sábado, 1 de dezembro de 2012

No Escuro

Ela seguiu para o quarto no porão de seu dormitório logo ela percebeu que teria que ficar acordada, a fim de se preparar para o exame final de amanhã. Sua colega de quarto, Jenna, gostava de ir para a cama cedo, de modo que ela arrumou tudo o que ela achava que seria necessário e desceu para estudar e estudar... e estudar um pouco mais.

Eram duas horas, quando ela percebeu que tinha deixado um dos livros didáticos no andar de cima em sua cama. Com um suspiro dramático, ela se levantou, e subiu as escadas devagar para seu quarto do dormitório no terceiro andar. As luzes ficavam ao longo corredor, e as tábuas velhas rangia sob o seu piso cansado. Ela chegou a seu quarto e girou a maçaneta tão suavemente quanto pôde, empurrando a porta aberta apenas o suficiente para deslizar para dentro, de modo que as luzes do salão não iria acordar sua companheira de quarto.

A sala estava cheia com um cheiro estranho e metálico. Ela franziu a testa um pouco, seus braços cheios de calafrios. Havia uma estranha sensação de malícia no quarto, como se um olhar malévolo foram fixados em cima dela. Era um truque da mente, a noite estava brincando com ela.

Ela podia ouvir a respiração de Jenna, do outro lado da sala, um som pesado, quase como se ela tivesse acabado de correr. Jenna deve ter pego um resfriado durante a última semana tensa antes de finais.

Ela se arrastou ao longo da parede até que ela alcançou sua cama, tateando entre as capas para o livro de história perdido. No silêncio, ela podia ouvir um som de gotejamento-pinga-pinga constante. Ela suspirou silenciosamente. Os encanadores teriam que vir para consertar a pia no banheiro ... de novo.

Seus dedos se fecharam sobre o livro didático. Ela o pegou suavemente e se retirou da sala tão silenciosamente como podia.

Aliviado por estar fora da sala, correu de volta para baixo, desabou em uma cadeira estofada e estudou até seis horas. Ela finalmente decidiu que já era o suficiente. Se ela subisse agora, ela poderia dormir um par de horas "antes de seu exame das nove horas.

Os primeiros raios do sol estavam radiantes pelas janelas quando ela deslizou lentamente a porta aberta, na esperança de não despertar Jenna. O nariz dela foi encontrado por um cheiro de terra metálico um segundo antes de seus olhos registraram a cena em seu quarto do dormitório. Jenna estava de braços abertos em cima de sua cama contra a parede, com a garganta cortada de orelha a orelha e sua camisola manchada de sangue. Duas gotas de sangue caíram do cobertor saturado com um barulho pinga-pinga que soou como uma torneira pingando.

Grito após grito saíram de sua boca, mas ela não conseguia parar somente deixando-os abafados com suas mãos. Ao longo de todo o corredor, portas batidas e passos vieram correndo pelo corredor.

Dentro de instantes outros estudantes se reuniram em sua porta, e um de seus amigos agarrou-lhe o braço com a mão trêmula e apontou um dedo trêmulo para a parede. Seus olhos se arregalaram em choque com o que viu. Em seguida, ela desmaiou nos braços de seu amigo.

Na parede acima de sua cama, escrita em sangue de sua companheira de quarto, estavam as palavras:

"Você não está feliz de não ter ligado a luz?"



Fonte: http://www.facebook.com/Assustador/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS