quinta-feira, 13 de junho de 2013

O Frade Negro de Byron


Conta-se que a Abadia de Newstead, no condado de Norttingham, Inglaterra, lar ancestral da pitoresca família Byron, era assombrada pelo fantasma de um frade malvado que se deliciava com infortúnios alheios.

A Abadia serviu de mosteiro para os cônegos agostinianos durante quase 400 anos. Mas, no Século XVI, irado com a oposição da Igreja Católica à anulação de sua união com Catarina de Aragão, Henrique VIII começou a confiscar os bens da Igreja e dividi-las entre alguns de seus nobres. A Abadia de Newstead coube aos Byron e ficou com a família pelos 300 anos seguintes.

O último Lord Byron a herdá-la foi ninguém menos que o dissoluto poeta romântico, George Gordon, que não só amava a propriedade como lá encontrou alimento para seus estudos no mais notável de seus vários fantasmas: o Frade Negro. Ninguém sabe quem teria sido em vida essa alma penada, mas alguns acreditam que sua sombra, encapuzada e de feições escuras, representava a praga da Igreja contra os usurpadores de suas Terras.

Diz a lenda que, quando um membro da família morria, o monge fantasma fazia uma visita para se regozijar com a desgraça. Por outro lado, apresentava-se de cara pesarosa em ocasiões felizes. Uma aparição contrita era norma nos nascimentos e em alguns casamentos, mas não em todos. O Poeta Lord Byron afirmou ter visto o fantasma muito contente em seu próprio casamento com Annabella Milbanke, que ele qualificaria mais tarde como o acontecimento mais infeliz de toda sua vida.

Em seu livro, Don Juan, Byron faz alusão ao Frade Negro:

"Sobre o tálamo nupcial, dizem os rumores
Na noite das bodas de leve esvoaça
Mas ao leito de morte de seus senhores
Não falha, para gozar a desgraça"

Pessoal, não poupem comentários, OK? Abraço a todos.

Walacionil Wosch

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS