segunda-feira, 8 de julho de 2013

Alguns não aceitam à morte


Meu nome é Robert, tenho 14 anos e quero contar algo que vi em minha nova casa.

Eu morava à 4 quarteirões para cima da casa onde aconteceu os fatos. Meu pai e minha mãe tinham a mania de sempre ficar mudando, pois pagavam aluguel, e as vezes meu pai gastava o dinheiro dele com bebidas e não pagava o aluguel, onde éramos despejados e pronto, tínhamos que procurar um novo local, então 4 ruas para baixo, tinha uma casa onde o aluguel por incrível que pareça, era apenas 200,00 mensais, meu pai e minha mãe vendo aquela oferta, não pensaram duas vezes e pronto, alugaram e fomos à ela. Chegando lá, tudo normal, colocamos as coisas nos lugares devido e pronto para primeira noite na casa.

Deitei tranquilamente, caindo no sono, às horas foram passando, até que eu senti um grande calafrio no meu rosto, mas o sono era tanto que nem perdi meu tempo olhando o que tinha ali, o dia clareou, abri meus olhos e percebi que minhas duas cobertas estavam no chão, achei estranho, porque estavam bem distante da cama, mas levantei normalmente e coloquei-as no lugar. O dia passou e passou normalmente, na segunda noite naquela casa, indo novamente a deitar na minha cama e dormir, durante a madrugada percebi novamente aquele calafrio em meu rosto, dessa vez abri os olhos para verificar, quando calmamente fui abrindo, vi um rosto totalmente branco na minha frente, assustado, fechei os olhos rapidamente e com o coração disparando de medo pensei em gritar, mas o medo era maior e fiquei no silêncio mesmo. Alguns Segundos depois, resolvi abrir os olhos, quando percebi uma "alma" branca de um senhor perto do guarda-roupa, fiquei olhando e a alma não se movia, fechei os olhos de vez tentando cair no sono, até conseguir. Pela manhã não sabia se contava para meu pai ou não, mas resolvi contar toda a história, após ele ter me ouvido, me disse que talvez eu pudesse ter tido apenas um sonho, mas sei lá, para mim aquilo era muito real.

Na noite seguida, deitado em minha cama, fiquei meio abismado com aquilo, mas alguns minutos depois, cai no sono. Então diante a madrugada senti aquele calafrio mais uma vez, então ao abrir os olhos, vi que minhas cobertas estavam perto do guarda-roupa e à alma estava ao lado das cobertas, desesperado, gritei por meus pais, quando eles chegaram até o quarto, ainda conseguiram perceber por alguns segundo aquela alma, até ela desaparecer, eles acenderam a luz e perguntaram se eu estava bem, eu disse que sim.

Na manhã seguinte meu pai foi direto ao rapaz que alugou a casa para gente e perguntou se o preço barato tinha algo com o que tinha lá dentro, o rapaz fez de desentendido e disfarçou, mas meu pai forçou a dizer tudo sobre aquela casa e foi quando ele disse: “Nessa casa morava um rapaz jovem de classe média, tinha muitos amigos, até que um dia um dos amigos deles o asfixiou com uma coberta, ninguém sabe o motivo, mas a única coisa que sei, é que às vezes, ele voltava ao quarto à procura do seu corpo, na verdade, acho que ele não aceita a própria morte.” E ainda completou; “Nenhum cliente conseguiu ficar mais de uma semana ai, então resolvi abaixar o preço e por medo de não conseguir, não contei o que tinha lá dentro, desculpe-me.”

A partir daí não sabia o motivo da sua aparição, e porque das cobertas perto dele, não sei se queria me proteger para que ninguém me matasse igual ele foi morto, de asfixia, ou se queria ele mesmo se vingar de alguém, no caso eu...

Enviado por: Erick Ribeiro

Fonte: http://www.morrademedo.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS