segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Vampiros Energéticos ou Psíquicos

"Os piores vampiros não são os que sugam o seu sangue, mas os dissimulados que drenam a sua vontade de viver."


Vivemos imersos num oceano de energia cósmica. Essa energia é absorvida e processada naturalmente pelo organismo, através dos chakras. Quando estamos em harmonia, a energia penetra naturalmente em nosso organismo através desses centros de força e cumpre sua função, sem que nos demos conta de sua atividade.

Essa atividade natural de abastecimento energético garante a nossa condição de saúde física, emocional e mental. Parece haver uma associação bem definida entre a captação de grandes quantidades de energia e a realização de atividades prazerosas.

Em contrapartida, atividades que são repetidamente realizadas sem qualquer entusiasmo, prazer ou alegria parecem causar bloqueio à passagem da energia, deixando o indivíduo esgotado e irritado.

Algumas pessoas, por não terem a capacidade de se carregar energeticamente do manancial cósmico circundante, buscam a energia de que precisam nas pessoas com as quais se relacionam. Isso caracteriza a prática da Vampirização Energética. 

As sensações que acometem quem está sofrendo um processo de vampirização variam muito, podendo incluir cansaço extremo e repentino, sono irresistível, aperto intenso no coração, com sensação de falta de ar, esgotamento físico e nervoso, sem causa ou razão aparente, quando momentos antes, tudo estava perfeitamente bem.

O vampiro energético vive numa condição de crônica insaciabilidade energética, devido à incapacidade de reter energia no próprio organismo, como conseqüência da anômala constituição de seus veículos sutis. A energia escoa-se continuamente, momentos após ter sido absorvida, levando-o a procurar sempre novas vítimas.

A prática da vampirização energética pode ser consciente ou inconsciente. 

Na maioria dos casos é totalmente inconsciente e envolve às vezes pessoas consideradas normalmente como "boas", delicadas ou gentis, embora a condição de necessitar intensa e continuamente de energia reflita um estado de intenso desequilíbrio interior.

O Vampiro Energético tem normalmente o perfil psicológico de uma pessoa extremamente egoísta, que considera seus problemas maiores que os de todo mundo. Através de uma mentalidade doentia e auto-centrada, esses indivíduos bloqueiam-se na capacidade natural de se abastecer no manancial cósmico de energia, restando-lhe como alternativa a forma anti-natural de abastecimento: o sistemático roubo da energia de outras pessoas. 

Pode-se sofrer uma vampirização energética de várias formas: através do olhar, da voz (pela manutenção de longas conversações), pelo telefone, ou, simplesmente, através da proximidade do agente.

A sensação que o vampiro causa nos outros indivíduos é de uma natural repulsão. A percepção instintiva de que algo desagradável está acontecendo num nível subliminar leva as pessoas a desejarem se afastar do foco desarmônico. Para sair dessa condição desagradável e dependente, o indivíduo deve ser, quando possível, informado de seu desequilíbrio.

A conscientização pode levá-lo a desejar sair desse estado, desencadeado pelo egoísmo profundo em que está imerso, sendo, portanto, a da mudança no modo de pensar (através do contato com idéias novas e leituras edificantes) e o cultivo de atividades altruístas, a melhor terapia. Essa condição por si só, pode determinar a auto-cura.

Vimos o que é e como evitar a vampirização energética. Só que, na maioria das vezes, a situação é criada ou favorecida por nós mesmos, através de afinidades energéticas com nossos algozes (algo como aquele ditado "assombração sabe para quem aparece"). 

Mas aí você me pergunta: e quem danado gostaria de ser sugado energeticamente?

Lázaro Trindade, owner da lista Voadores, responde: 
"Talvez aquele que goste de reclamar de tudo, ou se fazer de vítima, ou aquela pessoa que no fundo adora ficar doente pra não ir a escola quando é criança, para não trabalhar quando adulta, para ter desculpas por seus constantes erros, para ter inclusão social, assunto e atenção extra quando está mais velha.

Lá é como aqui!!! O astral é conseqüência (e causa, ao mesmo tempo). 
Há masoquista de todo jeito. E a maioria nem é TÃO inconsciente assim.

Uma pessoa que vive dizendo que "tudo acontece com ela" está alimentando esse padrão. É a "emoção" que ela precisa para viver.

O jogo Kick-Me/ Me-Chute /Coitadinho de Mim da Análise Transacional não é jogado só no plano físico, ao contrário. Ser vítima é o alimento energético de quem se coloca assim.

Repare também em pessoas que caem no mesmo padrão de relacionamento, sem SEQUER tentar a espiral superior do que teve anteriormente.

Aquelas que dizem que "adoram um cafa", ou os caras que por um lado querem alguém direita, linda, querida, certinha, companheira - mas por outro vivem indo atrás das vagabas...

Ora, a vida vem e bate, a sintonia espiritual bem JUNTO e é parte inseparável do processo... E de ponta a ponta, o/a sujeito entrou por sua estranha forma de "prazer". Vício é algo que você não consegue ficar sem fazer.

No filme What The Bleep há explicações simples. Os receptores de suas células PRECISAM daquela emoção. Então, seja cocaína, seja um drama, seja compulsão sexual, seja um encosto como forma de crescer, a pessoa - feito mulher de malandro, em alguns casos - se vicia. Precisa de mais e mais daquela conexão. E, de todos os modos, físico, psíquico e espiritual, VAI procurar.

E quem CULTUA padrões vibratórios nefastos, em troca de poder, pra se lascar a seguir e usar o tal poder para se livrar das encrencas que o tal poder lhe trouxe?

Não é um ciclo, onde por PRAZER as más companhias espirituais vem?

E quem adora uma confusão?

E quem acha que viver em paz é algo muito chocho e parado?

Aquelas pessoas que PERDEM o melhor namorado(a) que tiveram na vida?

Que não sossegam em empregos pacíficos?

Que vivem procurando uma encrenquinha, para colorir a vida?

E quem vai atrás de despachos, contratando entidades menos luminosas pra resolver seus problemas - entidades estas que amanhã, sem "comida", vão lhe arrumar novos problemas para que sejam procuradas novamente - não estão VICIADAS nesse ciclo de ser vítima de um lado, e apelar para a ajuda sobrenatural do outro?

E quem vive tomando substâncias, "naturais" e "legais" ou não, como forma de expansão da consciência ARTIFICIAL, com a desculpa de seu ATALHO consciêncial ser "xamânico"? Não estão viciadas em certas terminações celulares que provocam estados alterados, para leva-los a qualquer preço para o lado de lá?

E se vão à força, não é claro que vão CAIR na mesma proporção?

Mas não é verdade que elas sequer lembram de suas depressões, vômitos e assédios, entretidas que estão no PRAZER de subirem na marra os astrais da ilusão?

Não seriam essas pessoas VICIADAS no assédio que vão procurar?

Bene, também da lista Voadores, confirma: A mente é estranha... 

Tanto no mundo dos espíritos quanto no dos vivos existem pessoas cujo script é serem exploradas pelo outro, às vezes tentando eternizar repetidamente uma situação de mártir aprendida na infância (que na época rendeu carinhos ou atenção), ou então tentando confirmar para si mesmas que, igualzinho ao que a mamãe ensinou, "os homens/mulheres/patrões/amigos etc. Não prestam, só querem nos sugar"....

E todo mundo sabe que confirmar o script, num destes jogos psicológicos, é mais do que gratificante para o envolvido - na verdade, é seu objetivo final. E os motivos podem ser mais banais, também.

Algumas vezes, deixar-se sugar é uma forma de se fazer necessário.

Outras vezes, é simples falta de alternativa. Melhor ter alguém por ali, sugando, do que nada.

Na verdade, também no mundo de lá e no de cá, algumas condições básicas são necessárias para que uma pessoa fique vulnerável a ladrões de energia, sendo a principal delas a disposição para dar moleza. E "gostar" e "prazer" são palavras muito relativas, como já dizia Von Sacher Masoch. Vá lá a gente saber o que realmente dá prazer a cada alma humana, por detrás da fachada convencional da persona... Por isso, que nem na piada dos ursos ("Você não vem aqui só pra caçar, né?") Provavelmente quem se deixa vampirizar pode até dizer que não, mas lá no fundo bem que gosta da coisa.

Os vampiros todos nós os conhecemos, sabemos como são, como se vestem, como agem e seus propósitos: sugar o sangue de suas vítimas, pois só assim sobrevivem. Esses são os vampiros dos filmes, seres errantesde capa preta e grandes dentes, ávidos por sangue, que andam pelas sombras em busca de suas vítimas.

Mas o tipo de vampiro que convivemos diariamente  são os vampiros de energia. Eles podem ser nosso irmão, marido ou esposa, empregado, amigo, vizinho, gerente do banco, ou seja, qualquer um do nosso convívio. Eles roubam energia vital, comum no universo, mas que eles não conseguem receber.

Mas, afinal, por que estas pessoas sugam nossa energia? 

Bem, em primeiro lugar a maioria dos vampiros de energia atua inconscientemente, sugando a energia sem saber o que estão fazendo. Isso acontece porque elas não conseguem absorver as energias das fontes naturais e ficam desequilibradas energeticamente.

Quando essas pessoas bloqueiam o recebimento destas energias naturais (ou vitais), precisam encontrar outras fontes mais próximas, que nada mais são do que as pessoas ao redor. Na verdade, quase todos nós, num momento ou outro da vida, quando nos encontramos em um estado de desequilíbrio, acabamos nos tornando vampiros da energia alheia.

Como identificar e combater essas pessoas?

 1. Vampiro cobrador: cobra sempre, de tudo e todos.
Quando nos encontramos com ele, já vem cobrando o porquê não lhe telefonamos ou visitamos. Se você vestir a carapuça e se sentir culpado, abrirá as portas. O melhor é usar de sua própria arma, cobrando de volta e perguntando por que ele não liga ou aparece. Deixe-o confuso, sem tempo para retrucar e se retire rapidamente.

2. Vampiro crítico: crítica tudo e todos, e o pior que é só critica negativamente.
Vê a vida somente pelo lado sombrio. A maledicência tende a criar na vítima um estado de alma escuro e pesado, que abrirá seu sistema para que a energia seja sugada. Diga "não " à suas críticas e nunca concorde com ele. A vida não é tão negra assim. O melhor é cair fora e cortar o contato.

3. Vampiro adulador: o famoso puxa-saco.
Adula o ego da vítima, cobrindo-a de elogios falsos, tentando seduzí-la. Muito cuidado para não dar ouvidos ao adulador, pois ele espera que o orgulho da vítima abra as portas da aura para sugar a energia.

4. Vampiro reclamador: reclama de tudo e de todos.
Opõe-se a tudo, exige, reivindica, protesta sem parar. O mais engraçado é que nem sempre dispõe de argumentos sólidos e válidos para justificar seus protestos.
A melhor tática é deixá-lo falando sozinho.

5. Vampiro inquiridor: sua língua é uma metralhadora.
Dispara perguntas sobre tudo e não dá tempo para que a vítima responda.
Na verdade ele não quer respostas mas sim desestabilizar o equilíbrio mental da vítima, perturbando seu fluxo de pensamentos. Para sair de suas garras, não se ocupe à procura de respostas. Reaja fazendo-lhe uma pergunta bem pessoal, contundente e procure se afastar assim que possível.

6. Vampiro lamentoso: são os lamentadores profissionais, que anos a fio choram sua desgraças. Para sugar a energia da vítima, ataca pelo lado emocional e afetivo. Chora, lamenta-se e faz de tudo para despertar pena. É sempre o coitado, a vítima. Corte suas lamentações dizendo que não gosta de queixas, pois elas não resolvem situação alguma.

7. Vampiro pegajoso: investe contra as portas da sensualidade e sexualidade da vítima. Parece um polvo querendo envolver a pessoa com seus tentáculos. Ele suga a energia seduzindo ou provocando náuseas e repulsa. Nos dois casos você estará desestabilizado e vulnerável. Invente uma desculpa e fuja rapidamente.

8. Vampiro grilo-falante: a porta de entrada que ele quer arrombar é o seu ouvido.
Pode falar durante horas, e enquanto mantém a atenção da vítima ocupada, suga sua energia vital. Para livrar-se invente uma desculpa, levante-se e vá embora.

9. Vampiro hipocondríaco: cada dia aparece com uma doença nova.
É desse jeito que chama a atenção dos outros, despertando preocupação e cuidados. Enquanto descreve os pormenores de seus males e conta seus infindáveis sofrimentos, rouba a energia do ouvinte, que depois sente-se péssimo.

10. Vampiro encrenqueiro: para ele o mundo é um campo de batalha onde as coisas só são resolvidas na base do tapa. Quer que a vítima compre sua briga, provocando nela um estado raivoso, irado e agressivo. Esse é um dos métodos mais eficientes para desestabilizar a vítima e roubar-lhe a energia. Não dê campo para a agressividade, procure manter a calma e corte laços com este vampiro.

Bem, agora que você já conhece como agem os vampiros de energia, livre-se deles o mais rápido possível. Mas, não esqueça de verificar se você, sem querer é obvio, não faz parte dessa lista...

Saiba um pouco mais:

2 comentários:

  1. Olha eu conheci já uma pessoa assim!

    Tinha um "colega" meu que, toda vez que me abraçava me dava dor de estômago muito forte. E quando eu me afastava dele eu me sentia muito cansada.

    Ele quando tava junto, ele sempre dava um jeito de "enconstar" em você, como por mão no ombro, ficar muito perto, eu acho que ele era do tipo pegajoso, já que esse se alimenta da energia quando toca na pessoa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eles estão em todo lugar e as vezes é bem difícil identificá-los ou aceitar q a pessoa tão próxima a vc seja um sugador de energia... '.'

      Excluir

Sua alma está mesmo segura dentro de você?

SENSITIVOS