terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Rostos...

Os rostos tornaram-se uma parte da minha rotina diária. Eles me seguem onde quer que eu vá, eles choram comigo, eles sentem a minha dor comigo, eles me sentem. Eles sabem quem eu sou, por dentro e por fora. E por mais que eu tente fugir, eles sempre me encontram.
Eles estão comigo quando eu durmo à noite.
Às vezes, eles são alegres, com grandes cílios longos e sorrisos cintilantes. Esses rostos também aparecem em dias bons, quando estou no meu melhor. Eles me pegam com seus braços invisíveis e transportam-me a lugares invisíveis aos olhos humanos. Eles existem apenas quando sonho...
Outras vezes, eles são absolutamente repugnantes. Horríveis, rostos com caretas e olhares de terror, outras vezes de malícia. Eles são pálidos e manchados de sangue. Esses rostos aparecem em dias ruins, apenas aumentando meu terror. Eles levam-me a lugares de medo, minha alma se contorce e retorce, tentando se libertar de suas garras. Suas mãos são terríveis. Eles me abraçam, friamente, e com tanta força. Sempre tão firmemente...

Às vezes, quando sinto que não há outro caminho, eu os abraço. Não importa suas expressões ou seu estado emocional, eles devem estar comigo. Como eu os adquiri? eu não tenho como dizer, porque eu não sei.
Faz alguns dias que tento eliminá-los, afastá-los.
Tomo pílulas que os médicos dizem que vai mantê-los longe, e elas fazem bem o serviço. Mas o efeito costuma passar rápido. E quando passa, os rostos estão com raiva. Às vezes, eles estão sem esperança. Eles me dizem que eu não sou bom, que eu sou uma pessoa terrível por tentar mantê-los longe. Eu choro baixinho, e alguns deles choram comigo.
Quando eu durmo à noite, eles estão comigo, e sempre sera assim.

2 comentários:

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS