terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Pequenos Demônios...

Eu estava andando pela minha casa de um lado para o outro,pensando no que acabara de acontecer, não estava aguentando aquela sensação de estar sendo observado e que já durava algum tempo, nem o fato de que aquela COISA matara minha irmã só de olhar para ela agora a pouco.

Você deve estar confuso, deixe-me explicar:

Você já teve a sensação de que algo não deveria estar la, ou algo que você não pode ver esta lhe vendo, acompanhando cada uma das suas ações? Mas que pergunta, é claro que já, se não, lhe desejo boa sorte, pois vais precisar e muito.

Bem, eu estava com esse sentimento a uma semana, quando eu comecei a pensar em procurar um psicologo enquanto voltava para casa com a minha irmã, eu vi. Aparentemente não era nada de mais,só duas crianças brincando com uma bola, mas havia também uma outra sentada em um banco, chorando muito.


Quando nos aproximamos, vimos que os olhos da criança, meu deus, eram completamente NEGROS, talvez você não esteja se perguntando se era uma criança com uma lente de contato para assustar os outros ou algo assim, mas duvido que você falasse algo assim se visse os detalhes.

Obviamente, minha irmã, com seu instinto de justiça maternal (ela já perdeu um filho e se divorciou, isso tudo com 25 anos) , perguntou a criança - O que foi?- E a criança, em um tom melancólico, respondeu - Eles não me deixam brincar.
- Por que?
- eu não sei, acho que eles não gostam de mim.
Minha irmã então se virou para os garotos e perguntou em um tom calmo - Por que não deixam ele brincar com vocês?
-Quem? - perguntaram as crianças em um tom realmente confuso.
- Ele! - mas então a criança havia sumido.

Por um minuto constrangedor, ninguém disse nada, até que os garotos se entreolharam e disseram em uníssono "Mulher maluca" e saíram correndo.

Enquanto continuávamos a pensar sobre o que aconteceu, chegamos a duas conclusões logicas apenas: ou ambos precisávamos urgentemente de um psicologo, ou aquela não era MESMO uma criança normal. Decidimos esquecer o que aconteceu e continuar o dia (ou o final de tarde), afinal, aquilo já tinha passado certo?

Como eu estava enganado...

Apos tomar um banho para esquecer o que aconteceu, eu vi novamente, la estava o garoto me observando da rua, por algum motivo eu tinha um grande medo de olhar para o rosto dele, com medo de reencontrar aqueles olhos sem vida. chamei minha irmã, mas ela ainda estava no outro banheiro tomando banho e gritou um irritado "O que???" eu respondi nervoso "aquela criança".

Nesse exato momento ouvi o chuveiro desligar, e em menos de 3 minutos minha irmã estava ao meu lado olhando pela janela, o garoto deu um aceno com uma expressão tão tímida que me daria raiva se eu não estivesse tão confuso, assim que descemos, ele tinha sumido de novo.

E assim foi essa semana, com varias aparições daquele garoto que me dava nos nervos toda vez que eu o via. uma vez um amigo até me perguntou do porque de eu estar tão irritado, respondi idiotamente "trabalho", pelo menos essa desculpa sempre funcionava.

Quando eu estava quase me acostumando com aquela figura, eu ouço minha irmã gritar do andar de baixo de casa, o que me levou a ir para la correndo, só para ver minha irmã completamente pálida e sem expressão, rosto a rosto com a criança, que parecia se alimentar da vida dela. Ela caiu de joelhos, e a criança imediatamente arrancou os olhos dela com uma pinça grande, o que mais me aterrorizou, não saiu sangue algum, somente um muco preto e grosso.

Até esse momento, eu estava paralisado de medo, mas então a cena da minha irmã sendo morta de uma forma tão, tão, macabra, me encheu de fúria, e sem pensar duas vezes peguei uma faca na pequena mesa que estava ao meu lado e corri na direção do garoto em minha raiva.

Um segundo antes de eu acertar o peito dele, fui tomado por um terror sem fim, só então percebi meu erro, eu havia olhado para seus olhos. Uma dica para quando estiver fugindo ou lutando com eles, NUNCA olhe diretamente em seus olhos, é derrota certa.

Bem, logo após isso eu vi que só tinha uma opção para sobreviver: correr. E foi o que eu fiz, me tranquei no meu quarto e me escondi no armário só com o celular, estes papéis velhos que eram da minha firma e uma caneta, a bateria já esta acabando e nunca teve sinal algum no meu quarto, só deixo este recado tanto no celular para enviar assim que conseguir algum sinal, quanto na folha para quem quer que venha a passar por isso também: Nunca ajude esses demônios, não tenha medo ou apreensão deles (eles se alimentam disso), NUNCA olhe nos olhos deles e, pelo amor de deus, NÃO OLHE PARA A SUA JANELA AGORA SE POSSUIR QUALQUER AMOR PELA VIDA.

------------------------------

Nossa, que estória (ou creepypasta) longa, deu trabalho para escrever ;), bem sou um dos outros (ou outro, tanto faz né?) novos postadores do blog, pretendo trazer essas creepys feitas por mim, e também algumas informações meio nerds sobre os assuntos abordados no blog, ah! quase me esqueci, podem me chamar de Ciber.

2 comentários:

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS