sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

O Olho


Eu nunca gostei de passar por becos. São os moradores de rua que me incomodam. Se você encontrar um na rua, não é grande coisa e você pode apenas fingir que não ouví-los implorar. Se você está no meio de uma multidão, é fácil de ser anônimo.

Mas, em um beco, você tem que passar diretamente por eles. É só você e mulheres sem teto (homens são mais raros nos becos). Eu costumo parar para lhe dar qualquer moeda que eu tenho se ele está em um beco, ao contrário de quando estou na rua eu apenas finjo estar ocupado demais com a minha vida.Quando eu faço isso eu sinto uma pontada de culpa.

Eu normalmente evito becos, mas eu estava atrasado para o trabalho e preferia economizar cerca de três minutos de caminhada em vez de esperar pelo sinal de transito mudar. É a poucos quarteirões, mas em Nova York o tráfego da cidade é muito intenso.

Ele estava à minha esquerda, inclinando-se contra uma lata de lixo e a parede de um dos edifícios. Como eu estava me aproximando dele, ele educadamente falou. "Senhor?"

"Oh!" Eu comecei, fingindo que eu não havia notado ele, e comecei a checar meus bolsos à procura de um dólar. Enquanto eu estava procurando, eu parei a seus pés e vi seu rosto. Seu olho esquerdo não tinha íris. Nem, nada. Era apenas branco.

"Eu não quero a sua esmola, senhor." Sua voz soava quase metálica, quase como uma cerveja barata ou o sabor do sangue.

Ele me pegou desprevenido. "Então ... uh ... o que é que você quer ...?"

"Eu quero... Fora."

Eu perguntei o que ele queria dizer, enquanto eu olhava para seus dois olhos brilhantes. Ele parecia muito inteligente para estar desabrigado. Seja como for, eu pensei: Tenho que chegar logo no trabalho. As pessoas inteligentes enlouquecem facilmente. Ele provavelmente se viciou em heroína ou algo assim, e por isso está nas ruas...

Eu andei rapidamente, afim de chegar logo ao escritório. Todos ali me olharam estranho, como se a minha barba houvesse crescido durante a noite! Quando olhei para todos os outros, parecia que eu precisava de óculos. Minha vista estava um pouco embaçada. Estranho, eu tenho a visão perfeita!

Fui ao banheiro para ver se descobria o porquê disso, eu parecia o mesmo, mas... diferente.

Era como se meu rosto estivesse meio distorcido... Um pouco fora de foco. Eu fechei meu olho esquerdo e eu olhei bem, fechei meu olho direito e... você já se viu nú? Quero dizer, realmente nú?


Oh meu deus... as coisas que eu vi com meu olho esquerdo...

Não imaginava que a carne humana fosse tão rubra...

 Fonte: http://creepypasta.wikia.com

----------------------------------------------------------------------------------
Ta bom ¬¬ eu sei que falei sobre compensar o tempo que fiquei sem postar, mas meu pecado capital é a preguissa mesmo u.u então foi mal, cai na tentação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS