sábado, 24 de agosto de 2013

Crônicas de Lúcifer Parte-6



Passou-se uma semana depois do massacre que causei por um motivo tão tolo, achei que precisaríamos fugir da policia, ou algo do tipo... Mas a situação não foi bem assim... Os corpos foram encontrados, a rua estava coberta por sangue, mas lá existiam mais corpos do que me lembro. Famílias que estavam trancadas dentro de suas casas, longe de minha visão, não me lembram de telas matado, mas de acordo com o jornal todas as pessoas do bairro haviam morrido da mesma forma brutal que os demais. Sem deixar nenhuma prova do que tenha acontecido. Todos os aparelhos eletrônicos do bairro estavam destruídos. Como? Eu não fiz nada disso... Será que foi aquele anjo? Mas como um anjo poderia ser tão cruel com os que ele deve proteger?

Foi notificado em vários programas de TV que o que aconteceu foi o começo do apocalipse, e que o mundo estaria muito próximo ao seu fim... Coisas precipitadas e tolas, dignas de humanos, mas e se isso não for mentira? E se o apocalipse estiver começando e eu sou um dos seus causadores? Hahahaha... Melhor eu parar de pensar nisso...

- Ana, acorda... – Tento acordar Ana que esta deitada ao meu lado... Pergunto-me o porquê de todo dia ser da mesma forma...
- Eu não vou para a escola hoje... Estou cansada de estudar... – Responde Ana encostando a sua cabaça no meu peito. – Você não prefere ficar aqui comigo? Em? Podemos fazer muitas coisas... Você sabe...- Fala convencida levando a sua mão de meu peito ate minha barriga...
- Maldita, acha mesmo que pode me controlar assim? Você esta me insultando garota... Ok fique aqui... Eu vou atrás de outra garota... Uma que não tente me controlar por meios tão baixos... Adeus! – Grito completamente transtornado, ela nunca tinha tomado essa atitude antes, porque esta fazendo isso agora? Saio do quarto enfurecido.
- Por favor, Ruan... Não vá! Eu tive um sonho ruim, onde você morre na escola por três anjos... Não vá... Eu imploro! – Grita Ana correndo atrás de mim chorando...
- Ate parece que irei morrer apenas por ir para a escola... Foi apenas um pesadelo... Eu estou indo! – Falo virando as costas e sumindo da visão de Ana... Esse poder também me permite sumir da visão de qualquer ser vivo... Muito útil!

Chegando ao colégio vejo quatro alunos novos que se destacam bastante. Não sei dizer o que é, mas existe algo em sua volta... Será os anjos do qual Ana me alertou? Ah, claro que não... Vou ate minha sala e sento-me em meu lugar. As garotas me perguntam o porquê de Ana não ter ido à escola, falo que ela estava doente e deixei por isso... Aquela preguiçosa, apenas não veio por não querer e inventou aquela historia sem pé e nem cabeça.


O intervalo começa... Que chato sem Ana aqui o meu tédio aumenta bastante...
- Ola senhor Ruan... Logo vejo que ignorastes o pedido de sua amada! – Um dos novatos, fala aproximando-se a mim.
- Hã? Como você sabe disso? – Pergunto assustando e entrando em guarda.
- Isso não importa agora... Um morto não precisa saber de nada!- Afirma estralando os dedos. Uma energia incrível é emanada dele e toda a escola parece ter ficado congelada. Todos os alunos pararam como estatuas...
- Como fez isso? – Pergunto assustado.
- Não é necessário que saiba! – Termina de falar virando as costas... Um vórtice se abre e um homem com uma espada enorme aparece e me joga para a quadra da escola. Caindo lá, abro minhas asas e evoco a espada que havia ganhado na luta passada... Mais dois outros vórtices abrem-se aos meus lados e deles saem dois garotos com espadas iguais a minha. Voou para esquivar de suas invertidas, mas sou surpreendido pelo homem com a montante que já estava me aguardando voando, me joga novamente para o chão, os outros dois cravam suas espadas em minha barriga transpassando meu corpo e pregando-me ao chão. Logo após o homem que estava voando desce brutalmente cravando sua montante ao meu tórax.

Cuspindo sangue e com minha visão se esvaindo, ao longe vejo Ana, me olhando com um olhar triste... Droga, porque eu não a escutei? Agora ela ira ficar sozinha...
- Que pena, eu esperava mais de você Ruan, mas fazer o que? Você é mesmo patético... – Escuto a voz de Ana ao longe... Como ela pode dizer isso? Como? Porque estou me sentindo tão mal? Porque não sinto mais a dor das espadas cravadas em mim? Já estou morrendo? Eu não posso morrer aqui... Essa maldita... Usou-me ate agora? Lagrimas de sangue escorrem de meus olhos e caem sobre minhas asas... Meus sentidos voltam por um breve momento, meu corpo começa a se mexer sozinho... Não sinto mais nada alem de ira... Empurro para longe os dois garotos com suas espadas e chuto o homem que estava em cima de mim, jogando-o para cima. Arranco a espada gigante que estava em meu tórax junto com uma explosão de meu sangue e com a incrível dor que agora sinto em meu corpo, levanto-me e jogo a montante contra o anjo que estava sobre mim. Meu corpo não para de doer, mas ferimentos já não existem mais em minha carne... Em grande velocidade vou em direção ao anjo que estava em minha direita e o pressiono contra a parede destruindo a mesma por inteira. Sou surpreendido pelo outro anjo que cravou a espada em meu abdômen. O seguro pelo pescoço e o levanto tentando enforcá-lo. O homem com a montante, agora ferido cravou brutalmente sua montante em meu tórax uma vez mais. Seguro a lamina da montante e cuspindo sangue falo:
- Venha para mim, minha arma!- A minha espada que estava caída no chão a 10 metros de mim, veio girando e caiu ao meu lado com a ponta cravada no chão... Uma brutal energia negra começa a emanar da ponta da espada ate consumi-la por inteiro e a transformar em uma montante negra e semi distorcida. Lago o anjo que estava enforcando e seguro a minha montante negra.

Uma grande energia percorre o meu corpo... Aponto a lamina para meu tórax e transpasso a lamina da espada por meu corpo acertando o anjo que estava logo atrás de mim, fazendo-o se afastar sem sua arma, retiro a minha e a sua espada de meu corpo e vou em direção a ele usando as duas montantes. Levanto as espadas e corto suas asas, depois me abaixo girando corto seus pés e levantando girando degolo sua cabeça fora, por ultimo cravo minha montante em seu tórax criando uma grande explosão negra. A sua montante sumiu de minhas mãos, e mais uma vez estou banhado por sangue e meus ferimentos sumiram... A dor esta menor agora.

Um anjo apareceu em minha frente tentando me acertar um corte frontal, defendo com minha arma, mas sou surpreendido pelo outro que atravessou a lamina de sua espada por minha barriga. Em um movimento rápido giro e cravo a lamina de minha espada na barriga do anjo que estava a minha frente causando uma segunda explosão sombria e depois afasto o anjo em minhas costas e reapareço logo atrás dele enfiando minha espada em suas costas, causando uma terceira explosão sombria... Cambaleando vou em direção a Ana com um ódio fervente.
- Parabéns, você superou minhas expectativas... Por um segundo achei que iria morrer!- Fala Ana sorridente se aproximando a mim... - O que você quer ganhar de como premio?- Pergunta colocando a mão no seu peito e entre as pernas...
- O que eu quero? Não é obvio?- Pergunto sorrindo e começando a emanar uma aura negra que nunca havia sentido antes.
- E o que seria? – Pergunta começando a tirar a sua roupa...
- Hahahaha... Sua morte é claro! Maldita! –Falo encostando a ponta da lamina de minha montante em sua garganta.

- Há... Que pena... Poderíamos nos divertir um pouco mais... Mas tudo bem... Tente! – Termina de falar balançando levemente a mão esquerda. Sinto um grande empurrão que me joga contra a parede me fazendo cair do outro lado da rua do colégio...

Continua...
Escrito por: Luan

Um comentário:

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS