domingo, 30 de junho de 2013

Paranormal... Aceita minha Proposta?

Gostaria de saber se querem que eu continue essa, ou City Fears ou Crônicas de Lúcifer... Sei que dei uma bela de uma mancada na ultima parte das Crônicas de Lúcifer, saindo completamente do contexto da estoria em si... Já deletei a quinta parte do blog. Acho que eu deveria estar vendo muitos animes e acabei me empolgando... Bem, já que estou no assunto... Muitas vezes nos animes mostra que ser um escolhido do sobrenatural é algo divertido certo? Que da poderes a quem é escolhido e uma vida plena... Mas como sabemos não é assim! Agora vamos a estoria... Espero que gostem!!



Sou um garoto normal, ou pelo menos era um. Tenho olhos castanhos escuros como o céu á noite. Tenho algo em torno de um e oitenta de altura, meu físico normal nem gordo e nem magro, meus cabelos são negros sem luz, ou seja, completamente sombrios. Sou um branco, não muito pálido, um branco normal e meu nome é Lucio.

 Não entendo o motivo de tudo ter mudado tão repentinamente. Tudo começou ontem, eu estava apenas olhando alguns mangas online em meu notebook. Nada de anormal estava acontecendo.  Ate que começo a sentir uma aura, algo estava logo atrás de mim. Olhei para trás para ver quem era, mas não havia ninguém. Ate ai achei ser minha imaginação... Mas eu sabia que existia algo ali e não era nada agradável para eu ter algo me observando por detrás. Levantei-me e em uma tentativa sem esperanças de sucesso grito - Mostre-se agora!- Mas para meu espanto algo que não posso ver responde – Não irei me mostrar... Tente me ver!- Fiquei completamente em choque, seja lá o que estivesse me respondendo estava logo a minha frente barrando a única saída do meu quarto.  Então aflito eu pergunto- E como posso fazer isso?- ele responde com uma voz diferente da anterior, agora com uma voz que se assemelhava a de um demônio – Apenas olhe para mim!- Em um movimento de pânico corri para a porta tentando fugir do meu quarto, mas acabo por me chocar com algo invisível que estava a minha frente. Caído no chão tento levantar-me, mas minha visão estava embaçada e mal conseguia sentir minhas pernas, ao tentar olhar para a única saída que ali existia vejo uma criatura negra com uma forma humanoide. Levanto-me do chão com minhas pernas tremulas e me segurando na cama. Minha visão começa a normaliza-se e ao ver aquela criatura fiquei instintivamente atraído por tal ser aquela aura antes assustadora agora me parecia tão atrativa. Eu queria algo daquele tipo para mim. Eu queria ser aquele ser tão magnífico. Depois dessa semi-perda de consciência voltei a mim e parei de pensar tantas besteiras. Ele parecia um ser humano comum se tirarmos seus chifres e sua tão magnífica perfeição. Em sua pele branca nem um misero arranhão ou marcas, parecia uma peça esculpida em mármore, olhos azuis brilhantes, cabelos tão escuros quanto os meus. Vestia uma capa negra e roupas escuras e sorria sadicamente.


Depois de algum tempo me observando começou a falar - Você esta me vendo agora, certo? Incrível! Não achei que iria encontrar-lhe quase que literalmente na primeira esquina em que eu parasse!  Mas acho estranho o fato de você só poder me ver depois de se chocar comigo! Mas isso é o de menos... Eu posso dar-lhe tudo que queira. Libertarei o verdadeiro você e lhe ajudarei a criar seu próprio reino entre os mortais, a menos que não seja isso que você queira! Aceita minha proposta?- Abre sua mão direita e leva em minha direção. Por um estante penso em segurar em sua mão, assim aceitando o que me foi dito... Mas minha visão começa a se destorcer como se eu fosse uma televisão velha com a antena quebrada... Começou a ficar tremula ate que a imagem há minha frente se destorce e se transforma em uma imagem de um garoto de olhos vermelhos sorrindo com uma faca ensangüentada na mão, repentinamente ele começa a correr em direção a algumas pessoas a sua frente com a faca, mas estranhamente as pessoas que aparentavam pânico não se mexiam, mas seus rostos demonstravam tentar fazer algum movimento, mas eram incapacitados... Então o garoto corta a garganta de todos, como se fosse ha coisa mais fácil de fazer. Ate que depois de o garoto cortar as gargantas das pessoas e elas caírem no chão engasgando-se com o próprio sangue. O garoto sorriu e seus olhos ficaram completamente negros como um abismo sem fim, sem brilho e sem alma. Então eu percebo... Aquele garoto era eu e as pessoas caídas no chão eram meus pais e irmã... De alguma forma eu matei minha família... De alguma forma eu tinha gostado disso... Eu tinha me transformado em um verdadeiro demônio! Não posso deixar isso acontecer... Quando minha visão volta para o ser a minha frente. Ele ainda estava esperando eu tocar sua mão. Eu sentia que se eu aceitasse o que aquele ser havia me proposto eu estaria aceitando matar minha família e ao mesmo tempo me tornar um demônio. Então em pé eu respondi- Não aceito... Não quero me tornar um demônio! Não quero matar minha família!- O demônio sorriu e voltando seu braço para debaixo de sua capa começou a falar com um grande sorriso sádico- Você ainda vai aceitar! Não importa quanto tempo dure... Olhe para os lados!- Olhei e vi varias sombras em meu quarto sussurrando palavras incompreensíveis e continuou- Eu estarei aqui para sempre nas sombras! Lembre-se que a qualquer momento que quiser realizar o pacto eu estarei aqui! Mas não acho que ira demorar muito... Agora você pode ver os seres do outro mundo e eles também poderão lhe ver. Sendo assim irão persegui-lo e fazer de sua vida um inferno! Mas no momento que quiser se livrar deles você pode fazer o pacto comigo. – Eu estava muito assustado. Nunca antes tinha presenciado esse tipo de situação. Eu queria parar de ver essas sombras. Elas começaram a tomar formas e a rir de mim. Então eu perguntei – E o que eu terei que fazer para você me dar um pacto tão atrativo?- Respondendo com um sorriso diabólico perdendo, assim, sua aparente perfeição suas feições antes delicadas nesse momento eram diabólicas, completamente assustadoras- É só fazer o que quiser! Você já ira fazer o que o contrato pede! Você nasceu para isso. Sempre desconfiando de tudo, sabendo quando uma pessoa esta mentindo, se aprimorando, sabendo as intenções das pessoas, prevendo o futuro como você acabou de prever e se sente completamente atraído pela minha proposta. Só não consigo entender o motivo de você rejeitar o que seu extinto tanto quer. Você nasceu para ser liberto! Você é uma pessoa diferente e eu quero isso. Mas posso muito bem lhe deixar para a morte. Esses seres que estão aqui são inofensivos, mas os que você vai vir a encontrar são os que você deve temer e eu não irei lhe salvar antes de você aceitar a minha proposta...  Pois você não é o único!- Fiquei em choque... Como ele sabia que eu me senti atraído pela sua proposta? E aquilo que eu vi foi o meu futuro?

Escrita por: Luan

7 comentários:

  1. Hey, Luan, achei essa pergunta um pouco complicada, já que ambas as três séries são ótimas, mas acho que deveria concluir As Crônicas de Lúcifer primeiro, já que ela foi postada antes das outras.
    Mas realmente me interessei nesta, então também espera a continuação, pacientemente :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Primeiro foi "Você deve merecer o que pedir a Deus", Kyra ^^

      Excluir
    2. Sempre esqueço essa rsrsrs, mas acho que deve terminar a que começou primeiro e assim por diante ;)

      Excluir
    3. Okay, a ''Você deve merecer o que pedir a Deus'' já esta bem próxima do fim, e eu queria saber qual devo continuar no lugar dela... Irei refazer a pergunta: Entre City Fears e Paranormal (a que esta logo acima) qual você acha que devo continuar?

      Excluir
  2. Então... Cade o final de "Você deve merecer o que pedir a Deus" ? Procurei o final e não consigo achar... Mancada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa eu ainda não terminei, mas esta próxima ao final... Queria saber qual seria melhor para ficar no lugar dela... Por isso a pergunta. Mas você acha que entre City Fears e Paranormal (logo acima), qual devo continuar?

      Excluir

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS