sexta-feira, 31 de maio de 2013

À Beira da Insanidade

Você pode dizer que eu sou um louco, um sem o que fazer, que só quer chamar a atenção. Não me importo, mas quero deixar minha história aqui, bem gravada para que em um futuro próximo ou distante todos saibam o que estava acontecendo comigo para eu ter chegado no ponto que eu imagino que estarei.

Começando, é algo muito frustante não conhecer completamente a si mesmo, aposto que muitas pessoas não se conhecem bem, mas no meu caso é uma história diferente, eu não sei o que aconteceu comigo para eu ter chegado ao ponto de ter uma linha de pensamento tão sangrenta, às vezes me sinto mal de pensar em tantas mortes, sinto que não sou eu que estou pensando e sim um psicopata fascinado em sangue, imagino meus amigos mortos com frequência e ao mesmo tempo que sinto ódio de mim mesmo, por pensar nesse tipo de coisa.

Sinto prazer, pensando em tanto sangue, o gosto dele, a sua cor, aquele líquido escorrendo de seus corpos ou sendo derramado em mim, uma sensação tão excitante que me da vontade de lamber aquele sangue e sentir seu leve e maravilhoso gosto... Viu? É disso que estou falando... Eu me sinto a pessoa mais horrível do mundo por pensar nisso. Eu não quero pensar nisso, mas algo dentro de mim quer... Mal consigo suportar em não ceder a esse sentimento de prazer que esses pensamentos me dão.

Mas tenho que suportar e não ceder a esse sentimento, porque se eu ceder será o meu fim e o nascimento de mais um monstro sanguinário nesse mundo em chamas. Não posso ceder de forma alguma, não quero matar ninguém, não quero fazer o mal. Quero ser uma pessoa normal. Mas o que tem de errado em pensar fazer o bem para merecer esses pensamentos macabros?? Eu fiz alguma coisa para ganhar essa maldição?? O que eu fiz?? Vou tentar refletir um pouco... Podem ter sido as minhas várias decepções amorosas, as milhares de creepy pastas horríveis que já li, o meu estresse acumulado em exagero pois sou facilmente irritável, ou a junção de todas essas? Não, acho que não. Muitas outras pessoas já passaram por situações horríveis das quais nunca passei e nem por isso querem matar todo mundo.

Devo ter nascido com isso, mas fui uma criança calma e tímida diferente de muitos maníacos que vemos nos dias de hoje. Não gosto e nem nunca gostei de maltratar animais, diferente de muitos psicopatas que começam matando essas criaturas indefesas... Meu negocio é com pessoas, com os seres humanos, e agora que paro para pensar, matar pessoas ruins não deve ser algo tão errado... Não, não é bem assim, até nos mandamentos de Deus foi mandado não matar os nossos semelhantes, matar pessoas ruins também é ser uma pessoa ruim, descer ao nível desses monstros.

Mas o que será que aconteceu para eu ter esse tipo de pensamentos macabros?? Algum demônio esta ao meu lado me incentivando? Acho meio improvável, se eles realmente existem não devem ser tão burros ao ponto de querer levar uma pessoa como eu para o lado negro.

Nunca sofri muito bulling, como muitos surtam por ai por anos de bulling... Mas quando penso nisso não me sai da cabeça que o único jeito de conter isso é poder confiar em alguém e contar tudo que eu sinto, mas nunca encontrei alguém assim, todos me traem, todos me decepcionam... Já me acostumei com isso por isso resolvi ser independente, não depender de ninguém para nada.

Já fazia muito tempo que esses pensamentos haviam sumido, ate já havia esquecido deles, mas voltaram quando eu estava lendo uma creepy do Jeff eu acho, que ele comentava o quão saboroso era o gosto do sangue... Foi como um vidro se quebrando... De repente o gosto do sangue veio a minha boca, me lembro de como era gostoso...  E a primeira vez que o experimentei e de como eu fico quando lambo uma de minhas feridas... Eu fico em estado de êxtase... E de como eu fico quando vejo uma pessoa sangrando. Eu fico hipnotizado não consigo desviar o olhar do sangue. Eu não entendia o porque, mas depois de ler aquela creepy percebi que era porque eu queria o sangue, queria sentir o gosto dele. Foi como uma bala atravessando meu crânio, minha realidade se destrói por alguns segundos e imagino todos mortos e eu encharcado de sangue, fico estranhamente feliz e satisfeito, um sorriso macabro estava se formando em meu rosto, ate me lembrar quem sou e que aquilo tudo era errado e a minha realidade se reformou da maneira instável que esta agora.

Não faz muito tempo que aconteceu algo muito estranho comigo. Eu estava sentado assistindo calmamente a aula de biologia 1, ate que ao ouvir a frase: ''O sangue que corre nas nossas veias...'', a realidade a minha frente se quebrou, eu vi uma placa ensanguentada com a palavra ''sangue'' no meio, meu corpo começou a formigar, comecei a perder a sanidade, imaginei todos mortos e se esvaindo em suas cadeiras e a professora de joelhos sangrando, ainda viva, fico com essa imagem em mente alguns segundos e acordo em pé na frente da professora e ela me pergunta o que eu quero, eu pergunto se posso ir ao banheiro e ela permite.

Fiquei no banheiro me perguntando, como eu teria parado lá, não me lembro de como fui lá, e tenho certeza de que se eu não tivesse ''acordado'', algo ruim teria acontecido. Eu realmente me odeio por isso, por imaginar todos sangrando e sentir prazer, eu não quero isso, esse não sou eu!... Eu tento pensar nisso: ''Não sou eu'', mas quem mais seria? No final quem pensa nisso sou eu... Alguém deveria me parar antes que eu perca a sanidade que me resta... A cada dia fica mais difícil, cada dia os pensamentos são mais fortes e prazerosos... Quanto tempo será que ainda tenho? Não quero morrer... Não quero matar ninguém, mas sinto que não vou aguentar por muito tempo... Não desejo isso para ninguém e escrevo esse texto para que se um dia eu me torne o que eu não quero ser, todos saibam que pelo menos existia conflito entre os dois "EUs".

Comentem. Suas opiniões e criticas servirão para que eu melhore cada vez mais e traga um conteúdo cada vez melhor. Até a próxima ~Luan

9 comentários:

  1. Tirando a parte psicopática, me identifiquei com o texto. E desde quando sangue tem gosto bom? Ew. Senti esse texto um pouco pessoal e gostaria de fazer uma pergunta: você pensa parcialmente assim?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. talvez eu tenha me envolvido muito nesse texto...

      Excluir
  2. normal, isso não vai te tornar um assassino... um sadomasoquista talvez, e isso não é doença. Eu mesma adoro ver sangue, o meu obvio, de outras pessoas me dá nausea.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas no caso da pessoa do texto, ele adora ainda mais em ver os outros sangrando... diferente de você, isso não é algo muito normal não acha?

      Excluir
    2. é normal sim, ele está imaginando e na sua cabeça, vc pode fazer o q quiser. Seria anormal se ele fizesse isso na vida real.

      Excluir
    3. mas você imagina seus amigos e familiares sangrando(possivelmente mortos)e senti prazer? E nesse ponto de vista... você realmente acha normal? Ele se movimentou inconscientemente imaginando um cenário horrível, ele provavelmente iria atacar a sua professora se não tivesse despertado do transe e possivelmente iria tentar transforma aquela sala no cenário de sua cabeça... Isso realmente é normal??

      Excluir
    4. =) vamos teimar até a morte, será? Eu já me imaginei espancando meu irmão até a morte, já me imaginei castrando meu namorado e fazendo minha amiga engolir os orgãos dele. Já até me imaginei dissecando a professora de biologia. Mas na real, eu não consigo matar nenhuma barata, me sentiria culgada o resto da vida. Respeito sua opinião.

      Excluir
  3. Esse cara quando a mina menstruar, se derreterá em prazer; Hahahaha, será um vampiro doidão. XD

    ResponderExcluir

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS