quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Capela dos Ossos


A Capela dos Ossos é um dos mais conhecidos monumentos de Évora, em Portugal. Está situada na Igreja de São Francisco. Foi construída no século XVII por iniciativa de três monges que, dentro do espírito da altura (contra-reforma religiosa, de acordo com as normativas do Concílio de Trento), pretendeu transmitir a mensagem da transitoriedade da vida, tal como se depreende do célebre aviso à entrada: "Nós ossos que aqui estamos pelos vossos esperamos". A capela, construída no local do primitivo dormitório fradesco é formada por 3 naves de 18,70 m de comprimento e 11m de largura, entrando a luz por três pequenas frestas do lado esquerdo.

As suas paredes e os oito pilares estão "decorados" com ossos e caveiras ligados por cimento pardo. As abóbadas são de tijolo rebocado a branco, pintadas com motivos alegóricos à morte. É um monumento de uma arquitectura penitencial de arcarias ornamentadas com filas de caveiras, cornijas e naves brancas. Foi calculado à volta de 5000, provenientes dos cemitérios, situados em igrejas e conventos da cidade. A capela era dedicada ao Senhor dos Passos, imagem conhecida na cidade como Senhor Jesus da Casa dos Ossos, que impressiona pela expressividade com que representa o sofrimento de Cristo, na sua caminhada com a cruz até ao calvário.


Há também a capela de ossos em Kostnice se localiza em Kutná Hora, perto de Praga, na República Tcheca e é do fim do século quatorze. Seu cemitério se tornou inicialmente famoso porque em 1278 o rei Otakar II da Boêmia, trouxe consigo um pouco de terra de Jerusalém e despejou no cemitério. Com isso, muitos ricos e poderosos da época queriam ser enterrados lá. Com as epidemias guerras do século XIV, o cemitério precisou ser ampliado.

A igreja de “Todos os Santos” em estilo gótico foi construída após 1400 com uma capela subterrânea destinada ao depósito de ossos. As ossadas, cerca de 40.000, foram colocadas em montanhas por um monge meio cego em 1511 e a capela foi remodelada em estilo barroco entre 1703 e 1710 pelo arquiteto checo Jan Blazej Santim-Aichl.

A ornamentação é obra do entalhador checo Frantisek Rint que deixou sua assinatura na capela. De toda obra, o que mais se destaca é o lustre central com todos os ossos do corpo humano e o brazão da nobre família Schwarzenberg. Bizarro, porém lindíssimo. Um tanto quanto sombrio...

E aí? Que tal uma visita sozinho à noite?

Veja abaixo algumas fotos das capelas mencionadas.


Fontes:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS