quinta-feira, 13 de junho de 2013

A Cripta dos Vampiros – Parte 03

Agora chegamos numa parte interessante: como identificar um Vampiro.
Essas são apenas algumas maneiras de identificá-los, sempre lembrando
que você poderá usar isso em Vampiros mais jovens, mas um Vampiro
de centenas de anos já ficará mais difícil.


 Reconhecendo Um Vampiro

Gosto Por Sangue

Sangue, Sangue e mais Sangue. A marca principal do Vampiro é, sem dúvida, o seu desejo insaciável por sangue quente. Mesmo disfarçados, Vampiros sempre se perturbam quando alguém se corta e desperdiça algumas saborosas gotinhas do precioso líquido.

Para facilitar o trabalho, a maioria dos Vampiros dispõe de caninos proeminentes, utilizados apenas quando necessários, de preferência em humanos. Na real, a única serventia dos caninos protuberantes é furar a veia da vítima. Os mesmos, quando não estão em uso, se retraem.

Muita gente pensa que Vampiros atacam mulheres e Vampiras atacam homens. Puro mito pois, em se tratando de sangue, eles não distinguem sexo. Mas não foram poucos os Vampiros na sarjeta que tiveram de se contentar com outros animais. Alguns, encurralados na escuridão dos esgotos, chegaram a encarar ratos. Tudo pelo sangue.


Aspecto Mórbido

Vampiros são sempre pálidos, pois detestam a luz do sol, e são notívagos em sua essência, transitando pelo submundo entre as prostitutas, malandros, boêmios e outros seres da noite. Como são vaidosos, procuram ocultar a longevidade com muitos truques à base de sangue novo. Com isso, geralmente se mostram bonitos e sedutores, apesar de um certo tom funesto. Por não estarem mortos nem vivos, também apresentam-se frios ao toque, mas podem facilmente disfarçar esse detalhe das mais diversas formas possíveis, como roupas ou mesmo canalizando sangue (veremos mais adiante). Finalmente, um detalhe decisivo: preste sempre atenção nas lágrimas, pois as de um Vampiro, geralmente, são feitas de sangue.

Caixões e Tumbas

Que outro lugar um morto poderia desejar para suas horas de descanso? Desde as épocas mais antigas, os Vampiros estão associados aos recipientes funerários. Na Europa Medieval, os casos da “epidemia” relataram exumações que apresentavam cadáveres num estado de conservação inacreditável: olhos abertos, cabelos brilhantes, sangue ainda borbulhando no corpo e inundando o caixão, além das feridas no pescoço, é claro. Alguns Vampiros deve ter a presença quase obrigatória, no ambiente fúnebre, de um punhado da terra natal do Vampiro, para lhe ajudar a recuperar as energias após uma noite cansativa de “trabalho”.

Estilo e Cultura

Vampiros são criaturas imortais (ou quase). Por isso, “vivem” e adquirem experiências e conhecimentos por anos e anos, gerações e gerações de seres humanos. Isto faz com que se tornem admiradores inflexíveis do melhor que a civilização pode lhes dar, não se contentando com nada menos do que isso. Usam roupas de estilo refinado, discretas e elegantes. O uso excessivo de óculos escuros também é um sinal. Às vezes, a existência de um Vampiro pode ser denunciada pelo uso de um objeto muito antigo, que só um museu ou colecionador poderia ter acesso. É preciso lembrar, também, que as exceções a essas regras são muitas, sobretudo no Brasil.

Ausência de Reflexo

Na Idade Média, acreditava-se que o reflexo de uma pessoa em qualquer superfície espelhada era a imagem de sua alma. Como Vampiros não têm alma, não poderiam emitir ou refletir a luz e nem produzir sombra. Pelo contrário, todos sempre afirmaram o estrago que a luz direta do sol pode fazer em um Vampiro desprevenido. Por isso, Vampiros não costumam aparecer em espelhos ou imagens fotográficas. Mas não se enganem: “aparecer” em uma fotografia é um truque relativamente simples para um Vampiro experiente, tanto como "fabricar" uma sombra, que quase sempre é distorcida.

Quanto aos espelhos, tanto podem denunciá-los quanto protegê-los. Segundo algumas tradições, um Vampiro posicionado entre dois espelhos não pode ser exterminado, pois está protegido pelo Infinito. Mas os Vampiros mais poderosos podem perfeitamente ir contra todas essas regras. Portanto, cuidado com eles.

Continua...
Walacionil Wosch

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS