sexta-feira, 19 de julho de 2013

Happy Puppet Syndrome (Sindrome do Boneco Feliz)

"Era para ser simples, nós achávamos. Pegue um pouco de cromossomos, os corte, os coloque lá, e uau, o ser humano perfeito! Eu ainda não tenho certeza do que deu errado. Talvez um erro de cálculo? Ou talvez algo além do nosso controle. Quem vai saber?

Nós (alguns colegas meus que são psicólogos e eu) estávamos intrigados com as emoções humanas. Raiva, desespero, euforia. Seria possível bloquear a mente humana em apenas uma emoção? Bloquear a mente em um estado de completa euforia, de modo que nenhuma tristeza ou raiva ofusquem seu pensamento? Teoricamente, sim.

Não vou descrever os procedimentos da nossa experiencia com você. Porque não quero que você os repita e também tenho medo que você enlouqueça se eu as contar. As coisas terríveis que nós fizemos. Nós eramos ambiciosos, jovens, nada poderia nos deter, e ninguém poderia nos dizer que estávamos errados. Tudo o que vou dizer é que nós pegamos algumas células-tronco e injetamos em fetos. O experimento foi chamado de "The Angel Man Project" e o objetivo era criar um ser que sentia apenas felicidade. Mas algo deu errado. Terrívelmente errado.

Metade das cobaias morreram inesperadamente, sem aviso prévio ou sem causa justa. A metade restante em sua maioria nasceram horrivelmente distorcidas. Três nasceram bem. Perfeito, nós pensamos. Um ser humano com capacidade mental superior a qualquer outro, devido ao seu estado sempre eufórico.

Eles eram perfeitamente normais, até os dezoito meses de idade. Foi quando apareceram os primeiros sintomas. Falta de equilíbrio, dificuldade para dormir e comer, baixa capacidade de resposta. Todos nós no fundo estávamos em pânico, é claro, mas por fora permanecemos calmos e continuamos com o projeto. Deveríamos ter parado ali. Devíamos ter sacrificado as cobaias, e então queimar e fechar o laboratório. Mas continuamos.

As coisas só pioraram. Os movimentos deles se tornaram cada vez mais esporádicos e eles ainda não podiam falar, embora pudessem rir, e eles adoravam fazer isso. Muito frequentemente. Não um sorriso feliz, mas quieto, quase que um sorriso nervoso e constante. Não importava quanta dor sentissem, eles simplesmente te encaravam e riam, como se estivessem zombando de você, chamando de fútil suas tentativas de prejudicá-los.

Esperávamos que as cobaias tivessem uma capacidade extra de aprendizagem. Mas o contrário aconteceu. O desenvolvimento mental delas era severamente atrasado. Elas não conseguiam prestar atenção em algo por mais de alguns minutos antes de cair em um ataque de riso. Mas nós continuamos, esperando que estes sintomas fossem sumir conforme as crianças ficassem mais velhas. Nós demos um nome para os sintomas: "Síndrome do Boneco Feliz (Happy Puppet Syndrome)" porque os movimentos irracionais das crianças faziam parecer  que elas eram fantoches em cordas.

Cinco anos no projeto e percebemos que não havia esperança. Nós não aguentávamos mais o riso incessante dessas crianças, como se elas soubessem algo que nós não sabemos. Olhar para uma criança e vê-la sorrir nervosamente e se contorcer esporadicamente é algo tenebroso. Dois dos meus colegas já tinham saído, porque não aguentavam mais. Eu nunca mais ouvi falar deles depois disso. Provavelmente estão mortos.

Em cinco anos as crianças não tinham falado. Apenas riam, sua risada condenada. Nós entramos para dar o café da manhã e eles foram para cima de nós com olhos arregalados, contraindo-se, rindo sem dizer nada. Nós deixamos a comida na frente deles e saímos. A comida está com toxinas que vão os matar em silêncio e sem sofrimento. Era uma coisa dolorosa a se fazer, mas tinha de ser feito. Contudo, não era fácil.

Um dos meus colegas colocou uma bandeja de comida na frente dos garotos, o riso parou. O menino olhou para meu amigo, seus olhos de repente ficaram escuros e ele muito sério. A risada parou.

Eles continuaram a olhar para ele e se contorcer por um tempo. Meu amigo estava em choque e não se moveu. Meus colegas e eu estávamos com caneta e bloco de notas, pronto para escrever. De repente, meu amigo caiu de joelhos, segurando a cabeça e gritando furiosamente. Ele parecia estar sentindo muita dor. Meus colegas e eu estávamos tão surpresos com isso, não podíamos fazer nada, além de sentar e assistir. Meu amigo caiu no chão, gritando palavrões. Ele se bateu violentamente algumas vezes, e depois ficou quieto.

Contive o impulso de cair, com mais sucesso do que alguns dos meus colegas. Havia uma presença negra que parecia uma torre sobre nós. Imediatamente selamos a entrada. O menino parou, olhou para a porta, e riu. Ele caiu no chão, se contorcendo e rolando de rir loucamente. Os outros dois fizeram o mesmo. Depois de alguns minutos o ajuste parou e eles se levantaram ainda se debatendo, ainda rindo.

As luzes apagaram. Ouvi batidas, vidro quebrando, gritos... A coisa mais terrível de todas, foram os sussurros assombrosos, juntamente com o riso silencioso. Quando as luzes voltaram, as cobaias tinham desaparecido. Dois dos meus colegas estavam inconscientes ao meu lado, seus corpos estavam torcidos em ângulos estranhos e com sangue escorrendo de suas bocas. No início, eles pareciam mortos. Eles não tinham sinais vitais. Mas eu me inclinei um pouco, e então eu pude ouví-los rindo. Fui examinar meu amigo. Sem pulso, sem respiração, mas ele continuou rindo baixo que nem um retardado.

Embora as cobaias tenham sumido, eu ainda sentia como se algo estivesse me observando, algo que estava apenas na borda da minha visão, mas que eu nunca conseguia ver.

Eu e um colega restante fechamos tudo imediatamente. Antes de sair, destruímos nossa pesquisa e lacramos nosso laboratório. Perdi a comunicação com os meus colegas. Presumo que estejam todos mortos.

Eu ainda sinto que estou sendo vigiado. Ainda ouço o riso, o sussurro, nos meus sonhos e às vezes quando estou acordado. Quando isso acontece, levanto-me e saio de qualquer lugar que eu esteja. Não sou capaz de ficar no mesmo lugar por mais de alguns dias por causa disso.

Isso se espalhou. Outras crianças foram vistas com sintomas semelhantes. Eu não tenho nenhuma ideia de como isso  aconteceu, mas sei que não deveria ter acontecido. Alguém, em algum lugar fez algo sobre a disjunção do cromossomo 15, e que manteve as pessoas felizes... A doença foi chamada de "Angelman Syndrome" (Sindrome de Angelman). Até agora não há ameaça. Mas sei que os "originais" ainda estão em algum lugar.

Sei que eles virão atrás de mim e sei que vão me encontrar. Aceito isso. É o que recebo por tentar manipular a natureza. Deixo aqui esta carta como um aviso. Eles irão atrás de você também. Eles querem todos nós. Se alguma vez você ouvir sussurros, risos à beira de seu ouvido, corra. Se alguma vez se sentir algo estranho de canto de olho e você não conseguir perceber o que é, apenas corra.

Além disso, tenho alguns avisos:
1) Não mexa com o que não é seu;
2) Mesmo os anjos podem ser demônios disfarçados;
3) Não venha até mim. Sou tão bom quanto morto."


A carta acima, foi encontrada em um laboratório abandonado e escondido em uma floresta do Alasca. O laboratório consistia em uma sala de observação e uma outra que era de contenção. A sala de contenção foi bloqueada, e o laboratório inteiro parecia queimado em um ponto. Vestígios de sangue foram encontrados após o quarto de contração ser violado, e uma janela foi quebrada. A natureza exata deste laboratório é ainda desconhecida.

Por:
Predomínio do Terror

Um comentário:

  1. muito bom parabéns vcs sao ótimos escritores belas creepys

    ResponderExcluir

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS