quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Relatório do Destino


Há muito tempo viveu uma garotinha chamada Francis, ela era muito amada e nunca ouve uma só pessoa no mundo que a quisesse machucar. Até que seu pai foi obrigado a se mudar para outro estado, a fim de sustentar melhor a família com seu salário. A mãe de Francis era muito cuidadosa com ela e nunca á deixava só nem por um minuto, mas a família estava rumo á falência, com muitas contas á pagar. Após alguns anos que seu marido havia partido a mãe de Francis pediu a sua irmã, que morava á algumas quadras de sua casa, que lhe emprestasse a babá eletrônica, para que a pequena Francis que dormia em um berço em seu próprio quarto, com apenas 2 anos de idade, ficasse segura e tivesse uma nova companhia, um urso que lhe foi dado pela tia junto ao aparelho de monitoramento.

Maria, era o nome da mãe de Francis. Ela era uma mulher muito trabalhadora, de inicio ela apenas cuidava da casa e da filha, mas depois que as coisas começaram a apertar, ela resolveu passar a roupa das vizinhas para ganhar alguns trocados e por isso precisava da babá eletrônica, que avistaria algum eventual choro ou anormalidade. E isso foi o que aconteceu na manha de 7 de Abril de 2001.

Não havia nenhum ruido dentro da casa, e era muito cedo para começar o trabalho. Maria estava ainda deitada na cama imaginando como seria se seu marido estivesse ali com ela, apenas imaginando, mas os momentos que se seguiram mostraram a ela que não estava só. A babá eletrônica começou a chiar quando Maria estava chegando ao clímax de suas fantasias, não era um som comum que qualquer babá faria, era como um sussurro, era como se alguém tentasse falar com ela.

"Shhh Maria shhiii vai ficar sssshiiii tudo bem..."

Maria se levantou afoita e correu até o quarto de bebê, que era bem perto na verdade, se ao menos a mulher não houvesse escorregado num patinho de borracha que estava no caminho, talvez ela conseguisse ter salvado a pequena Francis que morreu engasgada com o enchimento do ursinho que a tia dera, nele havia um pequeno rasgo que Maria havia pensado em costurar, mas estava ocupada demais vendo um programa de fofocas da tarde.

Talvez esse evento tenha feito Maria começar a pensar que aquela voz lhe era um anjo... Então ela resolveu que deixaria a babá eletrônica ligada, para que o anjo pudesse falar com ela para lhe mostrar o caminho certo a seguir, mas o aparelho não emitia mais nenhum ruido, e ela depois de alguns anos sem ver o marido e parar de chorrar pela filha, resolveu procurar um emprego, foi até uma fabrica próxima e começou a trabalhar no dia seguinte, das 8 ás 8, e isso fez com que ela parasse de pensar, o porque seu marido não ligava, mas o dinheiro chegava religiosamente todos os meses.

Depois de um tempo Maria se tornou religiosa, ela ia á igreja, rezava pelo marido que estava praticamente desaparecido, e pela filha falecida...Numa noite após a missa, eram por volta de 9:30 da noite quando ela chegou em casa, ensopada, pois aquela noite havia chovido torrencialmente. Ela foi até o banheiro tirou as roupas ensopadas, e as botas. Ela ligou a água da banheira, e foi para o quarto. Deitou-se na cama fria e sombria, o quarto estava totalmente escuro. E então ela fechou os olhos, começou a imaginar a imagem de sua família unida, brincando em um parque perto do centro da cidade, em outra época muito mais ensolarada. O aparelho em cima de sua cabeceira começou a chiar, novamente não era um chiado comum, ela então correu até o quarto do bebê, e nada viu, então trouce o aparelho receptor para o quarto, e levou o que emitia os sons para o banheiro, ela entrou no banheiro e notou que a banheira estava transbordando, fechou a torneira, mesmo não adiantando pois o chão já estava ensopado.

Ela também notou que a bateria da babá eletrônica estava acabando, então conectou o a tomada no espelho do banheiro e sentou se na beira da banheira, foi quando a babá começou a chiar de maneira bem clara e dizia:

"Meu amor, eu e Francis estamos juntos aqui no céu, não se preocupe..."

Nessa hora Maria suspirou com alegria e alivio. Mas o chiado não terminou por ai, em seguida a voz do marido parecia mais arrastada, mais morta e ele disse:

"Mas agora...sssshhhhhhiii esta na sssshhhhiiii hora de se shshhshshshs juntar á nós...!"

Nesse instante o aparelho escorregou da ponta da pia, e caiu no chão que estava ensopado, a eletricidade se esgueirou até os pés descalços de Maria, que levou um choque e a deixou desacordada, e por isso ela caiu de costas na banheira... Maria morreu afogada. E logo após alguns minutos quando não ouve mais nenhum indicio de vida na casa... Foi ouvido um ruido vindo do aparelho no chão do banheiro, com a voz de seu marido, e ele dizia:

"Agora seremos uma família novamente... Por toda eternidade..."

Escrito por  Claudia Lima Pereira 

Fonte: http://creepyworldandme.blogspot.com.br/

2 comentários:

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS