notaram minha presença. Estou sentindo um aperto em meu peito. Mas é estranho. Não estou sentindo nenhuma energia pesada por aqui... Por que estou sentindo esse aperto? Minha cabeça esta começando a girar e mal consigo manter meus pensamentos em algo. Por algum motivo não quero acreditar no que estou vendo. Parabéns Julieta, você conseguiu mais uma vez o que queria... Saio do banheiro e vou para a sala antes do sinal tocar. Chegando lá vejo o professor Daniel sentado lendo seu livro, o mesmo que teria jogado em Dimitre.
- O que foi garotinha? – Daniel me pergunta olhando preocupado para mim. Serio, não sou uma garotinha.
- Nada... – Respondo baixo, não estou me sentindo bem... Talvez deva ir para casa?
- Algo deve ter acontecido! Você esta pálida! – Daniel afirma fechando o livro e se aproximando a mim. – Me diga, eu quero lhe ajudar! – Daniel afirma tocando meu rosto.
- Nã... Não... fo... Nada... de... Ma... –Falo gaguejando enquanto meu rosto se contorce e começo a chorar. Por que estou chorando? Só porque o vi beijando ela? Eu já esperava por isso acontecer, mas... Mas... Eu apenas...
- Esta bem, não foi nada... Calma... – Daniel afirma enquanto me abraça. Me acalmo e sento-me em minha cadeira e em pouco tempo a sinal toca.
Dimitre entra em sala e começa a falar com Daniel, eles discutem um pouco ate os últimos dois alunos chegarem... Leandro e aquela grande vad... Julieta. Eles sentam-se e começam a conversar sorridentes. Não sei o que eu esperava... Acho que apenas não esperaria que ele ficasse com ela.
- O que foi Rafaela? Esta mais triste hoje do que ultimamente. – Rodrigo pergunta com uma expressão de preocupado passando sua mão em meu cabelo.
- Nada. – Respondo friamente. Ele nunca falou comigo e agora vem com essa de amigável pra cima de mim? Rá... Ele deve ser um sádico? Sempre calado, neutro em todo tipo de assunto. No começo, eu achava que ele era gay, pois ele tem um jeito bastante feminino e delicado, mas depois de um tempo soube que ele é bastante forte e já foi eleito o garoto mais forte da sala em todo tipo de esporte dês de queda de braço a corrida... Então, não tenho certeza...
- Não seja tão fria... Estou apenas preocupado... Quando eu cheguei ao colégio você sempre estava sozinha e parecia se contentar com isso, parecia não querer mudar isso, mas agora você esta bastante instável... Isso é ruim. Existe algo que eu possa fazer para lhe ajudar a melhorar? – Rodrigo pergunta calmamente. O que ele acha que pode fazer? Não sei o que ele quer, mas não quero continuar a ser incomodada por ele...
- Derrote o Leandro numa luta seria! Isso me faria melhor! – Falo escondendo meu rosto entre os braço, me lembrando dele beijando aquela vadi...  Sei que ele não vai conseguir, talvez acabe quase morto. Isso se ele aceitar, que é o que eu duvido muito.
- Esta bem... Depois da aula ele estará aos meus pés. – Rodrigo afirma com um tom de voz assustador. Senti um calafrio percorrer toda a minha espinha. Rodrigo senta-se em seu lugar na sala e o professor começa a dar aula. Quando a aula termina descido sair o mais rápido possível, para não ver o Leandro... Estranhamente estou com medo de encará-lo.

Chegando ao portão sou barrada pelo Rodrigo. – Fique mais um pouco e veja! – Rodrigo fala sorridente me empurrando levemente para dentro do colégio. Ao me virar vejo Leandro logo atrás de mim. Meu coração dispara por um instante.
- Leandro! Eu te desafio! – Rodrigo fala segurando o colarinho da camisa de Leandro.
- Recuso! Tenho que ir para casa e levar a Rafaela para a dela! – Leandro afirma tirando a mão de Rodrigo do seu colarinho.
- Vai fugir Eligos? Rararara... Salomão iria ficar decepcionado se descobrisse que seu demônio da guerra é um covarde. – Rodrigo fala sorridente. Leandro para por um momento e anda em direção ao pátio da escola. Rodrigo vai atrás e eu vou seguindo os dois.

Chegando ao pátio os dois ficam se encarando e aos poucos o lugar vai ficando vazio. Leandro começa a emanar aquela aura que come toda a existência ao seu redor, mas Rodrigo não parece estar sendo afetado.
- Ahahahaha... Covarde? Eu? Quem acha que é para falar isso? Seu deus caído! – Leandro grita e todo o pátio é coberto pela sua aura. Já não sinto mais minha existência, mas... Eu ainda sinto Rodrigo. A aura de Leandro não esta tocando o Rodrigo, existe uma pequena aura branca em volta de Rodrigo que impede que a aura de Leandro toque nele. Leandro olha surpreso para Rodrigo.
- O que foi Eligos? Sua aura não pode me tocar. – Rodrigo fala sorridente. Leandro irritado corre em direção a Rodrigo. Rodrigo segura o braço de Leandro e o joga no chão, depois o solta e se afasta. Leandro corre novamente gritando em direção a Rodrigo, mas Rodrigo abaixa-se e acerta as duas mãos na barriga de Leandro o jogando contra a trave que estava a mais ou menos 5 metros de distancia deles. Leandro cai no chão cuspindo sangue. Leandro levanta-se com dificuldade e sua aura começa a sumir. Acabou? Leandro já perdeu? Aiii... Uma aura roxa começa a ser emanada de Leandro junto com uma onda de energia que me jogou contra a parede. Leandro sorrir e corre em direção a Rodrigo. Rodrigo desvia do soco de Leandro, mas sua camisa se rasga quando ele desvia do soco. Rodrigo segura o braço de Leandro e o com um giro o joga no chão.
- Pare de ser egoísta! – Rodrigo grita enquanto segura o braço de Leandro e traça sua perna sobre o mesmo imobilizando o Leandro. – Não estou falando isso para Abigor. Estou falando isso para você Leandro... Eu sei que você esta atrás de poder, poder para alcançar os seus desejos sem precisar da ajuda de nenhum demônio e ate mesmo da ajuda de Abigor, mas nessa sua busca por poder, você acabou magoando alguém importante para você estou certo? Ate mesmo você deve ter percebido. Então que tal deixar de ser tão egoísta e desistir aqui? – Rodrigo grita para Leandro. Não entendi muito bem o que ele esta falando, mas... Acho que ele falou de mim ali também.

A aura roxa de Leandro some e Rodrigo solta Leandro. Leandro vem andando em minha direção. – Não vou desistir de nada... Aquele maldito deve pagar pelas minhas mãos e não pela de outro alguém. E nem você e nem ninguém vai me impedir. – Leandro grita olhando para Rodrigo enquanto caminha em minha direção.
- E se alguém importante morresse no processo? – Rodrigo pergunta para Leandro. Leandro não responde e continua andando em minha direção. Não entendi muito bem, estou ficando perdida agora... No que ele esta metido? E ele não era o Abigor? Porque o Rodrigo falou que não estava falando com o Abigor e sim com o Leandro?
- Isso é porque o Leandro é, e ao mesmo tempo não é Abigor! – Dimitre fala sorridente passando pelo meu lado. Que susto... Eu não tinha percebido que ele estava aqui. Leandro se aproxima a mim. Não consigo encará-lo, fico com a cabeça baixa. Leandro coloca sua mão sobre minha cabeça.
- Seja lá o que eu tenha feito... Me desculpe! Não irá acontecer novamente! – Leandro afirma sorridente enquanto bagunça meu cabelo. Maldito, desarrumou meu cabelo, mas... Ate me sinto melhor agora, mais confortável... – Vamos para casa agora? – Leandro pergunta pegando sua mochila.

- Sim... Vamos! – Respondo com um sorriso... Não sei por que, mas me sinto um pouco feliz... ‘’Pessoa importante’’... Será que sou eu? Droga... Melhor eu parar de pensar tanta besteira...

Continua?...
Escrito por: Luan

Bem, um amigo que lê minhas estorias falou para eu me focar nessa e tals... Ai eu pergunto a vocês. Querem que eu continue apenas com PDP ou continue também com SA?

Obs: Comentem para eu saber se esta ficando legal. Abraço e ate a próxima ~Luan

2 comentários:

  1. oq é PDP e SA? =S nao seii nao ..mas n sou burra rs ..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PDP: Projeto: Demoniac Personality; SA: Sangue de Anjo.

      Excluir

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS